Resíduos de luxo

Do grande mundo da moda e além, uma série de objetos feitos de experimentação material com resíduos de processamento de luxo.

Resíduos de luxo

Mídia EmTudoDesign.com

No começo, reciclagem e moda, eles não parecem se dar bem. Mas as matérias-primas são pagas e as empresas custam um pouco mais recolha de resíduos. Em termos de então eco-sustentabilidade, evitando desperdício e a reentrada de materiais perdidos no mercado é algo muito positivo. Não apenas pela economia.

De fato, nos √ļltimos tempos, parece que o iniciativas a este respeito eles se multiplicam, agradavelmente combinando a experimenta√ß√£o t√≠pica do design mais inovador eo criatividade do ambiente da moda.

Um exemplo disso s√£o as iniciativas propostas pela casa de moda Fendi, saiu h√° alguns anos com Punk Artesanal, com curadoria da Ambra Medda e focada na cultura de reciclagem de luxo com materiais residuais, como couros finos.

Mídia EmTudoDesign.com

Desta vez, no entanto, é a vez de FormaFantasma, a dupla, baseada em Eindhoven, composta de Andrea Trimarchi e Simone Farresin, particularmente habilidoso na experimentação de materiais, DesignMiamiem Junho passado, em Basileia, propuseram o Craftica, um projecto refinado e elegante, nascido reutilização de couro artesanal, obtido a partir do processamento de resíduos da casa de moda.

Uma explora√ß√£o t√°til e visual de couro, sim mistura-se com outros tipos de couro e ssacos de peixe, obtido a partir de res√≠duos da ind√ļstria alimentar, ou mesmo peles vegetais, obtido a partir do processamento de casca e corti√ßa. Estes materiais foram ent√£o retrabalhado e unido para os outros, como m√°rmore, metal e madeiraou de origem natural, como esponjas, cultivada em fazendas marinhas.
Entre os objetos expostos, m√≥veis, mas tamb√©m ferramentas de trabalho. L√Ęmpadas, divis√≥rias e banquetas em mais vers√Ķes. Mas tamb√©m m√°scaras e desenhos em papel vegetal, obtidos a partir do processamento de pele de cabra.

Mídia EmTudoDesign.com

Mas não apenas FormaFantasma no contexto de resíduos de luxo. Mesmo os gostos do Irmãos Campana eles são dados para reciclagem chique. Os designers e arquitetos brasileiros, sediados em São Paulo, Brasil, sempre se especializaram em reciclagem criativa trazendo inventividade e experimentação, no limite da arte.

Eles também dedicaram uma parte de seu trabalho para recuperação e reutilização de resíduos produtivo, tentando dar uma segunda chance ao couro, madeira e plástico.

Especificamente hoje me refiro ao couro de avestruz, usado pelos dois designers para o cole√ß√£o de m√≥veis assinado pela empresa sul-africana Klein Karoo: fezes, mesas, cachepot, colares, elementos e acess√≥rios do jornal, declinou em 10 pe√ßas, tudo feito em couro de avestruz, um material muito vers√°til, com infinitas possibilidades de aplica√ß√£o, apesar das grandes dificuldades de processamento. Os objetos foram apresentados no Salone del Mobile 2011 e colocados depois do leil√£o, doar a cole√ß√£o para uma institui√ß√£o sem fins lucrativos com sede na √Āfrica.

Mídia EmTudoDesign.com

Al√©m de iniciativas de caridade e exposi√ß√Ķes, na realidade tamb√©m h√° exemplos de pessoas que lhes d√£o sucatas de luxo, eles tamb√©m tem um real neg√≥cio na ind√ļstria da moda. Estou falando Antonio Sotgiue de sua cole√ß√£o de roupas, obtida de processamento de tecidos residuais.

Antonio também fundou a oficina de reciclagem, a boutique dedicada ao escambo e troca de acessórios e roupas de moda; aqui, além de trocar de partes, também é praticado Refashion de guarda-roupa, uma maneira chique de fantasia um vestido velho com fantasia ou uma peça de roupa que não usamos, para obter algo novo e incomum.



V√≠deo: 6¬ļ TELA VERDE | RES√ćDUOS S√ďLIDOS | Gerar lixo com luxo ou gerar luxo com lixo