Venda de energia fotovoltaica

Os guias da quarta Conto Energia esclareceram e regulamentaram as possibilidades e métodos de venda de eletricidade produzida com painéis fotovoltaicos.

Venda de energia fotovoltaica

mercados

o PV representa um dos mais simples e econ√īmico possibilidade de realiza√ß√£o de plantas com fontes de energia renov√°veis; n√£o t√£o simples e f√°cil de interpretar foi, no entanto, o processo das leis e normas que se seguiram nos √ļltimos dez anos em nosso pa√≠s, regras que deveriam ter definido as obriga√ß√Ķes de construir as usinas e regular as taxas de incentivo √† produ√ß√£o.
A principal referência, em termos de incentivos para a produção de energia elétrica através de sistemas fotovoltaicos, o já histórico Conto Energia, com as respectivas taxas de incentivo, permanece a favor do responsável pela usina.
no Conta de energiaAgora é possível associar um dos três diferentes métodos de venda ou uso de eletricidade produzida por painéis fotovoltaicos: transferência para a rede eletricidade produzida, aconsumo da mesma energia ou lo troca no local com a rede de distribuição de eletricidade.

Venda na Net

A venda da eletricidade produzida √© entendida como significando que esta √ļltima vem completamente vendido ao operador da rede de distribui√ß√£o de eletricidade, a transac√ß√£o que, do ponto de vista comercial, deve ser regulada atrav√©s de dois poss√≠veis m√©todos contratuais: direto ou indireto; em ambos o vendedor deve ser equipado com o n√ļmero do IVA.
Para venda viver significa que o produtor de eletricidade acessa o mercado de energia assinar um contrato de ades√£o no mesmo mercado e pagando uma taxa de registro e acesso ao mercado, uma parte por cada MWh (Megawatt-hora) vendida e uma taxa fixa anual; alternativamente, a eletricidade pode ser vendida a um atacadista.
Para venda indireto significa que o produtor de eletricidade vende para o GSE, que estipula um contrato com pre√ßos m√≠nimos de refer√™ncia; estes pre√ßos m√≠nimos constituem uma garantia para o produtor, em compara√ß√£o com as flutua√ß√Ķes no mercado da energia, para as quais as vendas directas s√£o fortemente afectadas.

consumo interno

Tamb√©m este modo de venda exige que o produtor tenha um N√ļmero de IVA, com o qual pode, de fato, vender a energia diariamente produzido e derramado na rede porque n√£o √© consumido; Vale ressaltar que, neste caso, energia el√©trica consumida significa apenas aquela produzida instantaneamente.

Trocar no lugar

A troca no local representa o maneira mais comum exploração e

tomando

venda de eletricidade produzida por sistemas fotovoltaicos para uso doméstico (potência instalada não superior a 6 kW de pico), mecanismo que não exige IVA.

crédito

A principal vantagem do mecanismo do troca no localé o de permitir a introdução da energia elétrica produzida pelos painéis fotovoltaicos na rede e depois retirar outra energia, se necessário, troca regulada por uma lógica de compensação em uma base anual; em princípio, a condição ideal, para esse mecanismo, seria aquela em que os insumos e retiradas de eletricidade da rede se compensassem mutuamente.

Qualquer crédito de energia do usuário, após a colocação na rede de uma quantidade de eletricidade maior do que a tomada, pode ser consumido pelo mesmo usuário durante todos os vinte anos da duração do contrato com o GSE; alternativamente, o crédito de energia, ou os chamados superávits, podem ser resgatados ou liquidados, relatando-os no retorno de imposto e descritos como renda diferente.



Vídeo: Como Vender Energia Solar Fotovoltaica TODOS OS DIAS NA INTERNET