Segunda expiração do contrato de arrendamento, como se comportar?

Quais s√£o as coisas para saber quando est√° prestes a expirar, a segunda vez, o contrato? O caso do contrato 4 + 4, o contrato 3 + 2 e o contrato comercial.

Segunda expiração do contrato de arrendamento, como se comportar?

Segunda expiração do contrato de arrendamento

A pergunta que muitas vezes é feita pelos nossos leitores está relacionada arrendamento quando se aproxima do segundo prazo.

Contrato de arrendamento


Muitas vezes nos perguntam o que fazer quando, sete anos após a assinatura do contrato 4 + 4, o prazo está se aproximando e há o desejo de renovar o contrato.
Ou a pergunta oposta vem do senhorio que quer recuperar o apartamento.
Muitas vezes a mesma quest√£o √© colocada para mim 3 + 2 arrendamentos, para loca√ß√Ķes comerciais, bem como em rela√ß√£o ao procedimento a ser seguido para liberar o apartamento.
Na an√°lise dos problemas relacionados ao segundo prazo de arrendamento √© √ļtil observar as regras que regem os casos individuais mencionados acima: partimos do chamado contrato de loca√ß√£o 4 + 4.

Segunda expiração do contrato de locação 4 + 4

A legisla√ß√£o relevante em rela√ß√£o ao segundo vencimento do 4 + 4 concess√Ķes √© representado pelo art. 2, primeiro par√°grafo, lei n. 431/1998.

Vencimento do contrato de locação


Aquele previsto pela disposição que vamos examinar é um procedimento real que pode levar a um novo acordo, no final do contrato ou a confirmação do já existente.
Como est√£o as coisas
Primeiro de todas as datas: o procedimento de renovação deve ser ativado dentro de seis meses após a expiração.
Dentro deste limite, cada uma das partes pode enviar ao outro uma carta recomendando comunicar que pretende ativar um procedimento:
- para o renova√ß√£o sob novas condi√ß√Ķes;
- para o ren√ļncia renovar o contrato.
O contrato expira em 31 de dezembro? At√© 30 de junho condutor, se para ativar o procedimento √© o locador, ou o √ļltimo no caso inverso, deve enviar a carta registrada acima.
Lembre-se: falamos sobre o procedimento, mas o que √© ativado n√£o √© nada al√©m de um negocia√ß√£o para renova√ß√£oou uma comunica√ß√£o de recesso, ou melhor ainda a rescis√£o do contrato por expira√ß√£o natural. Como veremos daqui a pouco, esta √ļltima comunica√ß√£o √© muito importante.
O que deve o destinatário do comunicação?
Quanto tempo você tem disponível para responder?
O que acontece se ele n√£o responder?
A este respeito, sempre a arte acima mencionada. 2, especifica que quem recebeu o registrado deve responder dentro de sessenta dias depois de recebê-lo. Se ele não responder, ou se o contrato não for renovado, o contrato será considerado vencido na data de término do contrato.
sessenta dias para responder, sim ou n√£o, ou para fazer uma contraproposta?
Segundo o escritor, como a lei está escrita, parece que dentro de sessenta dias é necessário concordar.
E se as partes são silenciosas, ou eles não estão escritos no prazo de seis meses após o termo do contrato?
Nesse caso, especifica o per√≠odo final do primeiro par√°grafo do artigo 2.¬ļ, o contrato √© tacitamente renovado nas mesmas condi√ß√Ķes.
Por quatro anos, ou por mais quatro anos ou um novo período potencial de oito anos?
De acordo com o Tribunal de Cassa√ß√£o, que decidiu sobre o assunto, se o cancelamento n√£o for comunicado no prazo de seis meses ap√≥s a expira√ß√£o do segundo per√≠odo de quatro anos, ent√£o o arrendamento destina-se a ser renovado nas mesmas condi√ß√Ķes, com a inten√ß√£o de se referir a uma renova√ß√£o de quatro anos, caso contr√°rio, resultando em uma situa√ß√£o que difere da vontade da lei e excessivamente desequilibrada em favor do inquilino (Cassa√ß√£o 1 de janeiro de 2016 n.1881).

Segundo vencimento do contrato de locação 3 + 2

E se o contrato é 3 + 2?
Aqui a situação é essencialmente a mesma na gestão da fase do procedimento de renovação.

Fim do contrato

Antes de entrar em detalhes, √© √ļtil lembrar que o contrato 3 + 2 tamb√©m √© conhecido como um contrato de taxa acordada, isto √©, um acordo no qual as partes determinam a taxa de aluguel dentro de um intervalo indicado pelos acordos locais entre a associa√ß√£o de propriet√°rios e diretores mais representativos.
O quinto parágrafo do mesmo art. 2 l. n. 431/98 especifica que, no segundo prazo, as partes podem activar o procedimento de renovação. Não é regulado em detalhes como aquele para contratos 4 + 4, mas deve ser entendido que o mesmo se aplica aqui com o mesmo período de tempo.
Se as partes se calarem, como no caso do contrato 4 + 4, ent√£o o acordo existente √© tacitamente renovado nas mesmas condi√ß√Ķes.

Segundo prazo de locação comercial

Nos contratos para o loca√ß√Ķes comerciais, geralmente conhecida como 6 + 6, com exce√ß√£o das disposi√ß√Ķes especiais sobre a dura√ß√£o da especificidade da atividade (por exemplo, hotelaria), a lei de refer√™ncia (isto √©, a Lei n¬ļ 392/78) especifica expressamente que o contrato √© tacitamente renovado seis anos em seis anos (ou dura√ß√£o diferente em rela√ß√£o ao tipo), a menos que cancelado para ser enviado dentro de seis meses de expira√ß√£o.
Somente em primeiro prazo a recusa de renova√ß√£o n√£o √© livre e pode ser exercida pelo locador por motivos particulares (Artigo 27 e posteriores altera√ß√Ķes, n¬ļ 392/78).

Despejo por arrendamento finito

Em relação aos arrendamentos para uso residencial, um procedimento pode ser ativado, conhecido como despejo por arrendamento terminado, que pode ser ativado antes da conclusão do contrato, a fim de pré-estabelecer o título para a remoção do inquilino da casa, caso em que ele não voluntariamente, ou posteriormente, em caso de problemas surgiu precisamente por causa da falta de liberação do 'estate.
Para os contratos de arrendamento para uso que não seja habitação, o procedimento para a emissão do imóvel, conforme estabelecido pelo art. 447-bis do Código Civil italiano, são regidos pelas regras estabelecidas em relação a litígios relativos a litígios laborais. um procedimento mais simplificado e rápido comparado ao comum, mas em qualquer caso diferente do que ditou para alugar para uso residencial.



Vídeo: Pensão alimentícia: 20 coisas que você precisa saber (Parte 2)