Conselhos para Fontes de Energia Renov√°veis

Uma boa planta com fontes de energia renov√°veis ‚Äč‚Äčdeve ser constru√≠da por t√©cnicos que n√£o tenham apenas a experi√™ncia de caldeiras e ar-condicionados.

Conselhos para Fontes de Energia Renov√°veis

Todos aqueles que nos √ļltimos anos se envolveram com atividades de renova√ß√Ķes de suas casas n√£o poderia deixar de seguir a longa s√©rie de Decretos Legislativos que regulam os mecanismos de acesso incentivos tributa√ß√£o, ligada √† explora√ß√£o de fontes de energia renov√°veis ‚Äč‚Äče √† redu√ß√£o das despesas energ√©ticas em edif√≠cios.
Entre os √ļltimos decretos h√° o n√ļmero 63 de 2013 que, al√©m da prorroga√ß√£o de seis meses para dedu√ß√Ķes fiscais de 50% nas reformas de edif√≠cios, introduziu importantes mudan√ßas para os t√©cnicos respons√°veis ‚Äč‚Äčpelas instala√ß√Ķes e manuten√ß√£o de usinas que aproveitam fontes renov√°veis ‚Äč‚Äčde energia (FER).
Com o extens√£o dos prazos, para aproveitar os incentivos, o Decreto Legislativo 63/13 ofereceu a possibilidade de benef√≠cios fiscais a v√°rios usu√°rios, no entanto, tamb√©m reduziu as garantias deste √ļltimo em rela√ß√£o ao que o anterior Decreto de Energia Renov√°vel n√ļmero 28 de 2011 fez.
De facto, o Decreto 63/13 interveio no artigo 15¬ļ do Decreto Legislativo Energia Renov√°vel 28/11 que regulou os incentivos, b√īnus e tempo para usu√°rios com usinas de energia renov√°vel, e os requisitos de qualifica√ß√£o de t√©cnicos para a constru√ß√£o de usinas com energia renov√°vel.
O Artigo 15 do Decreto de Energia Renov√°vel estipulava que at√© 31.12.2012 as regi√Ķes teriam que definir programas para educa√ß√£o continuada e qualifica√ß√£o, requisitos t√©cnicos e profissionais, instaladores e t√©cnicos de manuten√ß√£o de usinas com fontes renov√°veis ‚Äč‚Äčde energia.
A partir de 1 de agosto de 2013, os usuários poderiam ter facilitado os incentivos fornecidos para as usinas, com fontes de energia renováveis, somente se estes fossem feitos e certificados por técnicos qualificados. FER.
Técnicos para usinas de energia renovávelO Decreto Legislativo 63/13 anulou a obrigação de Qualificação ER para técnicos com referência a 1 de agosto de 2013, sem definir uma nova data de referência, e estendeu-se a todos os técnicos, simplesmente qualificados de acordo com a D.M. 37/08, a possibilidade de criar plantas com fontes alternativas de energia. Esta possibilidade foi alargada, sem prever qualquer formação profissional, também para todos gerentes técnicos dos instaladores.

rinnovabile fotovoltaico

Tudo isso reduziu as possibilidades de os usuários entrarem em contato pessoal técnico qualificado para a realização de sistemas tecnológicos que aproveitem fontes alternativas de energia e que funcionem adequadamente.
De fato, as vantagens para os usuários de sistemas de energia renovável derivam principalmente retornosAlém disso, esses retornos devem exceder os limites de referência mínimos também para permitir que os usuários façam uso dos incentivos fiscais.
Os retornos das usinas de energia renov√°vel dependem, por sua vez, de in√ļmeros fatores, incluindo: as modalidades de instala√ß√£o, os sistemas de regula√ß√£o e controle usado, integra√ß√£o com sistemas que exploram fontes n√£o alternativas e manuten√ß√£o adequada.
a integra√ß√£o baseia-se na realiza√ß√£o de sistemas que consistem em plantas que interagem entre si e exploram fontes de energia renov√°veis ‚Äč‚Äče n√£o renov√°veis, permitindo reduzir o gasto energ√©tico de edif√≠cios.
Nos casos pr√°ticos mais comuns de sistemas integrados, um instalador deve, portanto, ser capaz de realizar sistemas que funcionam com √°gua, g√°s, energia solar t√©rmica, energia fotovoltaica e ter no√ß√Ķes de regula√ß√£o e controle, bem como de programa√ß√£o unidades de controle e controladores que monitoram os mesmos sistemas, simplificando o uso para os usu√°rios.

integrazione rinnovabili

Qualquer pessoa que hoje queira construir uma planta que use fontes alternativas de energia, enquanto se refere a um técnico confiável, não tem garantia de que o mesmo técnico tenha habilidades necessárias para a construção da mesma usina, conforme indicado pelo Decreto de Energia Renovável.
Se o artigo 15 do Decreto de Energia Renov√°vel n√£o tivesse sido alterado, um problema antigo teria sido resolvido, no campo dos sistemas tecnol√≥gicos, ligado ao fato de que o treinamento de pessoal t√©cnico √Č realizado principalmente por grandes empresas, que muitas vezes o orientam de acordo com seus produtos e estrat√©gias de neg√≥cios.
Desta forma, uma cultura distorcida de fontes de energia renov√°veis ‚Äč‚Äčse espalha, o esp√≠rito de sustentabilidade ambiental e as escolhas para usu√°rios nas f√°bricas que as exploram s√£o limitadas.
Antes de criar uma usina de energia renov√°vel
N√≥s conclu√≠mos com algumas conselho para usu√°rios que desejam construir uma usina com fontes de energia renov√°veis ‚Äč‚Äče n√£o querem correr o risco de que uma usina complexa, como as descritas acima, seja realizada por t√©cnicos que s√≥ t√™m a experi√™ncia de instalar caldeiras e aparelhos de ar condicionado.

competenze integrate per rinnovabili

A primeira coisa a fazer √© pedir √†s poss√≠veis empresas executoras, bem como √† C√Ęmara de Com√©rcio, que atestem que det√™m todas as qualifica√ß√Ķes t√©cnicas necess√°rias, tamb√©m um curr√≠culo que descreve os tipos de plantas, fontes renov√°veis, realizadas com as caracter√≠sticas relativas.
A possibilidade, se houver, tamb√©m poderia ser particularmente √ļtil visite uma instala√ß√£o ou mais sistemas criados pelas empresas de refer√™ncia, aproveitando as experi√™ncias do usu√°rio para as fases de instala√ß√£o e uso.

Finalmente, lembramos que, uma vez concluídas as obras, a empresa, que as executou, deve sempre emitir uma declaração de conformidade às normas (D.M. 37/08)



Vídeo: Fontes Renováveis de Energia 1 - O que são fontes renováveis de energia?