Graves irregularidades do administrador do condomínio, como avaliá-las

Quando as graves irregularidades que podem levar à revogação do administrador do condomínio podem ser recorrentes? Quem e como eles avaliam seu aniversário?

Graves irregularidades do administrador do condomínio, como avaliá-las

Graves irregularidades do administrador do condomínio

o revogação do administrador do condomínio pode ser arranjado:
- demontagem, a qualquer momento, com o voto favorável da maioria dos condomínios presentes à reunião que representem pelo menos metade do valor milésimo do imóvel (artigo 1129, décimo primeiro parágrafo e 1136 cc);
- deAutoridades Judiciais no apelo de cada condomínio se o administrador tiver cometido graves irregularidades.

O que queremos dizer com graves irregularidades?

A este respeito, lendo as medidas judiciais sobre o assunto, pode-se chegar √†s seguintes conclus√Ķes, a saber, que as s√©rias irregularidade:

Revogar administrador


- consistem em todos os comportamentos que levam a suspeitar de uma gestão anormal por parte do administrador do edifício ou que são indicativos de uma conduta que não é muito transparente da sua parte;
- tal irregularidade, no entanto, deve consistir de suposi√ß√Ķes que s√£o refletidas em elementos e dados objetivos, em suma, algo que pode ser documentado n√£o √© suficiente uma d√ļvida ou uma mera impress√£o (ver a este respeito Trib. Mil√£o 20 de junho de 2018 n ¬ļ 1963).
Exemplo: não é suficiente dizer que oadministrador do condomínio não propriamente a conta corrente do condomínio, mas para chegar a uma ordem de revogação é necessário que o mesmo desafio seja comprovado.

Irregularidades graves e revogação judicial

Artigo. 1129 c.c. contém um 'listagem - que a doutrina e jurisprudência qualificaram como meramente exemplificativas - das graves irregularidades que podem levar à revogação judicial do administrador do condomínio.
Estes s√£o:
- falta de comunica√ß√£o √† assembl√©ia de medidas judiciais ou administrativas que estejam fora de suas fun√ß√Ķes;
- falha relatórios gerenciais;
- irregularidades graves imposto (sujeito a tentativa de revogar a assembleia de acionistas);
- falha ao abrir e / ou usar o conta corrente condomínio (sujeito a tentativa de revogar a assembleia de acionistas);
- o fracasso convocação da reunião para a aprovação da declaração do condomínio, a repetida recusa de convocar a assembléia para a revogação e para a nomeação do novo diretor ou em outros casos previstos por lei;
- perdeu execu√ß√£o medidas judiciais e administrativas, bem como resolu√ß√Ķes da assembl√©ia;
- gestão de formas que podem gerar possibilidades de confusão entre os bens do condomínio e os bens pessoais do administrador ou outros condomínios;
- ter consentido, por um crédito insatisfeito, o cancelamento das formalidades realizadas nos registros imobiliários para proteger os direitos do condomínio;
- no caso de a√ß√£o judicial promovido pela arrecada√ß√£o dos valores devidos ao condom√≠nio, pela falta de tratamento diligente da a√ß√£o e conseq√ľente execu√ß√£o coercitiva;
- n√£o cumprimento √†s obriga√ß√Ķes detidas pelo toras condom√≠nios e para fornecer aqueles que solicitaram provas de pagamentos e disputas em andamento;
- a comunica√ß√£o omitida, incompleta ou incorreta de seus dados e dados, √ļtil para consultar os registros condominiais, conforme previsto no art. 1129, segundo par√°grafo, c.c.

Demiss√£o Judicial

Esta é a lista do código: como dissemos, no entanto, não é exaustivo, mas aberto. Isso significa que o irregularidades graves Eles também podem ser identificados em comportamentos não tipificados, mas são capazes de acender uma luz que não é muito transparente nem prejudicial para o edifício.

Automaticidade de revogação ou avaliação judicial de irregularidades graves

Se oadministrador do condom√≠nio n√£o apresentar o relat√≥rio da administra√ß√£o dentro dos prazos estabelecidos por lei (180 dias, conforme requerido pelo artigo 1130 n¬ļ 10 do C√≥digo Civil italiano), ou se n√£o executar as delibera√ß√Ķes da assembleia geral, ou se n√£o estiver envolvido de maneira constante e tempestiva da situa√ß√£o cont√°bil e dos pagamentos dos condom√≠nios, ent√£o a revoga√ß√£o, demonstrada a reincid√™ncia da irregularidade grave, deve ser decretada automaticamente pela Autoridade Judicial, ou tem uma margem de discricionariedade na avalia√ß√£o do caso?
A formulação literal do norma que regula a revogação judicial, parece levar a concluir pela segunda hipótese. Artigo. 1129, décimo primeiro parágrafo, c.c., especifica que, em face do recurso de revogação, este pode ser ordenado pelo tribunal demandado.
Pode, isso é um poder que é expresso no avaliação da situação real que levou ao pedido judicial, não uma obrigação de remoção do administrador para a reversão de uma condição imposta por lei.

Revogação do administrador do condomínio


Nem todos concordam com esta conclus√£o, pelo menos n√£o s√£o aqueles ju√≠zes segundo os quais o derrapagens do prazo para a apresenta√ß√£o do relat√≥rio, envolve o cometimento de uma grave irregularidade na re ipsa, ou seja, existente para o √ļnico incumprimento do prazo acima mencionado, que deve ser seguido pelo decreto da revoga√ß√£o. Quem escreve sim demanda√Č realmente suficiente apresentar o relat√≥rio no dia cento e oitenta e um, em vez dos cento e oitenta e um para revogar o administrador?

Decisão de revogação, consequências e reclamação

Conforme estabelecido pelo art. 1129, décimo terceiro parágrafo, c.c. o administrador do condomínio revogado pela Autoridade Judiciária não pode ser nomeado pela assembleia.
A norma, inserida na arte. 1129 c.c. que est√° entre aqueles absolutamente imperativos, implicaria que:
- o administrador revogada pelo juiz ele nunca poderá ser nomeado pela assembléia;
- um deliberação contrária, ou seja, a nomeação do administrador do condomínio revogada pelo juiz, deve ser considerada nula, porque é contrária a uma disposição obrigatória da lei.
O administrador do condom√≠nio que sofreu a revoga√ß√£o judicial do seu gabinete teria a possibilidade de reclamar contra essa disposi√ß√£o. Assim, √© estabelecido da arte. 64 das disposi√ß√Ķes de aplica√ß√£o do C√≥digo Civil, que especifica que, contra o decreto motivado pelo qual o Tribunal de Primeira Inst√Ęncia deve ordenar a revoga√ß√£o, o diretor tem o direito de apresentar queixa Tribunal de Recurso no prazo de dez dias a contar da notifica√ß√£o ou comunica√ß√£o.
Este direito também é reconhecido para o condómino ou para os condomínios recorrentes que viram o seu recurso rejeitado.
A partir de 31 de outubro de 2021 o pedido de revogação deve ser apresentado ao Juiz de Paz, enquanto a queixa ao Tribunal.



Vídeo: