A suspensão dos serviços de condomínio

O condomínio moroso, além da ação legal, também pode estar sujeito a essa disposição destinada a não permitir que ele aproveite alguns serviços comuns.

A suspensão dos serviços de condomínio

Serviços comuns de condomínio

O que deve ser entendido por serviços comuns em condomínio?

Serviços Condominiais

A definição comumente aceita de serviço é a de trabalho que se presta a retribuição em favor de uma pessoa que não seja aqueles que emprestam.
Clássico é o exemplo de Tizio que limpa a sala Caio.
o serviçoassim entendido, pode assumir diferentes conotações legais: o porteiro de um prédio, sem dúvida, presta um serviço aos proprietários do prédio, mas seu trabalho pode ser enquadrado no contexto de relações de trabalho subordinadas, ao contrário do serviço de limpeza que, Dependendo do caso, isso pode ser atribuído ao escopo do contrato ou à prestação de serviços.
No condomínio com o localização de serviços comuns deve ser entendido não apenas a atividade realizada imediatamente no edifício, mas também o uso de alguns bens.
Pense em tudouso do elevadorágua potável, aquecimento central e qualquer outro bem comum e serviço.
Comparado com serviços condominiais comuns assim definido, oadministrador tem duas tarefas principais:
a) garantir a cada condomínio o melhor uso de serviços;
b) cobrar as taxas e pagar os custos relacionados com eles (ver artigo 1130 do Código Civil).
É óbvio que o cumprimento correto não pode ser separado da colaboração leal dos condomínios, que é baseado no pagamento pontual de encargos do condomínio; no entanto, deve-se dizer que a lei coloca uma série de deveres e poderes sobre o administrador para lidar com qualquer situação de sofrimento.

Morosidade Condominial

Pague o despesas de condomínio é uma obrigação que surge do fato de serem proprietários de uma unidade imobiliária de condomínio.

Suspensão de serviços de condomínio

L 'medida exata da obrigação contributiva está contido nas estimativas e nas contas finais que no início e no final do ano de gestão (melhor dentro de 180 dias após o seu encerramento) o administrador deve apresentar a reunião para discussão e aprovação.
Basicamente todo condomínio, aprovando o citação sabe que, para o atual ano de gestão, deve pagar X; aprovar o tuberculoso, saberá que àquele X deve ser adicionada uma diferença (assim chamada equilíbrio para dar) ou que, em vez disso, pagou mais do que o necessário e deve ser reconhecido como uma quantia em dinheiro.
Se durante o ano o condomínio não corresponder ao valor devido o administrador pode, e dentro de certos termos deve, iniciar umação legal para recuperação de crédito em direção a ele.
É claro sobre o pontoart. 1129, nono parágrafo, c.c. que diz:
A menos que expressamente dispensado pela assembléia, o conselheiro é obrigado a atuar pela cobrança forçada dos valores devidos pelos devedores no prazo de seis meses após o encerramento do exercício em que o crédito estiver incluído, também nos termos do artigo 63, primeiro parágrafo das disposições relativas à aplicação deste código.
É útil lembrar que, de acordo comart. 63, primeiro parágrafo, att. código comercial.
Para a arrecadação de contribuições com base no estado de distribuição aprovado pela reunião, o administrador, sem a necessidade de autorização deste, pode obter uma ordem de injunção imediatamente [...].
Em essência: passou seis meses sem pagar, o condomínio pode ter certeza de que o administrador entregará (provisoriamente, jargão jurídico) uma liminar provisória: para obter esta provisão, de fato, é suficiente que a assembléia tenha aprovado o orçamento ou o saldo final e os planos relacionados colocação.

Não pagamento e interrupção de serviços

Às vezes, uma força mais dissuasiva de uma ordem de pagamento pode suspensão do gozo de um determinado serviço.
O legislador sabe que, al terceiro parágrafo do art. 63 Disponível att. código comercial., previu que:
Em caso de inadimplência no pagamento de contribuições que durou um semestre, o administrador poderá suspender o acionista inadimplente do uso dos serviços comuns suscetíveis de usufruto separado.
Em comparação com a mesma regra em vigor antes do chamado reforma do condomínio, a referência ao regulamento do condomínio foi eliminada.
em resumo antes de 18 de junho de 2013 (data de entrada em vigor da reforma) a suspensão do serviço só poderia ocorrer se expressamente previsto no regulamento do condomínio.
atualmentepor outro lado, enquadra-se nas prerrogativas do administrador, colocando as despesas necessárias para isso contra o condomínio inadimplente.
Note, no entanto, que de acordo com os primeiros juízes que estão pronunciando sobre o assunto, a suspensão de serviços não é possível quando estes são bens primários, como, por exemplo, aquecimento (cf. Trib. De Milão ord. 24 de outubro de 2013).



Vídeo: Como abrir uma empresa de prestação de serviços? -- Sevilha Contabilidade