Tasi: modelo de declaração única

O modelo de declaração Tasi deve ser único a nível nacional, bem como para a IMU, de acordo com a Resolução 3 / DF 2019 da Secretaria da Fazenda.

Tasi: modelo de declaração única

Declaração Tasi

Declaração Tasi

o Declaração Tasi, o imposto sobre os serviços municipais indivisíveis deve ser apresentado até 30 de junho do ano seguinte ao início da posse das propriedades ou mudanças foram feitas para dados já declarados, com base em um único modelo a nível nacional, de aprovar com um decreto especial do Ministério da Economia e Finanças.
Os municípios individuais não podem, portanto, emitir modelos diferentes daqueles estabelecidos pelo governo central, mas apenas têm a obrigação de disponibilizá-lo aos contribuintes. Para estabelecer o Departamento de Finanças com a resolução n. 3 / DF de 25 de março de 2015, criticada pela Fundação IFEL segundo a qual, em vez disso, os municípios podem adotar modelos diversificados para cumprir a declaração Tasi.
Vamos tentar entender melhor os termos da questão, aguardando mais esclarecimentos pelo Ministério da Economia.

Declaração Tasi: quando deve ser apresentado

A Lei de Estabilidade de 2014 (Lei 27 de dezembro de 2013, No. 147) no Artigo 1, parágrafo 639, introduz o IUC (Tributária Unica Comunale) que é composta pelo próprio Imposto Municipal (IMU), de natureza patrimonial, devida ao proprietário de imóveis, excluindo as principais moradias, e um componente referente aos serviços, que se divide em dois casos tributários:
-o TASI, um imposto municipal sobre os serviços indivisíveis suportados tanto pelo proprietário como pelo usuário do edifício
•o TARI, o imposto sobre os resíduos destinados a financiar os custos do serviço de recolha e eliminação, a ser pago pelo utilizador do edifício.
Algumas disposições relacionadas a esses impostos são comuns, como aquelas relacionadas a obrigações declaratórias.
Quanto à IMU, também para o Tasi, é necessário apresentar uma declaração ao Município no caso de:
• posse de imóveis não conhecidos pelo Município
• alterações e modificações dos dados já declarados que envolvem um valor diferente do imposto.
O prazo para apresentar o Declaração Tasi (também a declaração IMU) é 30 de junho do ano seguinte ao ano em que a posse começou ou ocorreram mudanças. Além disso, a validade da declaração é produzida nos anos seguintes à apresentação, desde que não ocorram novas variações dos dados declarados. Neste caso, o prazo para apresentação da declaração é sempre 30 de junho do ano seguinte.

Formulário de declaração Tasi

Modelo de declaração Tasi

A declaração deve ser apresentada com base num modelo específico. Para a IMU, este modelo de declaração foi aprovado com o Decreto Ministerial de 30/10/2012 prot. 23899, publicado no Diário Oficial n. 258 de 5/11/2012.
Para o Declaração Tasi em vez disso, muitos Municípios trabalharam para a adoção de modelos diferentes.
Com base nisso, o Departamento de Finanças interveio com o resolução n. 3 / DF de 25 de março de 2015, afirmando que o uso de diferentes formas para cada município em relação à obrigação de declaração referente ao TASI, poderia gerar confusão, especialmente para aqueles que possuem edifícios localizados em diferentes áreas municipais, também dada a impossibilidade de preparar um único software para todo o território italiano.
Com base nestas considerações, o Departamento de Finanças especificou que o modelo de declaração para os propósitos de Tasi é somente aquele adotado pelo Ministério da Economia e os municípios individualmente têm exclusivamente o ônus de disponibilizá-lo aos contribuintes que possuem propriedade.
Portanto, se um único modelo de declaração nacional for usado para a IMU, o mesmo se aplica ao Tasi.
Assim, lemos na resolução: É claro que mesmo o modelo de declaração TASI, emitido de acordo com os procedimentos acima mencionados, deve ser único e válido em todo o território nacional, nem as regras que regem os regulamentos tributários podem ser encontradas dentro dos regulamentos gerais. autonomamente modelos de declaração sobre o TASI, que, entre outras coisas, entraria em conflito com os princípios de simplificação administrativa das obrigações dos contribuintes, já realizadas com a IMU.

Declaração Tasi: a nota do IFEL

Tasi

As disposições do Departamento de Finanças, no entanto, foram criticadas pela Fundação IFEL (Instituto de Finanças e Economia Local), que em uma nota aprofundada de 27 de março de 2015, argumentou que os argumentos apresentados na resolução no. 3 / DF não parecem estar em conformidade com o quadro regulamentar relevante.
De acordo com oIFEL As municipalidades devem regular a declaração de Tasi, similar às provisões do Tari. No caso em que um único modelo declarativo nacional é considerado necessário, é urgentemente necessário introduzir uma alteração regulamentar que demarque expressamente a adoção deste modelo a um decreto ministerial, de forma a permitir que os contribuintes cumpram atempadamente no final dos próximos 30 anos. junho.
A disputa é aberta e, como tal, espera-se uma nova intervenção regulatória que esclareça de uma vez por todas qual modelo deve ser usado para a declaração Tasi: se um único no nível nacional ou muitos modelos municipais, como está previsto atualmente para o Tari.



Vídeo: Como decorar uma sala pequena