Regras de condomínio e animais, o que diz a Cassação

É comum que nos regulamentos do condomínio se encontre a cláusula que diz: a manutenção de animais de estimação é proibida. Uma limitação indiscutível do direito de uso de sua unidade imobiliária.

Regras de condomínio e animais, o que diz a Cassação

Regolamento di condominio

É comum que em regulamentos do condomínio você se depara com a cláusula que diz:
A manutenção de animais de estimação é proibida.
Não há nada a dizer: uma limitação indubitável da lei uso de sua unidade imobiliária.
O que é frequentemente perguntado é se esta cláusula é sempre válida ou se, por outro lado, às vezes pode ser considerado ineficaz.
Neste sentido, inserindo-se no leito de sua orientação consolidada, o Tribunal de Cassação, com o sentença n. 3705 de 15 de fevereiro de 2011, reiterou que tal limitação é válida somente quando a mesma está contida em um regulamento de condomínio de origem contratual.
Para melhor enquadrar a história, é útil lembrar que eles geralmente se destacam dois tipos de estatuto do condomínio ;
a) o regulamentos de montagem, ou seja, aquele votado com as maiorias prescritas porart. 1138 c.c. cujo conteúdo deve ser limitado às disposições contidas no primeiro parágrafo do artigo acima mencionado;
b) o regulamento contratual essa é a adotada com o consentimento de todos os condomínios (sobre o ponto é indiferente se eles foram eles mesmos para prepará-lo ou talvez foi escrito pelo dono original do edifício).

Apenas este último tipo Regulamento pode conter regras restringindo o direito de uso das unidades de propriedade exclusiva e partes comuns.
A razão é muito simples: exceto em casos excepcionais previstos por lei, o direito de propriedade Só pode ser comprimido com o consentimento explícito do seu proprietário.
Para o posse de animais (e mais especificamente de animais domésticos) nenhuma exceção a essa regra.
em caso abrangido pelo acórdão supramencionado em princípio, a proibição de detenção estava contida em um regulamento de origem da assembléia de acionistas.

Regolamento di Condominio


De acordo com o Suprema Corte, o que é reiterado nesta ocasião foi padronizado para a sua orientação consolidada, foi uma provisão ilegítima como as cláusulas do regulamento do condomínio que impõem limitações aos poderes e poderes dos condomínios nas partes de sua propriedade exclusiva afetam os direitos dos condomínios, passando a constituir servidão recíproca nestes (Cassação 13164/2001); segue-se que essas disposições são de natureza contratual, pois devem ser aprovadas e podem ser alteradas com o consentimento unânime dos coproprietários, tendo necessariamente constatado a disposição do indivíduo como fonte justificativa de dispositivos incidentais em sua esfera legal: certamente, essas disposições excluem as atribuições da assembléia, à qual se confere o poder regulador de gestão da coisa comum, proporcionando regular seu uso e gozo.Dito isto, a proibição de manter os animais comuns nos apartamentos não pode estar contida nos regulamentos do condomínio comum, aprovados pela maioria dos participantes, uma vez que estes regulamentos não podem impor limitações às faculdades incluídas nos direitos de propriedade dos condomínios nas partes do edifício que lhes pertencem. individualmente exclusivo (Bem Cass. 15 de fevereiro de 2011 n. 3705).



Vídeo: Um condomínio Pet Friendly