Sanatórios cadastrais

A manobra financeira aprovada ontem contém, entre outras medidas, uma nova forma de construção de anistia.

Sanatórios cadastrais

Apesar das nega√ß√Ķes dos √ļltimos dias, o manobra financeira 2011-2013 de 24 bilh√Ķes de euros aprovados ontem √† noite no Conselho de Ministros cont√©m uma esp√©cie de constru√ß√£o de anistia, mesmo que seja mais 'correto definir o registro de terras.

Foto aérea

Na verdade, j√° faz alguns anos desdeAg√™ncia Terrestre est√° realizando pesquisas com base nas quais existem cerca de dois milh√Ķes de chamados propriedades fantasma, ou seja, aqueles que s√£o completamente desconhecidos para o Registro de Terras.
Este resultado foi sobreposto fotografias aéreas para mapas cadastrais e, até o momento, há 518.000 propriedades para as quais o pedido de regularização foi submetido.
Estes edif√≠cios devem ser declarados no registro de terras at√© 15 de julho, o prazo ap√≥s o qual eles come√ßar√£o. regulariza√ß√Ķes de escrit√≥rio, com despesas e multas relacionadas.
Mas é difícil pensar que até o dia 15 de julho todas as perguntas serão apresentadas, portanto a anistia prevista no Orçamento também deve evitar as longas disputas que se seguiriam à regularização do mandato.
O pedido de regulariza√ß√£o, sob a forma de atualiza√ß√£o cadastral, deve ser apresentado at√© 31 de dezembro e permitir√° o pagamento de impostos devidos a partir de 1¬ļ de janeiro de 2009, reduzindo em um ter√ßo as penalidades previstas na legisla√ß√£o em vigor.
Se o pedido de anistia n√£o for apresentado dentro do prazo indicado, a Ag√™ncia Territorial, com base nas conclus√Ķes feitas, aplicar√° uma aluguel presumido para o edif√≠cio e os interessados ‚Äč‚Äčarriscar√£o uma multa igual a um ter√ßo do valor cadastral portanto, um valor estimado entre 15% e 25% do valor de mercado.

Pr√°tica de construir anistia

√Č claro que existem muitas vozes cr√≠ticas sobre este tipo de interven√ß√£o que podem ser interpretadas por muitos como edif√≠cio condono. De fato, se uma propriedade n√£o √© relatada no registro de terras n√£o √© simplesmente para fugir do imposto, mas geralmente √© devido ao fato de que ele foi feito sem qualquer autoriza√ß√£o.
Por este motivo, prev√™-se uma expans√£o da medida no contexto de convers√£o do decreto-lei no Parlamento nos pr√≥ximos dias, a √ļnica sa√≠da para curar n√£o s√≥ a situa√ß√£o cadastral, mas tamb√©m o planejamento urbano. De fato, um simples registro de terra seria equivalente a uma autodeclara√ß√£o do abuso cometido e, portanto, ningu√©m estaria disposto a faz√™-lo.
Al√©m disso, diante do surgimento de pr√©dios ilegais, os munic√≠pios deveriam arcar com as pr√°ticas de demoli√ß√£o, com pesadas cargas econ√īmicas que pesariam sobre os corpos j√° pobres das institui√ß√Ķes.
O montante das receitas resultantes desta anistia n√£o √© quantific√°vel por enquanto. De fato, al√©m do fato de que algumas das part√≠culas detectadas podem n√£o precisar ser empilhadas, muitas ainda poderiam ser empilhadas como aparelhos, em vez de como im√≥veis residenciais, para n√£o mencionar que os classific√°veis ‚Äč‚Äčcomo primeira casa eles n√£o estariam sujeitos a ici e imposto de renda pessoal.


arco. Carmen Granata



Vídeo: Pesquisadora da Bahia relaciona queda da incidência de hanseníase com aumento da renda no Brasil