Forma Shell

O correto funcionamento de uma cobertura origina-se do conhecimento correto das características relacionadas à sua forma e geometria que orientou sua origem.

Forma Shell

Capas contínuas e descontínuas

Tampas da abóbada

As capas de edifícios, de acordo com a norma UNI 8178, que analisa e discrimina as mesmas capas com base na sua própria elementos funcionais, pode ser classificado de acordo com duas macrofamílias principais: coberturas contínuas e coberturas descontínuas.
para capas contínuas queremos dizer aqueles cuja camada de vedação, a que protege o telhado dos elementos, garante a impermeabilidade com um sistema sem solução de continuidade e independentemente da inclinação da mesma cobertura.
Como resultado, ao se referir ao cobertura descont√≠nua estamos falando de elementos constru√≠dos que garantem o escoamento da √°gua da precipita√ß√£o atmosf√©rica principalmente gra√ßas a um espec√≠fico declive das pr√≥prias coberturas, cuja camada de veda√ß√£o √©, conseq√ľentemente, obtida pela superposi√ß√£o de v√°rios elementos, portanto com pontos de descontinuidade.

Morfologia de coberturas descontínuas

A casu√≠stica do tipos de cobertura v√™ na fam√≠lia das coberturas descont√≠nuas uma maior variedade de cont√≠nuas, isto porque os sistemas descont√≠nuos garantem maior funcionalidade passiva, ligada, isto √©, √† vertente de seus elementos, para o descarte de precipita√ß√Ķes atmosf√©ricas, contando comefeito da gravidade.
Em v√°rias latitudes do mundo, ao longo dos s√©culos e de acordo com culturas e tradi√ß√Ķes que o tempo mudou, fortaleceu ou revolucionou, a amostra de capas descont√≠nuas tem se expandido constantemente, abrangendo gradualmente tipologias nas quais geometrias eles variaram com as varia√ß√Ķes do t√©cnicas de constru√ß√£o. O resultado √© uma s√©rie de formas, nascidas da combina√ß√£o de fun√ß√£o e inspira√ß√£o, que se tornaram reconhec√≠veis at√© para o profano, √© que elas s√£o a forma da hist√≥ria da cidade.

Telhado plano com cabeças de quadril

Quanto a i telhados inclinados, os tipos mais comuns s√£o: o telhado monofalda, em que, na verdade, o teto √© composto por um √ļnico passo plano com inclina√ß√£o constante; o telhado a duas abas, em que dois elementos planos com inclina√ß√Ķes opostas, e n√£o necessariamente iguais, s√£o unidos na parte superior (crista); os telhados a armou com cabe√ßas de pavilh√£o, onde o teto √© composto de quatro camadas, das quais duas (as maiores) s√£o opostas e conectadas √† crista e as outras duas, de dimens√Ķes menores, tamb√©m s√£o opostas, mas n√£o se tocam; o telhado a pavilh√£o, cobrir em edif√≠cios poligonal multi-lados, com tantas abas como os lados e todos juntos em um v√©rtice.
Outro tipo de hedge, também historicamente bastante difundido, é o de telhados abobadados, cuja base geométrica, em seção transversal, é um arco de um círculo ou semicírculo, característica que pode representar um problema onde o arco de círculo no qual o telhado é construído é muito apertado, pois, na ausência de altura física e real, poderia haver um ponto com quase nenhuma inclinação na crista hipotética.

Coberturas Abobadadas

Uma solução possível é alcançada pela realização de vezes para cusp, elemento geométrico que simula o equivalente a uma crista.
Uma variante não muito comum, finalmente, é a dos telhados inversoisto é, com a concavidade voltada para baixo, o que é bastante problemático porque, em vez de remover a água o mais rapidamente possível, uma espécie de impluvium ocorre em um ponto acima do prédio, e a construção do sistema de descarte requer cautela detalhes, design e construção.
Muito difundido no campo das constru√ß√Ķes industriais, porque elas s√£o adequadas para garantir grandes superf√≠cies iluminadas sem ilumina√ß√£o direta telhados de galp√£o, isto √©, em que uma s√©rie de elementos que t√™m um lado de inclina√ß√£o √ļnica com um declive √≠ngreme, e o outro lado (vertical) tornado transparente por caixilhos de janelas, s√£o repetidos a uma dist√Ęncia constante e com canais de conversa√ß√£o entre um elemento e o outros, que ent√£o convergem nas calhas principais nas laterais do edif√≠cio.
Existem muitas varia√ß√Ķes de telhados, nos quais as alturas, inclina√ß√Ķes e se√ß√Ķes dos elementos da s√©rie mudam, ou h√° se√ß√Ķes cil√≠ndricas ou c√īnicas.
Outra tipologia cl√°ssica e muito reconhec√≠vel √© a do revestimentos de c√ļpula, t√≠pico do edif√≠cios com um plano circular, onde o volume do telhado √©, tipicamente, um hemisf√©rio ou uma capa esf√©rica. Construtivamente, em geral, essas capas s√£o feitas com se√ß√Ķes para um segmento geometria vari√°vel (mais espessa na base e mais fina para cima) que convergem em um v√©rtice geometricamente centrado no plano.

Coberturas de geometria vari√°vel

Existem diversas varia√ß√Ķes dos tipos b√°sicos descritos acima, geralmente criados por geometrias e tipos sobrepostos.
Os √ļltimos 15-20 anos da arquitetura moderna, com a difus√£o de geometrias estudadas e calculadas com programas computadorizados, deram origem a toda uma s√©rie de novos revestimentos, essencialmente classificados como descont√≠nuos, mas morfologicamente inclassific√°vel em qualquer tipo de geometria euclidiana cl√°ssica.



Vídeo: Egglettes Review: No-Shell Hard Boiled Eggs?