Localização: o que fazer se a taxa não for cobrada

Quando o propriet√°rio de um im√≥vel arrendado n√£o coleta o aluguel devido ao inquilino, ele n√£o pode pagar o IRPEF. Aqui est√° a √ļltima decis√£o do Departamento Fiscal

Localização: o que fazer se a taxa não for cobrada

Taxas de aluguel n√£o recebidas

Taxas de aluguel

Cumpre com a crise econ√īmica e a dificuldade no pagamento mensal do aluguel n√£o √© de todo infrequente que o propriet√°rio de uma propriedade alugada n√£o cobra a mensalidade devida pelo inquilino.
No entanto, ele sempre tem a obrigação de declarar o aluguel independentemente da percepção real, a fim de pagar o imposto de renda pessoal devido no contrato de arrendamento.
Isso pelo menos até o juiz intervir que adota uma disposição de validação para despejo devido a atrasos do inquilino.
Mas agora a Receita Federal muda de posição, desde que o proprietário do contribuinte da propriedade não pague o IRPEF alugar e os adicionais, não precisa esperar pela validação de despejo. Mas vamos ao pedido.

Taxas de aluguel não recebidas: obrigação de declaração

Na base no artigo 26 do Tuir, os aluguéis de prédios com uso residencial devem necessariamente ser declarados pelo proprietário, independentemente de sua percepção real.
Pelo menos até que a provisão de validação de despejo seja obtida devido aos atrasos do inquilino pela autoridade judicial.
Somente a partir desse momento, de fato, poder√° declarar o aluguel n√£o cobrado e, portanto, n√£o pagar o imposto de renda pessoal com o relativo adicional devido nos pr√≥prios c√Ęnones.
Basicamente, a exclus√£o do taxas n√£o reclamadas do rendimento total na presen√ßa das seguintes condi√ß√Ķes:
-a propriedade é alugada para uso residencial;
‚ÄĘ o inquilino do pr√©dio est√° inadimplente com as taxas de aluguel;
‚ÄĘ o processo de valida√ß√£o de despejo judicial foi conclu√≠do.

Taxas não recebidas: o crédito fiscal

O Tuir também prevê que para os impostos sobre taxas de aluguel vencidos e não recebidos, conforme a avaliação feita nos processos judiciais para a validação do despejo por atraso, é reconhecido um crédito tributário de igual valor.
Na prática, o IRPEF pago pode ser recuperado das taxas não recebidas efetivamente após a medida de validação de despejo, usando o crédito fiscal, ou seja, usando o imposto pago em excesso para pagar outros impostos devidos.

Taxas de aluguer da IRPEF

Como afirmar isso crédito fiscal?
Distingue-se segundo se as partes aproveitaram ou não do regime opcional do cupom seco em aluguéis.
No primeiro caso, o montante do IRPEF pago será fixado em 21% e um crédito fiscal do mesmo montante será, portanto, devido.
Por outro lado, se as partes não se valeram do regime do cupom seco, o proprietário deve prosseguir com o resgate dos impostos pagos, fazendo uma segunda declaração, sem levar em conta as rendas que ele não tenha coletado.
Em particular, o crédito pode ser usado das seguintes formas:
‚ÄĘ decompondo-o do RRPEF (ou do ARES) devido com base na mesma declara√ß√£o, incluindo adiantamentos. Qualquer excedente tamb√©m pode ser usado para compensar o Mod. F24 ou pode ser solicitado para reembolso;
‚ÄĘ apresentar um pedido de reembolso total para o montante total para os escrit√≥rios financeiros da ag√™ncia de receita competente.

Taxas de aluguel n√£o recebidas: novas indica√ß√Ķes da Revenue Agency

Contrato de arrendamento

Em uma nota dirigida a seus escritórios periféricos em julho de 2015, a Revenue Agency muda sua posição sobre o assunto.
Em particular, a Administração Financeira agora determina que, se o proprietário do imposto do arrendamento, que não tenha efetivamente recebido as taxas, é capaz de provar que o contrato de arrendamento foi rescindido e não recebeu as taxas, a Administração Financeira irá considerar apenas a declaração da renda cadastral correta.
A prova do evento rescisão do contrato de arrendamento e a não percepção das taxas pode ser dada, por exemplo, através da produção de uma cópia da provisão para a validação do despejo para atrasados.
Se, por outro lado, a rescis√£o do contrato √© devida a uma cl√°usula de rescis√£o inclu√≠da no contrato (por exemplo, a falta de pagamento de uma √ļnica taxa mensal), o propriet√°rio n√£o tem que recorrer √† autoridade judicial. registrado com aviso de recep√ß√£o com o qual ele contesta o incumprimento e mostra a sua vontade de fazer uso da cl√°usula de rescis√£o acima mencionada.
Neste caso, ent√£o o contrato arrendamento pode ser dito concluiu e o propriet√°rio n√£o pode declarar e n√£o pagar o imposto de renda relativo junto com o adicional.
Entretanto, atenção deve ser dada ao dado temporal.
A obrigação de declarar o aluguel é cancelado a partir da data da liberação da propriedade, mas se as taxas que o proprietário não descontou antes da rescisão do contrato de arrendamento continuam a aplicar a possibilidade de recuperação através do crédito fiscal explicado acima.



Vídeo: 9 direitos do consumidor que você precisa conhecer para não perder dinheiro! (CDC)