Janelas de condomínios e custos de manutenção

As janelas da fachada do prédio são ativos em condomínio e os custos de manutenção são divididos entre os condomínios de acordo com os milésimos de propriedade.

Janelas de condomínios e custos de manutenção

Janelas Condominiais

De quem são eles? Windows que dão luz e ar para as partes comuns e como estão os custos de manutenção?

condomínio

É comum que em edifícios do condomíniona escada, há janelas.
o funçãoÉ claro que estas aberturas fornecem luz e ar para os interiores, neste caso, precisamente as escadas de ligação dos vários andares.
L 'art. 1117 c.c. não contém uma indicação de janelasquais coisas de propriedade comum; isto entretanto não é indicativo do fato de que eles não são porque é sabido que a Cassação, em mais de uma ocasião, especificou que o art. 1117 c.c. não contém uma indicação exaustiva das partes comuns do edifício (ex multis Cass. 18 de setembro de 2009 n. 20249).
Basicamente, para que possa operar, nos termos do art. 1117 c.c., o chamado direito condomínio, é necessário que exista uma relação auxiliar entre os bens, as usinas ou os serviços comuns e a construção em comunhão, bem como um elo funcional entre a primeira e as unidades de propriedade exclusiva. Portanto, se, pelas suas características funcionais e estruturais, o bem serve o gozo das partes únicas do edifício comum, presume-se - independentemente de a coisa ser, ou poder ser, utilizada por todos os condomínios ou somente por alguns eles - a copropriedade necessária de todos os condomínios nele (Bem Cass. 21 de dezembro de 2007 n. 27145).
No caso de janelas colocadas no escadariaportanto, não há razão para duvidar que eles devem ser considerados como um todo com as paredes do perímetro e, portanto, ser considerados, como a mesma propriedade comum.

Windows

Indicação diferente
só pode vir das escrituras de compra das unidades imobiliárias individuais ou do regulamento do condomínio de natureza contratual que tenha sido transcrito no conservatório de registros públicos de imóveis.
O chamado título de comprade fato, é capaz de excluir a condominialidade de uma parte do edifício, de uma planta ou de um serviço que, por suas próprias características, teria sido automaticamente considerado como tal.
Para fazer um exemplo - não é recorrente, mas não excepcional - especialmente em pequenos condomínios, a reserva de propriedade das escadas para os proprietários das unidades habitacionais do primeiro andar.
Em tais casos o dono do andar térreo retém apenas o direito de uso se ligado ao direito de acessar o pavimento solar.
Nestes casos as janelas permanecem no entanto propriedade comum, como eles são incorporados nas paredes do perímetro, que se não excluídos da categoria de bens comuns, devem ser considerados como tal.

Janelas de condomínios e alocação de despesas

Tendo esclarecido esses aspectos, é útil perguntar: no caso de intervenções conservadoras em relação às janelas dos condomínios, como elas irão discriminou os custos?
Em geral, a resposta deve ser a seguinte: a alocação de despesas relacionadas a operações de manutenção relativas às janelas de propriedades comuns deve ser realizada de acordo com o art. 1123, primeiro parágrafo, c.c. e depois com base nos milésimos de propriedade.
o soluçãoNo entanto, não é tão óbvio, porque a localização particular destes bens pode levar à hipótese de que, dada a sua localização nas escadas, as despesas devem ser distribuídas com base nas indicações contidas no documento.art. 1124 c.c., dedicado precisamente aos custos de manutenção e reconstrução das escadas.
Na opinião de certa doutrina as despesas para a manutenção das partes acessórias das escadas comuns (corrimãos, patamares e similares) devem ser divididas, por analogia, de acordo com o art. 1124 c.c.
Eles não são levados em consideração Windows: a escolha, em uma inspeção mais próxima, parece correta. Embora, de fato, eles dão luz e ar para as escadas, não se pode negar que a posição deles na fachada do edifício faz parte disso, de modo que é correto afirmar, de acordo com a primeira solução dada, que os custos de manutenção e conservação das janelas devem ser compartilhados entre todos os condomínios da base milésimos de propriedade.
Para o custo de manutenção desta peça comum pode-se beneficiar alternativamente do Dedução fiscal de 50% (relacionado aos chamados bônus de reestruturação) ou o de Medida de 65% das despesas realizadas (se a intervenção puder ser configurada para economizar energia).
Em qualquer caso é de responsabilidade do administrador do condomínio efetuar os pagamentos na forma indicada em lei (transferência bancária) e atestar os gastos de referência do condomínio individual, para que o mesmo possa acessar o gozo do benefício fiscal.



Vídeo: RUBENS - CONSERTO DE JANELAS E PORTAS 11 9 9904 1480 - S.P.