O que é uma resolução programática de condomínios?

A assembléia do condomínio pode decidir sobre um tópico, ou pode decidir que, nesse tópico, ele será decidido posteriormente. Neste caso, há uma decisão programática.

O que é uma resolução programática de condomínios?

Resolução do condomínio

A decisão tomada por uma assembléia de condomínio não é senão o ato de expressão da vontade da assembléia com a qual os condomínios montados decidem sobre um tema de interesse do condomínio.

deliberação

Uma reunião é realizada nas reuniões da assembléia verbal transcrito no registo mantido pelo administrador (art. 1136, sétimo parágrafo, c.).
o deliberaçãoportanto, deve tomar uma forma escrita ad substantiam; a falta desta forma determina a nulidade da decisão dos acionistas por falta dos requisitos essenciais mínimos previstos na lei (cf. Cass. SS.UU. n. 4806/05).
o documento no qual a resolução é transfundida adotado na reunião leva o nome da ata.
Este relatório, a Cassação afirma, oferece uma prova presumida dos fatos que afirma ter ocorrido e, portanto, que pertence ao condomínio que detém a deliberação da assembléia, contestando a correspondência com a verdade do que é relatado no relatório relativo, para provar sua suposição. (Cass. 11 de novembro de 1992, n. 12119).
O relatório deve informar corretamente, sob pena de ser anulável (ver Cassação da Santa Sé nº 4806/05), os nomes dos presentes, os milésimos de referência e o resultado preciso e detalhado de cada voto individual, para que os quóruns sempre sejam verificáveis resoluções, bem como a existência de quaisquer conflitos de interesses entre os eleitores.
Não acredite, no entanto, que a precisão para verbalização alcança um esquema rígido automático.
Como a Suprema Corte disse, de fato, não é anulável a resolução cuja ata, ainda que não mencione o nome dos condôminos que votaram a favor, no entanto, contém, entre outras coisas, a lista de todos os condomínios presentes, pessoalmente ou por procuração, com os milésimos relativos., e ao mesmo tempo trazer a indicação, nominatim, dos condomínios que se abstiveram e que votaram contra e o valor total das partes milésimas de que um e outro são portadores, porque tais dados permitem estabelecer com confiança, por diferença quantos (e) quais condomínios expressaram voto favorável e o valor do edifício que representam, bem como verificar se a resolução em si excedeu efetivamente o quorum exigido pelo artigo 1136 do Código Civil (sentença 10 de agosto de 2009 nº 18192). ) (Cass. 19 de novembro de 2009 n. 24456).
Em essência: precisão maníaca não é necessária.

Tomada de decisões e tomada de decisões programáticas

Deliberação da assembleia geral

A montagem com o voto favorável de 10 condomínios fora de 15 presentes representando 650 milésimos (seguindo indicação de eleitores e milésimos relativos) decide confiar o extraordinário trabalho de manutenção de grande importância para a companhia Alfa.
Isto representa um exemplo clássico de decisão de tomada de decisãoé a deliberação com a qual os condomínios tomam uma decisão com efeitos legais vinculantes entre eles e para o exterior.
Neste caso, o número de condomínios e os milésimos permitem afirmar que a resolução foi tomada com as maiorias exigidas por lei (ver artigo 1136, segundo e quarto parágrafos, c.c.).
Uma decisão deste tipo, se houver, tomada em violação das regras estabelecidas em termos de convocação e deliberação poderia ser contestada da maneira e nos termos estabelecidos no art. 1137 c.c.
A hipótese do chamado é diferente decisão programática.
o conjunto com o voto favorável de 6 condomínios fora de 15 presentes representando 400 milésimos (seguindo indicação de eleitores e milésimos relativos) também considerando a ausência de estimativas específicas em relação às intervenções previstas no cálculo métrico do técnico apontado pelo condomínio decide adiar a decisão de trabalho extraordinário de manutenção de tamanho considerável em uma reunião futura que o administrador chamará assim que as empresas apresentarem estimativas de acordo com as solicitações.
Neste caso, a assembléia não tomou nenhuma decisão capaz de criar relações jurídicas, neste caso, a assembléia simplesmente adiou a decisão.
Em tais circunstâncias, portanto, não importa que o quorum deliberativo não foi alcançado (o exemplo expressa deliberadamente números abaixo do limiar da maioria dos participantes e 500 milésimos), ou mesmo se eles não foram chamados todos os condomínios.
Isso significa que tendo decidido nada, mas ter caráter propedêutico puro em vista de decisões futuras não pode ser desafiado a obter invalidação porque o efeito real do resultado do apelo seria inexistente (a assembléia não pode ser impedida de deliberar no futuro sobre assuntos de sua competência ).
Neste contexto, portanto, pode-se afirmar que condomínios (presente, dissidente ou abster-se e ausente), juridicamente falando (ver artigos 101 e parágrafos seguintes) não têm interesse em agir para contestar uma resolução de assembléia programática (cf. Trib. Palermo 4 de abril de 2014).



Vídeo: Curso de Legislação - ALEGO - Assembleia Legislativa de Goiás 2018