Termos injustos nos contratos de aluguel

Nos arrendamentos e nos de cessão de serviços de corretagem imobiliária não pode haver cláusulas vexatórias: vamos ver o que são.

Termos injustos nos contratos de aluguel

Termos injustos nos contratos de aluguel: as notícias

√Č not√≠cia de alguns dias atr√°s que oantitrust, a autoridade da concorr√™ncia, comunicou que os m√≥dulos para os contratos de loca√ß√£o elaborados por 8 dos principais intermedi√°rios financeiros continham cl√°usulas consideradas vexat√≥rias, isto √©, disposi√ß√Ķes que s√£o desvantajosas para os consumidores.

arrendamento

Estas s√£o algumas das principais ag√™ncias imobili√°rias franqueadas: Caso de Constru√ß√£o, Frimm, Gabetti, I.R.I. Im√≥veis, Prelios, Re / Max, Estimativa Gest e Divis√£o Toscano, cujos contratos-padr√£o para a cess√£o de corretoras para a venda ou aluguel de im√≥veis, conforme relatados ao Antitruste pelas principais associa√ß√Ķes comerciais, continham essas cl√°usulas vexat√≥rias.
Em particular eu pontos críticos detectados pela autoridade foram os seguintes:
- as obriga√ß√Ķes decorrentes do pacto de exclusividade n√£o eram suficientemente claras e compreens√≠veis;
- a liberdade contratual do consumidor foi limitada pela renovação tácita da nomeação;
- as penas eram excessivas;
- o prazo para cancelar o contrato para evitar a renovação tácita foi excessivamente antecipado.
Mesmo essas cláusulas eram consideradas vexatórias eles exoneraram a agência responsável pelas chaves de casa entregue pelo proprietário e que olhou como tribunal competente em caso de litígio, aquele localizado em um município diferente daquele da residência ou domicílio do consumidor.
No entanto, após o relato, as empresas modificaram seus contratos-padrão, que foram avaliados positivamente pela autoridade.
Em todos os casos, para os consumidores, pode ser √ļtil saber quais s√£o as cl√°usulas abusivas e como se defender adequadamente.

Quais são as cláusulas vexatórias?

Eles se definem inc√≥modo aquelas cl√°usulas que, mesmo se ditadas de boa f√©, inclu√≠das em um contrato entre duas partes s√£o desfavor√°veis ‚Äč‚Äčpara o mais fraco dos dois. (Por exemplo, em um contrato de loca√ß√£o, o inquilino √© geralmente considerado a parte mais fraca).
Este tipo de cláusulas, anteriormente regidas pelo art. 1469 bis e ss. do código civil, são hoje regulados pelo Código de consumoDecreto legislativo 206/06, no art.33 e seguintes.

cl√°usulas abusivas nos contratos de aluguel

A lei estabelece que as cláusulas vexatórias são ineficazes, ou seja, é como se elas não existissem, caso não sejam explicitamente aprovadas por escrito assinatura dupla, mesmo que o contrato permaneça válido para todo o resto.
Existem numerosos tipos de cl√°usulas que podem ser consideradas vexat√≥rias. Para dar alguns exemplos, permanecendo no caso das loca√ß√Ķes e das contrata√ß√Ķes entre consumidor e corretor imobili√°rio mencionadas acima, podemos falar sobre o criminal em casos de repensar, atrasar ou inadimplir o consumidor, o que n√£o pode ser manifestamente excessivo.
A pena é considerada manifestamente excessiva se seu valor for desproporcional ao trabalho realizado pelo corretor de imóveis até então. A menos que o consumidor demonstre o padrão, caso em que não haveria quebra de contrato.
Ou você pode considerar o caso do aviso de cancelamento para evitar a renovação automática do contrato: a lei estabelece que o aviso deve ser dado de três a seis meses, dependendo do caso; o pedido de aviso antecipado excessivo pode ser considerado vexatório.
Outra cláusula a prestar atenção é a relacionada comirrevogabilidade da tarefa.
Para ser válida e não vexatória, a irrevogabilidade deve ser válida em ambos os lados e não apenas para o mediador.
Por outro lado, n√£o inclui cl√°usulas que s√£o vexat√≥rias, aquelas que reproduzem regras de leis nacionais ou conven√ß√Ķes internacionais estipuladas entre os estados membros da Uni√£o Europeia.

Como se defender contra cláusulas vexatórias?

Se você acredita ter assinado um arrendamento (ou mesmo de outro tipo), contendo cláusulas vexatórias, o contrato permanece válido para todas as partes restantes. Em qualquer caso, é possível fazer referência à autoridade judiciária, para cancelar a parte que contém as cláusulas.
A a√ß√£o judicial pode ser tomada tanto pela consumidor √ļnico que protege seus direitos particulares, que alguns associa√ß√£o comercial.
No momento da assinatura do contrato, no entanto, o profissional ou o emprestador de bens ou serviços pode solicitar ao signatário uma segunda assinatura.
Neste caso, devemos prestar especial atenção e ler muito bem o contrato, porque a assinatura da segunda assinatura indica explicitamente a aceitação da cláusula e, portanto, sua presença não pode mais invalidar essa parte do contrato. Na verdade, é o chamado assinatura dupla.



Vídeo: MF Advogados "Rescisão de contrato de representação comercial sem justo motivo"