Ervas Daninhas e Cimento

Esp√©cies espont√Ęneas e ervas daninhas urbanas, enobrecidas e usadas em todas as suas for√ßas, para decorar facilmente cantos tristes e cimentados da metr√≥pole.

Ervas Daninhas e Cimento

crack garden

de Jardinagem de Guerrilha n√≥s falamos repetidamente. Esse √© o movimento que contrasta o smog e o cimento em √°reas degradadas da cidade, com o uso de plantas simples, plantadas com blitz noturna. Mas o bin√īmio plantas / cimento n√£o √© apenas um contraste for√ßado. Parece que essas duas realidades podem viver juntas. De ervas daninhas e plantas pobres, por exemplo, muitos esp√©cies espont√Ęneas, resistentes mesmo em ambientes urbanos, tornaram-se esp√©cies ornamentais, para n√£o mencionar a dissemina√ß√£o de hortas e planta√ß√Ķes, tamb√©m generalizada e compartilhada. H√° tamb√©m aqueles que, em n√≠vel profissional, tentaram transmitir a espontaneidade dessas plantas, em combina√ß√£o com o uso de cimento. Em vez de rachaduras e buracos aleat√≥rios, nos quais se infiltrar, Estudo de arquitetura paisag√≠stica CMG de S√£o francisco, projetou para um cliente americano um interessante projeto verde chamado Crack GardenO jardim original √© inspirado pela impetuosidade e invas√£o de algumas esp√©cies espont√Ęneas, as quais normalmente tamb√©m tender√≠amos a chamar ervas daninhas. Esp√©cies que, eles tamb√©m podem viver em pequenos fragmentos de terra, entre rachaduras e rachaduras no cimentoe que muitas vezes vemos ao longo de cal√ßadas e caminhos de pedestres.

crack garden 2

O Crack Garden √© tudo isso, mas pensou nisso. Em um enorme estacionamento coberto de asfalto, eles eram praticados com o martelo pneum√°tico numeroso ranhuras paralelas, equidistantes e com desenhos regulares. Em pouco tempo, esses espa√ßos foram preenchidos com esp√©cies espont√Ęneas, entre outras coisas muito cenogr√°ficas.Uma id√©ia para copiar, mesmo em espa√ßos pequenos, por exemplo no quintal, usando esp√©cies espont√Ęneas nativas, talvez j√° nascidas nas fissuras de caminhos e caminhos. Menos urbanizado, mas ainda espetacular, at√© mesmo o Charlotte Garden de Hj√†—Ďrringgade, Copenhaguena Dinamarca. Aqui, ao lado do playground da cidade, v√°rias esp√©cies foram utilizadas gram√≠neas espont√Ęneas e n√£o, para criar extens√Ķes de ervas e cores, que variam de maneira muito cenogr√°fica, com as esta√ß√Ķes mudando.

Flora Urbana, Bolis Edizioni

O tema da combina√ß√£o de ervas daninhas / cimento nos √ļltimos anos tamb√©m tem sido protagonista de in√ļmeros eventos, tamb√©m vistos nas edi√ß√Ķes anteriores do FuoriSalone di Milanocomo o designou Ilha Verde, ativa na √°rea de Mil√£o h√° dez anos, que visa aproximar os cidad√£os de uma dimens√£o mais pr√≥xima da natureza, mesmo em √°reas urbanas e no meio do cimento. Um pequeno livro tamb√©m √© escrito sobre o assunto: Flora Urbana, editado por Claudia Zanfi, ex-curador do projeto Ilha Verde, com textos tamb√©m de Enrico Banfi, diretor do Museu de Ci√™ncias Naturais de Mil√£o e muitos outros. Edi√ß√Ķes Bolis, estritamente em papel reciclado e com cores vegetais, o √≥timo √© descrito difus√£o de esp√©cies urbanas espont√Ęneas, agora se tornou um exemplo de como a natureza supera o homem, mesmo quando ele tem que enfrentar o cimento e como a beleza √†s vezes reside precisamente nas coisas mais simples.

orticolario

Espont√Ęneo ao qual tamb√©m √© dedicado um festival. Mas n√£o estamos falando de ervas daninhas. Mas orqu√≠deas. Festival Internacional de Curtas-Metragens Bot√Ęnicas, boa not√≠cia da pr√≥xima edi√ß√£o do Orticolario, o grande mercado de exposi√ß√Ķes - jardinagem, programado ao longo das margens do Lago Como, em Cernobbiode 5 a 7 de outubro de 2012, ser√° focado na hist√≥ria da descoberta do 300 esp√©cies de orqu√≠deas selvagens, pesquisado nos √ļltimos anos na Europa.



Vídeo: Como acabar com as ervas daninhas sem utilização de veneno