Naufr√°gios Urbanos

Sob o nome de "Urban Wrecks" são identificados todos os edifícios e áreas residenciais abandonadas que se apresentam em estado avançado de decadência.

Naufr√°gios Urbanos

Sob a definição de Naufrágios Urbanos, definimos todos os edifícios em ruínas ou áreas brownfield incluídas dentro do perímetro urbano ou perto dos lugares habitados.

estado evidente do Naufrágio Urbano em dois edifícios dilapidados

Toda cidade, ao longo dos anos, pagou caro pela corrida desenfreada overbuilding dos sub√ļrbios, produzindo um abandono silencioso do centro habitado com efeitos, por vezes, devastadores em termos de degrada√ß√£o ambiental.
A este respeito, eles são interessantes iniciativas promovido por alguns municípios para a revitalização de edifícios degradados, terrenos abandonados, mas também de antigos edifícios industriais.
O que realmente queremos considerar, deixando ao leitor uma an√°lise mais profunda das v√°rias iniciativas, √© colocar a √™nfase no que poderia ser o fun√ß√Ķes destes edif√≠cios ou √°reas, considerando a localiza√ß√£o no territ√≥rio e o estado de degrada√ß√£o.

Naufrágio urbano constituído por uma área em total abandono

Na verdade, n√£o devemos esquecer que alguns desses ativos imobili√°rios s√£o colocado n√£o apenas no centro das cidades, mas tamb√©m em √°reas remotas (inclu√≠das em programas de expans√£o urbana), nas costas ou em √°reas externas cercadas por subdivis√Ķes de edif√≠cios.
De acordo com essas diferen√ßas √≥bvias, na verdade, n√£o falamos apenas de interven√ß√Ķes direcionadas, mas sim de planejamento urbano atrav√©s da ado√ß√£o de planos detalhado e de recupera√ß√£o.
estes instrumentos, tamb√©m previsto pela lei n¬ļ 1150 de 1942 e pela Lei n¬ļ 457/78, s√£o na pr√°tica a extrapola√ß√£o das diretrizes previstas no Plano Geral de Regulamenta√ß√£o, e portanto prefiguram, em subst√Ęncia, toda uma s√©rie de regulamentos e planejamento urbano aplicados de acordo com as necessidades do territ√≥rio.

edifício industrial em estado de negligência e decadência

Com a mesma lógica, tendo tomado nota da atividade de construção e das anistias relacionadas ao edifício ao longo dos anos, este procedimento também é usado para costurar grandes áreas de terra sujeitas a subdivisão ilegal.
Na previsão de redesenvolvimento de fato, essas áreas contemplam a construção de: estradas de penetração, redes de usinas (elétricas, aquedutos e esgotos), além de estacionamentos e áreas verdes.
Para lotes internos livres ou intercluses (colocados entre duas parcelas individuais), os deuses s√£o geralmente aplicados par√Ęmetros que permitem uma nova capacidade de constru√ß√£o (expressa em metros c√ļbicos na superf√≠cie), ou alternativamente outras solu√ß√Ķes como a expropria√ß√£o para utilidade p√ļblica e a cria√ß√£o de espa√ßos p√ļblicos (pra√ßas, jardins, etc.) s√£o estudadas.

estado de deterioração de um edifício no centro residencial

A concessão de outros volumes e, portanto, de sobreposição da área, poderia implicar absurdo, em comparação com ditames tradicionais.
No entanto, o planejamento urbano tende a redesenvolver esse territ√≥rio de maneira harmoniosa, assegurando a mesma consist√™ncia construtiva das outras √°reas residenciais e evitando um efeito de mancha de leopardo que, em s√≠ntese, poderia envolver mais (e mais complexa) din√Ęmica de degrada√ß√£o urbana.

perímetro urbano

qualquer especula√ß√£o a constru√ß√£o, que poderia ser produzida contextualmente, √© mitigada por padr√Ķes baixos que n√£o permitem a constru√ß√£o de grandes blocos de constru√ß√£o.
Para o que diz respeito ao simples interven√ß√Ķes (detalhado no territ√≥rio), as an√°lises das caracter√≠sticas e da consist√™ncia dos im√≥veis devem ser realizadas antes de qualquer interven√ß√£o no edif√≠cio.
Na verdade, eles podem ser diferentes situa√ß√Ķestais como a presen√ßa de uma ru√≠na (um argumento j√° tratado neste espa√ßo), ou de um edif√≠cio que, embora abandonado, permaneceu intacto tanto no que diz respeito √† carca√ßa externa quanto √† estrutura interna (eleva√ß√Ķes, paredes divis√≥rias, etc).

planejamento urbano

Normalmente, uma das principais interven√ß√Ķes de recupera√ß√£o previstas nessas situa√ß√Ķes √© aconsolida√ß√£o edif√≠cio, ou a uni√£o de duas unidades imobili√°rias distintas.
Esse procedimento, além da autorização municipal, obviamente envolverá também uma variação cadastral.
Al√©m desses aspectos, outros tamb√©m podem ser configurados condi√ß√Ķes como o estado de deteriora√ß√£o e abandono de grandes √°reas residenciais ou espa√ßos urbanos (lotes dentro do tecido urbano) de v√°rios tamanhos, formas irregulares e irregulares.
Enquanto para a primeira pergunta um problema social √© evidente, para o segundo um claro erro √© claramente evidente programa√ß√£o da rede rodovi√°ria, ou de planos de subdivis√£o, que envolve o corte irracional de por√ß√Ķes de territ√≥rio e, portanto, o estabelecimento de √°reas sem qualquer fun√ß√£o de planejamento urbano.

exemplo de Arqueologia Industrial

Nestes √ļltimos exemplos, qualquer interven√ß√£o de recupera√ß√£o deve ser endere√ßada exclusivamente projeto planejamento urbano em grande escala e, portanto, exclusivamente dentro da compet√™ncia das Administra√ß√Ķes P√ļblicas.
Para completar esta visão geral, podemos também mencionar os antigos armazéns ou as áreas comerciais em desuso, que são geralmente definidas como Arqueologia industrial.
Tamb√©m neste caso as solu√ß√Ķes propostas s√£o geralmente de natureza de planejamento urbano, bem paisagismoporque esses artefatos est√£o geralmente sujeitos √† prote√ß√£o da Superintend√™ncia de Patrim√īnio Cultural.



V√≠deo: Sociolog√≠a Animal - NAUFRAGIOS URBANOS (con Ana Zome√Īo) VIDEOCLIP [4K]