Tamanhos luminotécnicos

A renderiza√ß√£o de cor e a efici√™ncia luminosa est√£o entre os principais fatores que descrevem as caracter√≠sticas de qualidade de desempenho e consumo de uma l√Ęmpada.

Tamanhos luminotécnicos

Espectro luminoso

a ilumina√ß√£o de um edif√≠cio, interno e externo, tem uma import√Ęncia consider√°vel, tanto em termos de conforto prestado √†s pessoas que ocupam os v√°rios ambientes como em termos econ√īmicos, particularmente em rela√ß√£o ao consumo, o que pode afetar significativamente o gasto total de energia edif√≠cios e t√™m um impacto importanteambiente em termos de emiss√£o de CO2.
o par√Ęmetros fundamentais para caracterizar tecnicamente uma l√Ęmpada s√£o: a pot√™ncia, o fluxo luminoso, a ilumin√Ęncia, a intensidade luminosa, a temperatura de cor, o √≠ndice de reprodu√ß√£o de cor, a efici√™ncia luminosa e a vida √ļtil da l√Ęmpada.

Par√Ęmetros de ilumina√ß√£o

o poder expresso em watt, descreve brevemente a quantidade de eletricidade absorvida por segundo pela l√Ęmpada.
o fluxo luminoso descreve a quantidade de energia luminosa emitida a partir da l√Ęmpada por segundo e √© expressa em Lumen, lm.
L 'ilumin√Ęncia a l√Ęmpada, expressa em lux, descreve a quantidade de fluxo luminoso que afeta uma superf√≠cie de um metro quadrado.

A intensidade luminosa, expressa em cd candle, descreve a intensidade da luz emitida pela l√Ęmpada em uma dire√ß√£o espec√≠fica.

lux

A dura√ß√£o de uma l√Ęmpada √© definida, as condi√ß√Ķes de ensaio especificadas, medindo o n√ļmero de horas ap√≥s as quais metade de um lote de l√Ęmpadas deixa de funcionar.
Os graus kelvin, K, expressam a temperatura de cor para uma certa radia√ß√£o de luz, ou seja, a temperatura que um corpo negro deve ter para que a radia√ß√£o de luz emitida por este √ļltimo seja cromaticamente similar √† radia√ß√£o considerada.
L '√≠ndice de reprodu√ß√£o de coresRa, entre 0 e 100, descreve a capacidade da radia√ß√£o de luz emitida por uma l√Ęmpada para fazer os objetos parecerem iluminados por luz natural.
L 'efici√™ncia luminosa expressa a rela√ß√£o entre a energia luminosa emitida por uma l√Ęmpada por unidade de tempo e a energia el√©trica absorvida e expressa em lm / W.
L 'ilumin√Ęncia m√©dia de refer√™ncia ambientes dom√©sticos e de trabalho √© definido por v√°rias normas que fazem parte da norma UNI EN 10380; as normas em geral, e de forma compat√≠vel com as atividades realizadas nas salas, sugerem a cria√ß√£o, nessas ilumina√ß√Ķes uniformes, caracterizadas por varia√ß√Ķes limitadas entre ambientes comunicantes.

100

L 'ilumina√ß√£o geral m√≠dia refer√™ncia pode ter valores da ordem de 100/150 lux, que pode ser alargado para 200 lux em ambientes onde existem necessidades espec√≠ficas, tais como salas de jantar ou quartos com espelhos e arm√°rios, enquanto que nas salas de estudo e / ou leitura os valores de ilumina√ß√£o sugeridos s√£o da ordem de 500 lux; √Č bom ressaltar que lux pode ser definido de acordo com uma superf√≠cie de refer√™ncia que pode ser o piso, uma mesa, uma mesa etc.
As fontes de luz com as quais obter os valores de iluminação acima mencionados devem geralmente valores médios de temperatura de cor da ordem de 3000K e índices de reprodução de cor não menos de 90.
Entre os fatores peculiares aos ambientes que queremos iluminar,orientação geográfica do mesmo, para maximizar a exploração da luz natural, e a escolha de tonalidades das paredes que, se de cor clara, amplificam os efeitos de reflexão da luz artificial reduzindo o consumo.



V√≠deo: Pot√™ncia de ilumina√ß√£o por c√īmodo! C√°lculo e luminot√©cnica!