As escadas no condomínio são de todos, se a escritura de compra não é contrária

Escadas em um condomínio devem sempre ser consideradas partes comuns a todos os condomínios, a menos que de outra forma estipulado nas escrituras de compra.

As escadas no condomínio são de todos, se a escritura de compra não é contrária

Scale in condominio

A história que vamos contar, sobre o escadas do condomínio, é significativo o que significa o termo condomínio.
Não só isso, mas também do que pode e em que condições pode ser considerado parte da propriedade exclusiva.
Vamos ver mais de perto a razão para estas declarações.

Fechamento da escada

Edifício de dois andares; no primeiro vivem Tizio e Caio, no segundo Sempronio.
Este último, como único, eficaz, usuário do lance de escadas que a partir do primeiro andar leva a sua unidade imobiliária, ele decide fazer algumas obras.
Em particular, o Sempronio faz instale uma porta e realizar trabalhos de alvenaria naquela parte das escadas imediatamente após o primeiro andar.
Gaio não está lá e decide processá-lo para obter, como se diz no jargão, o remissão em estado puro dos lugares.
Basicamente, segundo ele as escadas, além do fato de que ele no condomínio não tem mais imóvel para sua casa, deve ser considerado condominio por toda sua extensão.
Sempronio não concordou que, para defender seu trabalho, ele estava se referindo ao função dessa parte de um edifício.
Na prática de acordo com o executor das obrasjá que aquela parte da escada era usada exclusivamente por ele, de acordo com o que a jurisprudência dizia, não precisavam ser considerados condomínios.
o causa entre Caius e SemproniusPara além destes nomes fantasia, é real e atingiu o Supremo Tribunal de Cassação.
Antes de examinar o resultado da história, vale a pena observar o que a Cassação nas escadas geralmente diz?.

Propriedades de escadas do condomínio

Scale condominiali

Jurisprudência, quando foi chamado para pronunciar nas escadas ele afirmou que eles, como os componentes essenciais dos desembarques, elementos necessários para a configuração de um edifício dividido por pisos ou porções de piso em propriedade exclusiva e um meio indispensável para aceder ao telhado ou terraço, também para garantir a sua conservação, tais bens ter a natureza de bens comuns nos termos do art. 1117 bacalhau civ., também em relação aos condomínios donos das lojas com acesso pela rua, interessando-se também em utilizar as escadas, e depois os desembarques, pois estão interessados ​​na conservação (e manutenção) do telhado do prédio que também desfrutam ( ver ponto 761/79) (Bem Cass. 10 de julho de 2007 n. 15444).
O mesmo vale para a parte final da escada, ou seja, os corredores que levam às unidades imobiliárias individuais.
Sempre de acordo com o Supremo Tribunalde fato a configurabilidade do condomínio parcial é excluída para a parte final do corredor, uma vez que esta parte não tem autonomia em relação à parte frontal do corredor, pelo menos como um volume de espaço e ar, bem como de um ponto de vista estético. (Cass. 10 de outubro de 2007, n. 21246).

Últimas notícias da jurisprudência na balança

Vamos voltar para o uns aos outros falamos sobre no começo do artigo
De acordo com o stoats, Semprônio errou ao considerar que parte da escada objeto das obras contestadas fazia parte de sua propriedade exclusiva.
Errado como tal entendimento também deveria ser considerado o referência à jurisprudência feito para justificá-los.
É lido na sentença que resolveu o caso a referência à jurisprudência segundo a qual o cc.dd é completamente irrelevante presunção legal de propriedade, conforme estabelecido pelo art. 1117 bacalhau civ. é menos, além do efeito de um título contrário, quando é uma questão de coisas que servem ao desfrute exclusivo de uma parte do condomínio que constitui o objeto de um direito de propriedade independente.
Este princípio, de fato, abstratamente válido na hipótese de que as características estruturais presentes, bem como funcionais, excluindo o uso e o desfrute comum, não podem ser invocadas com referência àquelas estruturas essenciais, especificamente listadas em n. 1 do referido artigo, que condiciona a própria existência do prédio a cuja conservação, portanto, todos os condomínios estão interessados, independentemente do uso concreto que todos possam fazer deles.

Scale comuni

Então, digamos que das escadas e, mais importante, da única escadaria do edifício dividido por andares, já que, como é evidente, o fato de que as partes destinadas a chegar aos andares superiores não são normalmente utilizadas pelos condomínios dos andares inferiores não assumir qualquer significado para excluir a propriedade comum de toda a estrutura unitária do último, o que torna alegado o fato de que no presente caso não havia acesso ao telhado da galeria do segundo andar.
A presunção do art. 1117 bacalhau civ. só pode ser ganho pelo teste de título (Cass. 21 de fevereiro de 2013, n. 4419).
em resumo as escadas de um prédio em um condomínio eles são sempre de todos, se não for dito o contrário.



Vídeo: Janela aberta para o vizinho (Aberturas para o lote vizinho)