Roubo em casa: o que a lei diz sobre autodefesa

Para evitar roubo de casa, √© aconselh√°vel adotar uma s√©rie de precau√ß√Ķes. Vamos ver o que. √Č bom saber o que a lei diz sobre a defesa leg√≠tima.

Roubo em casa: o que a lei diz sobre autodefesa

Assaltos em resid√™ncias: quais s√£o as prote√ß√Ķes?

Os per√≠odos de f√©rias, os fins-de-semana fora da cidade e em geral os momentos do ano em que as casas permanecem vazias, s√£o as situa√ß√Ķes que mais favorecem a roubo em apartamento.
Existem mais de 200.000 roubos em resid√™ncias que acontecem todos os anos. A regra principal a seguir para impedir as a√ß√Ķes dos ladr√Ķes √© adotar comportamentos que possam ter um efeito dissuasor.
como afastar de roubos em casa?
Aqui est√£o alguns simples conselhos pr√°ticos a seguir, a fim de tornar a nossa casa mais segura. Especialmente no ver√£o, quando as cidades est√£o vazias, mesmo por longos per√≠odos, as melhores oportunidades s√£o criadas para os ladr√Ķes que, com maior facilidade, podem entrar, muitas vezes sem serem incomodados, em nossas casas. √Č bom tomar medidas para impedir, ou pelo menos atrapalhar, suas a√ß√Ķes.

Sentença por roubo no apartamento


Primeiro de tudo, é apropriado que a casa seja feita em um lugar seguro. Por isso, é bom prestar especial atenção ao portas externas, cujo fechaduras eles devem dificultar o trabalho dos criminosos.
Para este fim, eles são uma excelente solução portas blindadas com fechaduras com cilindro europeu.
Acima de tudo, se você mora no chão, é bom equipar o Windows de grades e óculos à prova de estilhaçamento.
Instale um bom sistema de alarme, talvez conectado a um n√ļmero de telefone de emerg√™ncia √© uma excelente precau√ß√£o.
Mesmo os comportamentos adotados pelo próprio dono e por quem mora em casa são decisivos.
√Äs vezes, inconscientemente, n√≥s mesmos facilitamos a a√ß√£o dos ladr√Ķes.
Um comportamento cuidadoso e responsável é certamente a base de toda regra de prevenção.
Deixando a casa, por exemplo, você deve sempre ter certeza de que fechado bem porta e nunca deixe as chaves sob o capacho ou em outros locais de fácil acesso.
Muitas vezes, ladr√Ķes antes de agir, observam os h√°bitos de suas v√≠timas.
Até o Windows deve ser devidamente fechado; atenção especialmente durante o verão, durante o qual o calor pode fazer com que você ventile mesmo à noite para obter um pouco de frescor.
Por longos períodos de férias é melhor não faça Conhecido por muitas pessoas, talvez através de redes sociais, as datas de partida e chegada. Retirar o correio de vez em quando, pedindo o favor de algum amigo ou parente, pode induzir qualquer intenção maligna de pensar que a casa é sempre habitada e desistir de qualquer ação criminosa.
Aten√ß√£o tamb√©m para o chaves de casaobviamente. Nunca coloque uma placa de identifica√ß√£o com o nome e endere√ßo e certifique-se de que a mesma precau√ß√£o √© adotada pela equipe dom√©stica servindo no apartamento. Apesar das v√°rias precau√ß√Ķes tomadas, por vezes, o roubo n√£o pode ser evitado. H√° muitos casos de arrombamentos da porta ou janelas.
Se você mora em uma casa isolada, uma sugestão a considerar é também fazer bom uso dela cão de guarda. Em caso de má sorte em que a porta deve ser aberta ou fechada internamente, é necessário chamar imediatamente a polícia através do 113.

Como o crime de roubo em casa é punido

Em caso de roubo em casa o culpado sofrer√° o convic√ß√£o fornecida pelo C√≥digo Penal, que vai de tr√™s para seis anos de pris√£o. O fino de ‚ā¨ 927 a ‚ā¨ 1.500.
o rouboem um sentido mais geral, é o crime descrito pelo artigo 624 o Código Penal, cometido por quem sim posse de coisa móvel outros, subtraindo para aqueles que a possuem, para lucrar para si ou para os outros.

Roubo em casa para defender-se


O crime de roubo em habitação, referido no artigo 624 bis código criminal, é realizado quando, além dos requisitos acima típicos de roubo simples, o impossessamento o bem acontece como resultado deintrodução do autor em um edifício, noutro local destinado, no todo ou em parte, a privado habitação ou nas suas pertinências.
Esta figura criminosa é consumada quando o sujeito, depois de entrar no lugar de residência privada, toma posse da propriedade móvel de outros. Estamos enfrentando um crime complexo, pois consiste no simples roubo e no violação de domicílio.
Com a conduta estabelecida pelo infrator, tanto o herança que o domicílio da vítima.
√Č essencial esclarecer o significado que o legislador atribui ao termo habita√ß√£o privada.
Por ordem de 19 de dezembro de 2016 do tribunal de Supremo Tribunal a quest√£o foi submetida ao escrut√≠nio das Se√ß√Ķes Unidas.
O Supremo Tribunal afirmou o princ√≠pio de direito segundo o qual, para os efeitos do artigo 624 bis do C√≥digo Penal, a no√ß√£o de lugares, tamb√©m destinados ao exerc√≠cio de trabalho ou profiss√£o, em que se realizem, de maneira n√£o ocasional procedimento de vida privada e isso n√£o s√£o aberto um p√ļblico nem acess√≠vel a terceiros sem o consentimento do propriet√°rio.
√Č um caso de crime prosecutable d 'escrit√≥rio e a jurisdi√ß√£o √© do tribunal monocr√°tico.
Antes de nos deter sobre o que hoje é a disciplina de autodefesa para o nosso sistema, é bom esclarecer a diferença entre roubo em casa e o crime de roubo.
Existe o crime de roubo quando o autor subtrai o o que quem detém, através violência ou ameaça um pessoa. A ofensa pode ser configurada mesmo se a violência ou ameaça for usada imediatamente depois o subtraçãoa fim de proteger o posse da coisa ou oimpunidade.
O crime de roubo é punido pelo artigo 628 o Código Penal e a penalidade aplicada vai de quatro idade e seis meses para vinte anos de prisão, com uma multa de 1.032 euros para 3.098 euros.

A legítima defesa

Se, infelizmente, os ladr√Ķes entram na casa na presen√ßa das pessoas que moram l√°, √© necess√°rio n√£o adotar comportamentos imprudentes que poderiam comprometer seriamente sua pr√≥pria seguran√ßa. Autodefesa para proteger o propriet√°rio n√£o √© aconselh√°vel.
A nova lei sobre defesa legítima Atualmente é firme. A provisão com que mudanças deveriam ser feitas para a atual abordagem regulatória permaneceu bloqueada.
Portanto, a defesa DIY ainda é atualmente proibida.

Roubo em casa e autodefesa


Em caso de comportamento ilícito, o risco é enfrentar processos longos e caro para tentar limpá-lo.
Portanto, é preferível, em primeiro lugar para a própria segurança, deixar as armas em paz e simplesmente denunciar o roubo à polícia.
O tema da defesa leg√≠tima permanece no centro das aten√ß√Ķes do p√ļblico ap√≥s os m√ļltiplos eventos noticiosos frequentemente divulgados pela m√≠dia.
Nos perguntamos, de fato, quando nos deparamos com o realização de um crime por parte da vítima e quando o comportamento ilegal pode ser considerado auto-defesa.
Vamos ver o que a lei atualmente representa na defesa legítima e quando você pode se defender sem a intervenção da polícia.
√Č um causa de justifica√ß√£o, ou uma situa√ß√£o que torna legal um comportamento que normalmente seria punido, t√£o qualificado quanto caso de crime.
O facto consumado, nesta hipótese, perde a sua antigiuridicidad e não è punível pela ordem.
A defesa legítima é descrita porart. 52 do Código Penal.

Não é punível quem tenha cometido o fato de ter sido forçado pela necessidade de defender um direito ou o de outros contra o perigo atual de uma ofensa injusta, desde que a defesa seja proporcional à ofensa. Nos casos previstos no primeiro e segundo parágrafos do artigo 614, a relação de proporção a que se refere o parágrafo primeiro deste artigo existe se houver legitimamente presente em algum dos lugares nela indicados uma arma legitimamente mantida ou outro meio adequado para defender-se.:
a) segurança própria ou de outra pessoa;
b) os bens de terceiros ou outros, quando não houver desistência e houver perigo de agressão.
A disposição referida no segundo parágrafo também se aplica se o fato ocorreu em qualquer outro lugar onde uma atividade comercial, profissional ou empreendedora é realizada.
Art. 52 bacalhau. caneta

Para que o fato de crime cometido pela vítima possa permanecer impune deve ser ditado pela necessidade de defender um direito apenas ou outros. Além disso, o ato defensivo deve ser proporcional para o ofensivo. De acordo com a jurisprudência, a proporcionalidade está intimamente ligada ao caso específico e é determinada pela situação de perigo real.
A vida do agressor n√£o pode ser comprometida se ele estiver apenas causando dano √† propriedade. Em caso de viola√ß√£o do princ√≠pio da proporcionalidade entre a defesa e a ofensa, encontra-se no √Ęmbito doexcesso de defesa leg√≠tima que pode ser punido.



Vídeo: auto-defesa-nao-e-crime.mp4