Revogação judicial do administrador e ónus da prova

A revogação judicial do administrador pode ser solicitada por cada condomínio, que deve comprovar a recorrência da causa que permite a emissão do decreto.

Revogação judicial do administrador e ónus da prova

Diretor dos condomínios

Revoca giudiziale

No que diz respeito aos condomínios em edifícios, é indiscutível (ver artigo 1129, o décimo quinto parágrafo, citado no Tribunal de Cassação U.S. No. 9148/08) relação entre administrador e condomínio as regras ditadas pelo contrato de mandato se aplicam.
Disse o contrário: com a aceitação da nomeação pelo administrador ou com a aceitação do orçamento de gestão pela assembléia, será formalizada a relação jurídica entre as partes, que será regida pelas regras ditadas pelo condomínio (substancialmente art. 1129 e 1130 do Código Civil) e pelo que não está previsto nos artigos do Código Civil ditados em termos de contrato de mandato.
Vale lembrar que a indicação do administrador é obrigatória para todos os condomínios com mais de oito participantes (cf. art. 1129, primeiro parágrafo, c.) e que, neste caso, se a assembleia não o previr, cada condomínio (ou o administrador que renuncia) pode contactar a Autoridade Judicial para obter um decreto de nomeação.

Duração do cargo do administrador do condomínio

De acordo comart. 1129, décimo parágrafo, c.c.
L 'como administrador tem a duração de um ano e destina-se a ser renovado por igual duração.
L 'montagem convocada para a revogação ou renúncia da resolução em relação à nomeação do novo diretor.
L 'aplicação prática da norma levantou algumas dúvidas. Segundo o escritor, a norma deve ser interpretada da seguinte maneira.
um exemplo vai ajudar no show.
Primeiro compromisso 2014. Em 2015, a atribuição, a menos que revogada, deve ser entendida tacitamente renovado e em 2016, a nomeação deve ser considerada encerrada e o administrador terá que adicionar o tópico da nomeação à agenda.

Procedicmento di revoca

Nada proíbe, é claro, entrar no questão de revogação também na assembléia ordinária anual, após a primeira nomeação, a convocar, é bom recordá-lo, no prazo de 180 dias a contar do final do exercício (cf. art. 1130 n. 10 c.c.).
Neste contexto, recorde-se que o administrador, ao aceitar a nomeação e sua renovação, deve especificar analiticamente, sob pena de nulidade da nomeação, o montante devido como compensação pela atividade exercida (art. 1129, décimo quarto parágrafo, c.).

Demissão judicial e ônus da prova

L 'atribuição dura um ano mas a reunião pode interromper a relação contratual a qualquer momento (ver artigo 1129, décimo primeiro parágrafo, c.c.).
o revogação, como a nomeação, também pode ocorrer por meios judiciais.
o revogação judicial, para dizer que é a arte. 1129, décimo primeiro parágrafo, c.c. pode ser providenciado mediante solicitação por cada condomínio:
a) se o administrador não fizer o conta de sua gestão;
b) Se na sequência da notificação de uma intimação ou de uma medida administrativa exorbitante de suas funções ele não deu aviso às autoridades judiciais;
c) se houver graves irregularidades na gestão (O artigo 1129, décimo segundo parágrafo, c.c. contém um exemplo disso).
No caso de falha em abrir e usar a conta corrente e graves irregularidades fiscais, o recurso para a revogação judicial deve ser precedido por uma tentativa de revogá-lo por meio da assembléia de acionistas.
Se um condomínio fosse proceder em juízo para obter a revogação do seu administrador, o que você deve tentar?
o Tribunal de Messina, em conformidade com o que foi repetidamente dito pelo Tribunal de Cassação sobre o assunto, foi capaz de especificar que em caso de revogação do administrador do condomínio a pedido de um condomínio, o respectivo procedimento constitui um julgamento de cessação antecipada e definitiva da relação de mandato existente entre todos os condomínios e o diretor: em relação à prova, portanto, aplica o princípio geral da inadimplência de uma obrigação, segundo a qual o condomínio agindo para a resolução do mandato com o administrador deve apenas provar a fonte (negociação ou legal) do seu direito de obter do administrador o cumprimento da obrigação de operar, limitando-se a mera alegação da circunstância de inadimplemento da contraparte, enquanto o administrador réu fica sobrecarregado com o ônus da prova do fato extintivo do pedido de extinção, constituído pelo cumprimento de suas obrigações de gestão (Trib. Salerno 12 de abril de 2011, que assim se aplica - corretamente - o princípio esculpido por Cass. 13533/01) (Trib. Messina 20 de janeiro de 2013).
O decreto foi pronunciado antes da entrada em vigor do reforma mas, não há dúvida sobre o seu valor também para a nova disciplina do condomínio em edifícios.
no procedimento de revogação, deve-se lembrar, o condomínio proponente e o administrador do condomínio devem participar (cf. art. 64 Disponível att. código comercial.).



Vídeo: