Dedução fiscal de 65% no modelo 730/2019

A dedução fiscal para medidas de poupança de energia de 65% é utilizável, indicando na declaração fiscal, modelo 730/2019, as despesas incorridas.

Dedução fiscal de 65% no modelo 730/2019

65% dedução 730

Entre as despesas que podem ser baixadas no modelo 730/2015 estão as despesas com intervenções de economia de energia, Dedução de 65%. Vamos dar uma olhada em como preencher a declaração de imposto, em particular a Seção IV da Estrutura E Encargos e despesas em relação às intervenções para as quais, até 31 de dezembro de 2015, pode ser utilizada a dedução de 65% Irpef.

Dedução da requalificação de energia: as características gerais

Resumindo as características gerais, lembre-se de que elas podem se beneficiar do Dedução de 65% para intervenções de poupança de energia:

Dedução 65 730 2015

-súbditos que possuem ou mantêm com base em um título adequado (tais como propriedade, outros direitos reais, concessão estadual, arrendamento ou empréstimo) a propriedade sobre a qual as intervenções foram realizadas
•condòmini no caso de intervenções realizadas nas partes comuns do condomínio.
As intervenções admitidas ao alívio fiscal são:
•redesenvolvimento energético de edifícios existentes;
•intervenções no revestimento de edifícios existentes;
•instalação de painéis solares;
•substituição de sistemas de ar condicionado de inverno.
A Lei de Estabilidade de 2015 (Lei nº 190 de 2014) incluiu entre as intervenções que facilitam a 65% também a compra e instalação de sombreamento solar (dentro do limite de 60.000 euros) e sistemas de climatização de inverno equipados com geradores de calor movidos a biomassa combustível (no limite de 30.000 euros).
No entanto, a inclusão destes outros tipos de intervenções é permitida como uma dedução a partir de 1 de janeiro de 2015 e, portanto, não pode ser indicada na declaração de imposto de 2015 que se refere ao período de imposto de 2015.
o Compartilhamento IRPEF admitido como dedução até 31 de dezembro de 2014 é de 65%. O limite máximo de dedução devido deve ser reportado à unidade imobiliária e, portanto, deve ser dividido entre os proprietários ou proprietários da propriedade que participam da despesa, com base no valor efetivamente incorrido.

Documentos necessários para a dedução de 65%

Dedução de poupança de energia 730

o Dedução de 65% é utilizável, indicando as despesas incorridas na declaração de imposto. Em primeiro lugar, o contribuinte deve adquirir os seguintes documentos para poder beneficiar da dedução em causa:
•fatura da empresa que executa o trabalho;
•certificação de um técnico qualificado que certifica a correspondência das intervenções realizadas com os requisitos técnicos exigidos
•certificado de certificação energética (ou qualificação) que contém dados sobre a eficiência energética do edifício e é produzido após a execução das intervenções, de acordo com os procedimentos indicados pelos Municípios ou Regiões
•ficha informativa relativa às intervenções realizadas, contendo os dados de identificação da pessoa que incorreu nas despesas, o edifício onde as obras foram realizadas, o tipo de intervenção realizada e as poupanças de energia obtidas, bem como o respectivo custo, especificando a das despesas profissionais e a quantia usada para calcular a dedução.

Dedução de 65% no modelo 730/2015: como compilá-lo

As despesas para tais medidas de economia de energia devem ser indicadas na forma E do mod. 730/2015, na seção IV Despesas com medidas de economia de energia (dedução de 55% ou 65%), das linhas E61 a E63, que devem indicar as despesas incorridas de 2008 a 2014 para intervenções destinadas à economia de energia dos edifícios existentes, de qualquer categoria cadastral, mesmo rural.
Quem fornece assistência fiscal ao contribuinte calcula a dedução fiscal em um valor igual a:
-55% para despesas incorridas de 2008 a 2012 e de 1 de janeiro a 5 de junho de 2013;
-65% para despesas incorridas de 6 de junho de 2013 a 31 de dezembro de 2014.
Para as despesas incorridas de 2011 a 2014, a dedução é dividida em dez parcelas anuais do mesmo montante (dentro do limite máximo estabelecido para cada tipo de intervenção realizada) por aqueles que prestam assistência fiscal.

Como compilar as linhas de E61 a E63

dedução 65

-Column 1 Tipo de intervenção. Deve indicar o código que identifica o tipo de intervenção realizada. Esses códigos são: 1 para o redesenvolvimento energético de edifícios existentes (como a substituição ou instalação de sistemas de ar condicionado de inverno também com geradores de calor sem condensação, com bombas de calor, com permutadores de calor para aquecimento urbano, com caldeiras de biomassa, centrais de cogeração, regeneração, plantas geotérmicas e intervenções de isolamento que não possuem as características necessárias para sua inclusão nas intervenções descritas nos parágrafos seguintes, aquecimento, produção de água quente, intervenções em estruturas horizontais opacas, como telhados e pisos); 2 para intervenções no alojamento de edifícios existentes (fornecimento e instalação de material isolante, material vulgar, novas janelas incluindo caixilhos de janelas, melhoria térmica dos componentes envidraçados existentes, demolição e reconstrução do elemento de construção, desde que os requisitos exigidos sejam cumpridos de transmitância térmica U, expresso em W / m2K); 3 instalação de painéis solares (também feitos em autoconstrução, caldeiras, acessórios e componentes elétricos e eletrônicos utilizados para a produção de água quente sanitária); 4 substituição de sistemas de ar condicionado de inverno (estes são a substituição, integral ou parcial, de sistemas de ar condicionado de inverno existentes com sistemas equipados com caldeiras de condensação e configuração contextual do sistema de distribuição).
- Coluna de 2 anos: o ano em que as despesas foram incorridas deve ser indicado;
- Coluna 3 do Período 2013: esta coluna deve ser preenchida apenas se as despesas foram incorridas em 2013 (os códigos a serem usados ​​são 1 para despesas incorridas entre 1 de janeiro e 5 de junho de 2013, para as quais deduz-se uma dedução à Irpef de 55% e 2 para despesas incorridas de 6 de junho a 31 de dezembro de 2013 para as quais dedução de uma dedução de 65% é deduzida);
-Coluna 4 Casos especiais: o código deve ser indicado 1 no caso das despesas incorridas para obras iniciadas entre 2008 e 2013 e ainda em curso em 2014, o código 2 no caso em que as despesas incorridas em anos anteriores a 2014 dizem respeito a uma propriedade herdada, comprada ou recebida como um presente em 2014; o código 3 se ambas as hipóteses descritas pelos códigos estiverem presentes 1 e 2;
-Coluna 5 Período 2008 - Redeterminação das parcelas: que de 2009 a 2014 comprou, recebeu como presente ou herdou uma propriedade, objeto de trabalho durante 2008, se ele redeterminou ou pretende redefinir o número de parcelas escolhidas por aqueles que incorreram nas despesas, indica nesta coluna o número de parcelas em que a dedução foi alocada inicialmente;
- Coluna 6 Ratiozione: o número de parcelas em que a dedução deve ser distribuída deve ser indicado e, especificamente: 10 se as despesas foram incorridas de 2011 a 2014; 5 se as despesas foram incorridas em 2010; entre 3 e 10 se as despesas foram incorridas em 2008;
Número da parcela -Column 7: indicar o número da parcela que o contribuinte utiliza no ano de 2014;
Quantidade de Despesas da Coluna 8: deve ser indicado o montante das despesas incorridas dentro dos limites específicos para a reconversão energética de edifícios existentes (181 818,18 EUR para despesas incorridas até 5 de junho de 2013 e 153 846,15 EUR para despesas incorridas desde 6 de junho de 2013 até 31 de dezembro de 2014), para intervenções na habitação de edifícios existentes e instalação de painéis solares (109.090,90 euros para despesas incorridas até 5 de junho de 2013 e 92 307,69 euros para despesas incorridas de 6 de junho de 2013 a 31 de Dezembro de 2014), para a substituição de sistemas de ar condicionado de inverno (54.545,45 euros para despesas incorridas até 5 de junho de 2013 e 46.153,84 euros para despesas incorridas de 6 de junho de 2013 a 31 de dezembro de 2014).

Dedução de 65% no mod. 730 pré-compilados

A partir deste ano, entra em vigor uma notícia muito importante para os contribuintes, declaração de imposto de renda pré-completada. Dizem que ela é pré-compilada porque é a Agência de Receitas que disponibiliza on-line, em uma área dedicada de seu site institucional, a declaração de impostos dos contribuintes em que algumas despesas já estão indicadas. Entre estes, também encontramos os custos para a construção de reformas e para o redesenvolvimento de energia que estão incluídos no pré-compilado 730 de 2015 somente se eles já estavam presentes na declaração de imposto do ano passado e, portanto, para obras iniciadas antes de 2014. Caso contrário, o modelo pré-compilado terá que ser integrado.



Vídeo: