Quem pode se beneficiar da dedução em renovações (50%)

Indivíduos sujeitos a IRPEF que possuem ou detêm a propriedade, coabitam membros da família e compradores promissores podem acessar a dedução.

Quem pode se beneficiar da dedução em renovações (50%)

Beneficiários dedução de 50%: contribuintes sujeitos a IRPEF

dedução 50 - beneficiários

o dedução na renovação de edifícios (50%) é uma dedução doimposto de renda, isto é, o imposto de renda de pessoas físicas. Atualmente este incentivo fiscal permite deduzir 50% das despesas incorridas para intervenções de construção em habitações e partes comuns de edifícios residenciais existentes.
Sendo uma dedução da IRPEF, eles podem acessar a dedução fiscal sobre a reestruturação todos os contribuintes residentes ou não no território do estado são sujeito a esse imposto. Na prática, estamos falando de quase todas as pessoas naturais que possuem uma renda.

Sujeito beneficiário dedução 50%: titulares e titulares

Além de estarem sujeitos à IRPEF, aqueles que desejam se beneficiar da dedução na renovação de edifícios eles devem arcar com os custos para os trabalhos e ser donos o detentores de direitos reais / pessoais de gozo sobre os edifícios objeto de intervenção (neste último caso os sujeitos são chamados titulares).
Entre esses assuntos (titulares e titulares) são:
- proprietários e proprietários nus;
- os titulares de um direito real de usufruto (usufruto, uso, habitação ou superfície);
- inquilinos e mutuários;
- membros de cooperativas divididas e indivisíveis;
- empreendedores individuais (incluindo empresários agrícolas), limitados a edifícios que não estão incluídos nos edifícios instrumentais, nem constituem bens para a produção ou troca dos quais a actividade da própria empresa é dirigida;
- as matérias indicadas no artigo 5º da Tuir, que produzem rendimentos de forma associada (empresas simples, em nome colectivo, sociedade limitada e sujeitas a estes equivalentes, empresas familiares), nas mesmas condições que para empreendedores individuais.
No que diz respeito aos titulares que realizam as intervenções a expensas próprias, é necessário que estejam de posse de um declaração de consentimento à execução das obras assinadas pelo proprietário do edifício.
Eles também podem se beneficiar da dedução na construção de reformas (50%) também membros da família que coabitam dos proprietários e titulares e eu compradores promissores.
Essas duas últimas categorias merecem um estudo adequado.

Beneficiários dedução de 50%: membros da família que coabitam

dedução 50 - beneficiários

Com a Resolução n.136 de 6 de maio de 2002, a Administração Fiscal esclareceu que também pode se beneficiar das deduções familiares que coabitam o proprietário ou titular do edifício objeto de intervenção.
No entanto, isso é possível se as seguintes condições existirem simultaneamente:
- os membros da família que coabitam devem arcar pessoalmente com os custos;
- faturas e transferências bancárias devem estar em seu nome;
- a condição de coabitação deve existir antes do início do trabalho.
Quem são os membros da família que coabitam? Vamos primeiro olhar para a definição de família, que encontramos no art.5 da Lei Consolidada sobre o Imposto de Renda.
O cônjuge, os parentescos do terceiro grau e os parentescos do segundo grau são considerados membros da família. A definição não se refere a casais de coabitantes não casados, para os quais eu recomendo ler o artigo Deduções fiscais para coabitantes não casados.
Como é estabelecido que dois membros da família estão coabitando?
Eles devem ter residência no mesmo edifício. Com a Resolução n.184 / E de 12 de junho de 2002, a Administração Fiscal esclareceu que não é necessário que o imóvel objeto de intervenção seja para ambas as moradias principais, porém o prédio no qual as obras são executadas deve ser um daqueles em que a coabitação ocorre.
Por exemplo, eles serão dedutíveis para o membro da família que coabita as despesas que ele pagou para trabalhar na casa à beira-mar ou nas montanhas, mesmo que não seja a principal casa da família, mas ainda é um lugar onde a coabitação ocorre por alguns períodos de tempo. 'ano.
Não é dedutível para o membro da família que coabita trabalhar em uma propriedade que tenha sido alugada ou emprestada para uso por outras pessoas, pois nesta última propriedade não há coexistência real com o proprietário da família.
Sem prejuízo das condições acima, a dedução cabe ao familiar coabitante mesmo que as autorizações municipais (Alvará de Construção, DIA, SCIA, CILA, CIL) sejam registradas para o proprietário do imóvel e não para o membro da família que se beneficiar da dedução do imposto. Neste caso, a declaração de consentimento do proprietário do edifício para a execução das obras não é necessária.

Dedução de beneficiários de assuntos 50%: promissório de compradores

dedução 50 - beneficiários

Se um foi estipulado contrato preliminar de venda de um imóvel (também chamado de compromisso), mesmo o comprador pode ter direito ao desconto.
No entanto, existem algumas condições:
- o comprador deve ser colocado em posse da propriedade (portanto, o vendedor deve ter entregue as chaves);
- o comprador deve realizar o trabalho por conta própria;
- o compromisso deve ser registrado no escritório competente da Receita Federal.
Nem mesmo neste caso é necessária a autorização para realizar as obras pelo vendedor promissor, uma vez que a própria autorização pode ser considerada implicitamente concedida como consequência da colocação antecipada em posse do futuro comprador.



Vídeo: