Substituição de hipoteca: o que é isso?

Por que iniciar o procedimento de sub-rogação de hipotecas? Vamos ver quais são os benefícios, como funciona, os custos e como ativar a prática

Substituição de hipoteca: o que é isso?

Substituição de hipoteca: quais são as vantagens

Isso pode acontecer, depois de estipular empréstimo, deixar de estar satisfeito com as condições aplicadas, uma vez que já não são consideradas vantajosas como antes.
A taxa de juros aplicada em anos anteriores pode não ser mais conveniente hoje.
o sub-rogação ou sub-rogação do empréstimo, introduzido pela Lei de Bersani com o financeiro de 2007, é um mecanismo que permite ao consumidor aproveitar as melhores taxas de juros do mercado e obter economias consideráveis. Com a sub-rogação da hipoteca, muitas vezes definida também portabilidade da hipoteca, então existe a possibilidade de transferir o empréstimo hipotecário em outra instituição de crédito que ofereça melhores condições.

Hipoteca e sub-rogação

Por que transferir uma hipoteca para outro banco?

Ao longo do tempo, as características da hipoteca subscrita podem deixar de estar de acordo com as suas necessidades ou simplesmente tomar conhecimento das ofertas mais vantajosas oferecidas pelos bancos aos seus clientes.
Esta oportunidade também tem efeitos no mercado imobiliário, contribuindo para um aumento na demanda por empréstimos por famílias italianas.
De fato, entre os fatores que fazem com que um número crescente de pessoas contrate uma hipoteca, há certamente a possibilidade de transferi-la ao longo do tempo de um banco para outro.
Deve-se enfatizar, logo de cara, que essa operação não é apenas possível, mas é também livre.
Abaixo, formamos um breve guia que permite ao leitor entender o funcionamento da sub-rogação da hipoteca, a fim de entender quando este procedimento pode ser considerado conveniente.
É bom, de fato, antes de começar a prática, ter claro quais são os direitos e deveres das partes e, mais geralmente, o que será contra.

Substituição de hipoteca: o que a lei diz

A partir do significado da palavra sub-rogação ou sub-rogação, especificamos que, de acordo com a lei, com essa expressão, é feita referência ao subingresso de um terceiro na posição legal tomada pelo credor contra o devedor.
artigo 1202 do Código Civil afirma que:

O devedor, que empresta uma quantia em dinheiro ou outros bens fungíveis para pagar a dívida, pode substituir o credor pelos direitos do credor, mesmo sem o consentimento do credor. A sub-rogação entra em vigor quando as seguintes condições são satisfeitas: 1) que o empréstimo e os recibos são confirmados por escritura com data certa 2) que a finalidade específica do montante emprestado está expressamente indicada na escritura de empréstimo; 3) que o recibo deve mencionar a declaração do devedor sobre a origem do montante utilizado no pagamento. A pedido do devedor, o credor não pode recusar-se a incluir esta declaração no recibo. Artigo 1202 do Código Civil

É melhor explicar as condições necessárias, de acordo com a disposição normativa, para que o substituto seja válido. Existem três condições que devem ser atendidas.
No ato da hipoteca, o destino da soma emprestada deve ser especificado.
O recibo do credor deve indicar a declaração do devedor relativa à origem do dinheiro utilizado para liquidar a dívida.
A escritura do empréstimo e o recibo devem ter uma determinada data e, em particular, a escritura do empréstimo deve ter sido estipulada simultaneamente ou com uma data anterior ao cumprimento da obrigação.

Hipoteca mútua


Também vale a pena mencionar Lei Bersani (Lei 40/20017). Com base no artigo 8º sobre a portabilidade do empréstimo, especifica-se que:

1. No caso de um empréstimo, abertura de crédito ou outros contratos de financiamento por bancos ou intermediários financeiros, a impossibilidade de cobrar o crédito ou a estipulação de um prazo a favor do credor não impede o devedor de exercer o direito. Artigo 1202 do Código Civil.
2. Na hipótese de sub-rogação, nos termos do parágrafo 1, o substituto credor substitui nas garantias acessórias e pessoais, no crédito substituto. A anotação de sub-rogação pode ser solicitada ao conservador sem formalidades, anexando uma cópia fiel da escritura de contrato assinada por escritura pública ou escritura particular.
3. Qualquer acordo é nulo e sem efeito, mesmo após a celebração do contrato, com o qual a faculdade de sub-rogação referida no n.º 1 é impedida ou onerosa para o devedor, sendo que a nulidade do contrato não implica a nulidade do contrato.
4. A sub-rogação pela vontade do devedor referida neste artigo não implica a perda de benefícios fiscais.
4-bis. Na hipótese referida no parágrafo 2, o imposto substitutivo a que se refere o Artigo 17 do Decreto Presidencial de 29 de setembro de 1973, n. 601, nem os impostos indicados no artigo 15 do mesmo decreto.
4-ter. O encargo decorrente da aplicação do n.º 4-bis, avaliado em 2,5 milhões de euros por ano a partir de 2007, é executado através de uma redução correspondente do orçamento atribuído, para efeitos do orçamento trienal 2007-2009, no âmbito do unidade de previsão da actual secção "Fundo Especial" das estimativas do Ministério da Economia e Finanças para o ano de 2007, para o efeito de utilizar parcialmente, por 2,5 milhões de euros para o ano de 2007 e a partir do ano de 2009, a provisão referente ao mesmo Ministério e, por 2,5 milhões de euros para o ano de 2008, a provisão relativa ao Ministério da Solidariedade Social.
4-C. O Ministro da Economia e Finanças acompanha as despesas decorrentes da aplicação do n.º 4-bis, também para efeitos da aplicação do n.º 7 do artigo 11.º-ter da Lei de 5 de Agosto de 1978, n. 468, conforme alterada, e transmite às Câmaras, acompanhadas de relatórios apropriados, quaisquer decretos emitidos de acordo com o artigo 7, segundo parágrafo, número 2) da lei supracitada nº. 468 de 1978. O Ministro da Economia e Finanças está autorizado a fazer, por decreto, as mudanças necessárias no orçamento. Artigo 8 Lei Bersani

Vimos que quando falamos de sub-rogação do empréstimo hipotecário, nos referimos ao procedimento com o qual fazemos transferências em um novo banco, o empréstimo anteriormente obtido de outro banco, com a vantagem de manter a hipoteca da hipoteca antiga. O que acontece ao iniciar este procedimento?
Com a subentrada do novo banco terá a oportunidade de redefinir as condições do empréstimo, ou o montante do empréstimo prestação, taxas de interesse e eis propagação.
Você pode finalmente modificar o duração do plano amortização, com o efeito final de poder rever o montante do que é pago mensalmente ao banco, obtendo poupanças significativas.
Para dar um exemplo, podemos passar, levando em conta a situação do mercado e sua condição econômica, por um taxa fixa para um taxa variável ou misto e vice-versa.
O Banco A, com o qual a primeira hipoteca foi estipulada, transfere o contrato de empréstimo para o banco B, que substitui a posição do credor. Este último equilibra a dívida residual do poupador e define com ele as novas condições a serem aplicadas. A hipoteca com o novo banco terá um valor igual ao empréstimo residual, correspondente à quantia que ainda não foi paga.
A sub-rogação, de fato, permite ao devedor extinguir a primeira hipoteca.
Um aspecto importante é que oextinção cedo da hipoteca pode ocorrer sem penalidades.
Após a sub-rogação, o novo banco substitui a hipoteca existente que garantiu a hipoteca substituída.

Quais são os custos da sub-rogação de hipotecas?

Em relação a qualquer custos Para ser apoiada, a boa notícia é que a sub-rogação da hipoteca não envolve qualquer despesa para o mutuário, com base nas disposições da Lei nº. 40 de 2 de abril de 2007 (Decreto Bersani). As despesas do notário, assim como as do banco (investigações, perícia e apólices de seguros em caso de explosão e incêndio), serão suportadas pela instituição de crédito que toma a hipoteca. A hipoteca da propriedade também é transferida sem custos.

O procedimento para solicitar a sub-rogação do empréstimo

Vamos começar dizendo que a transferência do empréstimo pode ser solicitada por qualquer um que tenha ativado um empréstimo e pretenda levá-lo a um banco que ofereça condições econômicas mais vantajosas. O primeiro passo é adquirir os corretos informação: o devedor deve ter o conhecimento necessário sobre o condições ofertas de mercado.
Quando se quer prosseguir com a sub-rogação do empréstimo, um aspecto que não deve ser esquecido é uma análise minuciosa da comparação entre bancos, para avaliar as condições mais convenientes, levando em conta as diversas propostas no mercado.

Substituição de hipoteca


Para poder começo o prática Em primeiro lugar, o titular da hipoteca deve informar seu banco da decisão de transferir o empréstimo para outro banco.
Você também terá que ir ao ramos de novo banco enviar o pedido de sub-rogação e poder iniciar a prática o quanto antes. Os formulários a serem preenchidos estão disponíveis no escritório do banco.
É especificado que o banco anterior é realizada para aceitar o pedido.
O novo banco, no entanto, não tem obrigação para com o requerente.
Irá proceder à avaliação do pedido do devedor, informando sobre o dívida residual e entrar em contato diretamente com o banco original. Em caso de aceitação pela instituição de crédito, será estipulado um novo contrato de empréstimo, que terá como objeto o valor do empréstimo residual junto ao banco anterior.
O parcelamento será estabelecido e o cliente será obrigado a pagar as prestações do empréstimo nas condições definidas com o novo banco, encerrando qualquer relação contratual com o banco anterior. Este último não pode, de forma alguma, opor-se ao procedimento solicitado ou cobrar custos adicionais.
Há momentos a serem respeitados.
o passagem do empréstimo do antigo para o novo banco deve ocorrer dentro de 30 dias.
Uma vez que a passagem tenha ocorrido, a escritura notarial será realizada pelo próprio banco sem qualquer encargo para o cliente.
Distinguir-se da sub-rogação da hipoteca é a prática de renegociação hipoteca que está em caso de acordo com a instituição de crédito anterior visando alterar as condições atuais.

Quais documentos são necessários para fazer a sub-rogação?

Para iniciar a prática de sub-rogação de hipotecas, é essencial apresentar algumas papers. Vamos ver o que:

  • cópia autêntica do contrato de empréstimo estipulado com o banco anterior;
  • cópia da nota de registro de hipoteca;
  • cópia do documento de identidade e código fiscal do titular ou titular da hipoteca;
  • documento de identidade de qualquer fiador;
  • certificação do estado civil das partes interessadas;
  • documentos contendo dados cadastrais, plantas e levantamentos de terrenos.

Quantas vezes é possível pedir sub-rogação?

Não há limites reais estabelecidos por lei para solicitar a sub-rogação da hipoteca com outros bancos. Em qualquer caso, são os credores que tendem a colocar restrições de fato. Diante de um cliente que não é considerado confiável para substituições anteriores e repetidas, eles preferem negar a sub-rogação.



Vídeo: Posso trocar meu imóvel sem quitar o financiamento?