Obras de condomínios e resolução de disputas

Para o apelo de resoluções relativas a intervenções sobre coisas comuns, é necessário contestar a decisão com a qual ela é decidida e não a das despesas.

Obras de condomínios e resolução de disputas

Lavori

Em caso de litígio sobre obras de renovação ou operações de manutenção simples aprovadas pela assembleia do condomínio, a decisão que deve ser contestada é a que os estabeleceu e não aquele com o qual você decidiu sobre as despesas relacionadas.

Palavra de Cassação e, recentemente, do Tribunal de Savona que reiterou uma orientação expressa por arminhos há alguns anos atrás.

o controvérsia surge também em relação às despesas para o funcionamento do sistema de aquecimento consequente à decisão da separação por alguns condomínios.

Antes de entrar no mérito, vale a pena mencionar diferença substancial e profunda dos vícios de invalidez das deliberações dos acionistas.

Nulidade e anulabilidade das resoluções

para longos anos tem sido incerto quais resoluções devem ser consideradas nulas e anuláveis.

Demorou um esclarecendo a intervenção das seções unidas da corte suprema para trazer clareza sobre o assunto.

No famoso sentença n. 4806/05, a mais alta expressão do Tribunal Nomofilático especificou que as decisões sem os elementos essenciais, com um objeto impossível ou ilícito (contrário à ordem pública, à moral e à boa moral) devem ser consideradas nulas e sem efeito, com um objeto que não é da competência da assembléia, que afeta os direitos individuais,, em serviços comuns ou em propriedade exclusiva de cada um dos condomínios ou inválidos em relação ao objeto.

Tribunale

caso contrário as resoluções com faltas relativas à constituição regular da reunião, aquelas adotadas com uma maioria inferior à prescrita por lei ou pelos regulamentos do condomínio, aquelas afetadas por defeitos formais em violação das disposições legais, convencionais, regulamentares relativas ao procedimento de convocação são anuláveis o informação na reunião, aqueles genericamente afetados por irregularidades no procedimento de convocação, aqueles que exigem maiorias qualificadas em relação ao objeto.

L 'administrador você se esquece de convocar um condomínio? A resolução é anulável.

L 'montagem decide proibir um dos proprietários de usar o estacionamento? A decisão não é nada.

o diferença é também nos momentos de desafio:

a) la decisão de cancelamento deve ser contestado no prazo de trinta dias após a adoção (para os presentes dissidentes e abstenções) ou por comunicação (para os ausentes);

b) la decisão nada pode ser contestada a qualquer momento, sem prejuízo dos efeitos do prazo de prescrição para ações de recompra e possível uso fraudulento.

o reforma implementou substancialmente essa orientação.

Disputa da resolução correta

Quando você aguentar, você deve ter cuidado paraqueixam-se da deliberação relativa ao objeto da controvérsia.

Este é o sentido da decisão do Tribunal de Savona que foi reconstruída para uma decisão da Cassação, a n. 1890 de 21 de fevereiro de 1995, em que foi dito que no caso de condomínios em edifícios, o poder da assembléia do condomínio para resoluções, nas formas e com as maiorias requeridas, a execução das obras necessárias para a conservação e fruição das partes comuns e para a exploração dos serviços condominiais, é obrigação de cada condomínio contribuir com as despesas relacionadas, descendendo da propriedade do direito real sobre a propriedade e integrando uma obrigação existente antes da aprovação, pela assembléia, do estado de colocação, e diretamente no concreto relacionado à resolução anterior, execução das obras.

Segue-se que, quando a contestação do condomínio investe, mesmo antes do valor da obrigação de contribuir, o parente é a última resolução que deve ser impugnada; no prazo de caducidade, nos termos do art. 1137, parágrafo 3, do Código Civil italiano, onde se presume ser a resolução afetada por defeitos formais, porque está em violação de disposições legais, convencionais ou regulamentares relativas à convocação ou processo de informação da reunião, ou de excesso de poder ou incompetência; liberado deste prazo, no caso de uma decisão radicalmente nula, porque é exorbitante dos limites da cessão da assembléia ou sobre inovações prejudiciais aos direitos de cada condomínio sobre coisas ou serviços comuns ou aqueles de propriedade exclusiva de cada um deles) (Tribunal de Savona 5 de junho de 2013).

Neste caso o condomínio desafiou a decisão de alocar os custos de aquecimento quando, por outro lado, desafiou a operação de postagem.

em resumo em agir em tribunal o condomino havia desafiado a decisão errada.



Vídeo: JEJOLs 2018 Finais no Futsal Infantil com a disputa do 3º Lugar e Campeão, Medalhas e Troféus