Responsabilidade no gerenciamento de usinas térmicas

A gest√£o da manuten√ß√£o dos sistemas de aquecimento implica a execu√ß√£o de opera√ß√Ķes e atividades realizadas por pessoal tecnicamente qualificado sob supervis√£o

Responsabilidade no gerenciamento de usinas térmicas

o manuten√ß√£o de sistemas de aquecimento √© feito por uma s√©rie de opera√ß√Ķes ditadas por procedimentos precisos, que devem ser executados por pessoal t√©cnico qualificado, sobretudo no caso de centrais t√©rmicas com pot√™ncias significativas e servi√ßo de grandes edif√≠cios. Quando falamos de usinas

Caldaia interna

pot√™ncia t√©rmica de pot√™ncias significativas, refere-se a centrais t√©rmicas com pot√™ncias de cerca de 50 kW. Estas pot√™ncias s√£o significativamente superiores √†s pot√™ncias que se encontram em apartamentos t√≠picos, com dimens√Ķes superiores a cem metros quadrados, servidos por caldeiras da ordem de 25 a 30 kW.

A manuten√ß√£o de usinas t√©rmicas e termel√©tricas, em geral, pode ter conseq√ľ√™ncias significativas em termos de desempenho da planta, ent√£o de economia de energia, seguran√ßa para edif√≠cios e pessoas atendidas pelos mesmos sistemas, sem esquecer que a manuten√ß√£o adequada tamb√©m pode limitar significativamente o impacto ambiental dos produtos de combust√£o da usina termel√©trica.

Da mesma forma, no caso de usinas térmicas com usinas integradas por painéis solares térmicosA manutenção incorreta dos componentes do sistema também pode limitar significativamente os benefícios da exploração de fontes alternativas de energia.

Gerente de planta no T.U. construção

Nos √ļltimos anos, as usinas t√©rmicas que integram sua produ√ß√£o de energia t√©rmica com a solar por meio de pain√©is ou manifolds s√£o cada vez mais difundidas. t√©rmica solar.
Este √ļltimo, em determinados per√≠odos do ano, como o Ver√£o e, em particular, as regi√Ķes geogr√°ficas, pode satisfazer completamente demanda de √°gua quente sanit√°ria sem a caldeira ou a usina termel√©trica em funcionamento.

De acordo com o Texto consolidado no edif√≠cio e os padr√Ķes de refer√™ncia, o propriet√°rio de uma planta, ou o chamado terceirostem o responsabilidade pela manuten√ß√£o do sistema garantir a seguran√ßa, os retornos m√≠nimos exigidos por lei e o respectivo impacto ambiental.
Munic√≠pios e prov√≠ncias que utilizam, na maioria dos casos, √≥rg√£os externos, devem realizar verifica√ß√Ķes geralmente com cad√™ncias bienais para verificar a exatid√£o de tudo isso.

No caso de edifícios do condomínio, o gerente da usina e da usina termelétrica é, em princípio, oadministrador do condomínio, que geralmente, na maioria dos casos, atribui essa responsabilidade a um técnico externo, designado como terceiro responsável. Neste caso, a responsabilidade que permanece com o administrador do condomínio é averiguar as capacidades técnicas da pessoa a quem ele atribui a responsabilidade da planta.

Autoriza√ß√Ķes de terceiros

De acordo com i decretos legislativos emitiu respectivamente o 3 de abril de 2003 e o 29 de junho de 2010, no caso de centrais térmicas com uma capacidade superior a 232 kW, a terceira pessoa encarregada da planta deve ser habilitada por um licença especial (geralmente emitido pela Administração

IL Terzo Responsabile può appaltare lavori

Territorial competente regional) para realizar suas fun√ß√Ķes.
Além disso, em relação a essa qualificação para a manutenção das usinas, estão programados cursos de atualização periódica e a elaboração de um registro especial com todas as pessoas autorizadas a operar as usinas.

A terceira pessoa respons√°vel tamb√©m pode ser uma pessoa natural, qualificada desde 37/08 e posteriores aditamentos e emendas (lei que substituiu, em mar√ßo de 2008, a conhecida Lei 46/90) e para o desempenho da cess√£o devem ser registrados na C√Ęmara de Com√©rcio da cidade de refer√™ncia.

Além disso, a terceira pessoa responsável pode contrato para empresas externas qualquer trabalha para o correto funcionamento dos sistemas.

No caso em que o terceiro responsável é um pessoa jurídica, também está autorizada a organizar e realizar quaisquer atividades necessárias ao bom funcionamento das usinas, essas atividades são geralmente identificadas como obras extraordinárias.
Naturalmente, tamb√©m neste caso o terceiros respons√°veis ‚Äč‚Äčdevem ser habilitados de acordo com 37/08 (ex. Lei 46/90) e subsequentes aditamentos e modifica√ß√Ķes, e devem ser devidamente registrados na C√Ęmara de Com√©rcio.

Polizza assicurativa responsabile

No caso de sistemas de aquecimento com Pot√™ncias superiores a 350 kW, o gerente da planta, al√©m de estar de posse das autoriza√ß√Ķes descritas anteriormente, deve ser ainda mais habilitado pela posse de uma licen√ßa espec√≠fica emitidos por entidades espec√≠ficas e distintas das mencionadas acima e as caracter√≠sticas e procedimentos para emiss√£o de tal licen√ßa ou licen√ßa s√£o descritos pelo ISO EN UNI 9000.

Em todos os casos, os gerentes de f√°brica podem se proteger contratando ap√≥lices de seguro apropriadas, ao realizar a manuten√ß√£o e / ou modifica√ß√£o das plantas pelas quais s√£o respons√°veis, no entanto, deve-se notar que esses tipos de cobertura de seguro s√£o as poss√≠veis san√ß√Ķes administrativas posteriores.

o documentação obrigatoriamente presente em todas as usinas e usinas de energia é composto pelo livreto central (para potências superiores a 35 kW) e pelo folheto do sistema.



Vídeo: A gestão de frota e a tão celebrada responsabilidade ambiental, com Maxwell Souza