Saliências e pingos

Na ind√ļstria de constru√ß√£o atual, o aspecto formal mais comum dos gotejamentos pode encontrar-se em um pequeno sulco nos intrados das varandas, na pr√°tica um sulco.

Saliências e pingos

Na corrente pr√°tica de design e constru√ß√£o relativo a 'constru√ß√£o, habita√ß√£o ou n√£o, pode acontecer que eles sejam confusos solu√ß√Ķes t√©cnicas para certos problemas com o aspecto formal do mesmo, muitas vezes criando situa√ß√Ķes de criticidade realiza√ß√£o e manuten√ß√£o que, normalmente, n√£o teriam motivos para existir.

juncos: erros para evitar 1 - foto arco. Silvio Indaco

Olhando em volta, dando uma olhada no fabricado que comp√Ķem a maior parte do tecido urbano das nossas cidades, √© comum encontrar um uso incorreto (ou se quisermos, em uma realiza√ß√£o impr√≥pria) de um solu√ß√£o t√©cnica bastante difundido e necess√°rio: vamos falar sobre o gotejamento.
√Č um solu√ß√£o t√©cnica e de implementa√ß√£o no local com o objetivo de impedir a√°gua fluindo ao longo eu faceplates vertical das divis√≥rias horizontais externas de um edif√≠cio (vamos falar sobre o balc√Ķes, lajes de cantilever, doss√©is de cobertura, elementos claro corda e similares) subir ao longo da superf√≠cie inferior do mesmo at√© que eles parem no ponto de interse√ß√£o inferior entre a parede vertical e o elemento horizontal, causando, a longo prazo, infiltra√ß√£o e danos de umidade n√£o descartado.

Gotejamento - elab. arco. Silvio Indaco

Na constru√ß√£o atual, oapar√™ncia gotejamentos formais mais difundidos s√£o rastre√°veis ‚Äč‚Äčem um pequeno sulco na face inferior das varandas, na pr√°tica um sulco que corre ao longo das lajes em cantil√©ver para todos os lados livres do seu pr√≥prio per√≠metro, com a exce√ß√£o √≥bvia do lado preso nas divis√≥rias verticais. Em outros casos, n√£o muito diferente do que acabamos de descrever, o mesmo resultado √© obtido faceplates das palmilhas com um dente em parte inferior, ou seja, com uma parte do lado externo da carpintaria a bordo escapes do perfil horizontal da laje e √©, portanto, mais abaixo.
de ponto de vista de realização, não Ela exige especial obra nem trabalhadores especializadosmas o erro típicoacima de tudo projetoque queremos relatar aqui é sobreinutilidade de alguns elementos horizontais, pensado por algum desenhista astuto, para hospedar você o gotejamento, na prática um reversão dos termos em questão.

Diferentes realiza√ß√Ķes da constru√ß√£o atual, olhando-as com um m√≠nimo de aten√ß√£o, √†s vezes trazem um elemento de coroamento, nos casos mais simples um laje cantilever, de tamanho t√£o pequeno (por exemplo 40 a 50 cent√≠metros comparado a um pr√©dio alto 10-15 metros) que √© dif√≠cil entender outilidadecertamente n√£o funciona ou como prote√ß√£o da luz solar nem, muito menos, de√°gua da chuva; √Č claro que esses elementos, na verdade n√£o funcional o edif√≠cio ou as atividades alojadas nele, precisar√° ser protegido, no ponto de interse√ß√£o com a parede vertical, pelo aumento capilar, e, portanto, deve ser equipado com gotejamento.
Pena que o gotejador serve, mas a sola definitivamente n√£o!

em

corre: erros para evitar 2 - foto arco. Silvio Indaco

Em alguns casos, tendo questionado pessoalmente os designers, a resposta foi que, em fechando uma parede vertical longa, voc√™ tem que fornecer um gotejamento e, portanto, uma palmilha que os convidados!?!? Escusado ser√° dizer que esta maneira de ver o problema revela um pouca aten√ß√£o (ou conhecimento) aos aspectos substanciais do t√©cnicas de constru√ß√£o em favor dos formais, porque, por outro lado, querer preferir o funcionalidade e o dura√ß√£o de um organismo de constru√ß√£o, nos casos em que se opta por um cobertura solar, a melhor e mais f√°cil solu√ß√£o para isso descarte de √°gua nas paredes verticais (tendo previamente optado por emplastros desumidificadores e respir√°veis ‚Äč‚Äčou material de revestimento a mesma parede vertical, limpo e sem excresc√™ncias.

√Č verdade que em arquitetura existem os aspectos que n√£o s√£o exclusivamente formais em um projeto - e nunca como nos √ļltimos 15-20 anos imagina√ß√£o dos designers ele tocou dicas estil√≠sticas futuristas nas formas e materiais - mas, para aqueles que pretendem reivindicar a import√Ęncia de um cornija como elemento de fechamento visual de um edif√≠ciopode ser

Palazzo Strozzi - fonte palazzostrozzi.org

aconselhá-lo a retomar um bom livro de História da Arquitetura e ir checar, por exemplo, qual é o coroamento Palazzo Strozzi em Florença: vamos descobrir como, em um construção de alvenaria - em que, notoriamente, não foi fácil, na época, perceber mudanças substanciais no limites tecnológicos qualquer conhecimento e do técnicas de construção desde então - um foi realizado cornice de fechamento linda e poderosa, em termos de tamanho, força expressiva e até mesmo corajoso na saliência... certamente muito mais do que uma base no CLS que sai de 40-50 cm!



V√≠deo: S√ď UMA OLHADINHA