Reforma do condomínio: o Senado aprova

A aprova√ß√£o da reforma do condom√≠nio pelo Senado √© o primeiro passo importante para a t√£o esperada renova√ß√£o do assunto. Algumas breves reflex√Ķes sobre o escopo das not√≠cias.

Reforma do condomínio: o Senado aprova

reforma

√Č not√≠cia recente que deaprova√ß√£o do texto da chamada reforma do condom√≠nio do Senado da Rep√ļblica.

Cabe agora √† C√Ęmara dos Deputados aprovar o texto como despedido no Palazzo Madama ou modific√°-lo e envi√°-lo de volta ao remetente para uma nova leitura e aprova√ß√£o.

A imprensa generalista deu uma √™nfase distinta a um not√≠cia sobre uma reforma que ainda n√£o √© definitiva, mas que, se fosse aprovada, afetaria milh√Ķes de fam√≠lias.

Comentários sobre mudanças, que dizem respeito principalmente Artigos. 1117-1139 do código civil eles não têm sido muito positivos, culminando com o de Confedilizia que considera a reforma de baixo perfil.

Em uma inspeção mais detalhada, insistindo em alguns aspectos do texto aprovado, a impressão é de mudanças que, em certo sentido, tendem a burocratizar excessivamente a gestão de ativos em condomínio (que, por princípio jurisprudencial estabelecido, sempre foi informado sobre os princípios de informalidade e simplicidade) e do outro lado dos ajustes que seguem a princípios expressos na jurisprudência, que às vezes têm sido alvo de duras críticas.

Alguns exemplos eles podem certamente ser √ļteis.


Sistema de aquecimento

Tem-se falado de grandes novidades em relação a nova arte. 1118 c.c. isso permitiria a separação do sistema de aquecimento centralizado, libertando os condomínios desconectados da obrigação de contribuir com os custos de uso, deixando, no entanto, inalterada a necessidade de participação nos custos de conservação.

reforma

Bem, esta regra n√£o faz nada, mas retomar o princ√≠pio expresso pelo Supremo Tribunal de acordo com o que √© permitido a ren√ļncia unilateral do aquecimento do condom√≠nio e a separa√ß√£o do sistema centralizado, sem a necessidade de autoriza√ß√£o ou aceita√ß√£o pelos demais participantes, quando o interessado comprovar que a ren√ļncia ou subseq√ľente destitui√ß√£o n√£o resulta em aumento de despesas para os cond√īminos que continuam tirar proveito disso, nem um desequil√≠brio t√©rmico prejudicial √† presta√ß√£o regular do servi√ßo.

Com a consequente isenção do pagamento dos custos de uso, mas certamente não para o armazenamento (Cass. n. 5794/04).


Partes comuns

Particularmente incisivo da delibera√ß√£o normal de interven√ß√Ķes substitutivas de partes comuns √© a nova arte. 1117-ter c.c.

Neste regulamento, no segundo par√°grafo, diz-se que a convoca√ß√£o da assembleia deve ser afixada por n√£o menos que trinta dias consecutivos nas salas de maior uso comum ou em espa√ßos designados para este fim e deve ser feita por carta registrada ou meio eletr√īnico equivalente, de forma a chegar pelo menos vinte dias a partir da data de convoca√ß√£o.

Enquanto o possibilidade de o administrador pedir despesas urgentes Parece certamente singular esse alongamento dos tempos ordenar obras que - embora n√£o sejam urgentes do ponto de vista estritamente t√©cnico e portanto devam ser decididas pela assembl√©ia - ainda assim seria √ļtil aprovar rapidamente.

O fato de que, para a substitui√ß√£o de uma parte comum, ent√£o (pense na substitui√ß√£o trivial de um port√£o autom√°tico ou de uma porta de entrada) pareceria necess√°rio um ato p√ļblico sob pena de nulidade da resolu√ß√£o (art. 1117-ter √ļltimo par√°grafo, c.), introduziria burocracia desnecess√°ria e excessiva com aumentos de custos relativos.


Segurança do edifício

Um padr√£o √© introduzido, oart. 1122 bis c.c. cuja inten√ß√£o √ļtil, isto √©, permitir um resolu√ß√£o r√°pida de problemas de seguran√ßa de edif√≠cios (em todas as suas partes), quebra os riscos devido √† generalidade excessiva na formula√ß√£o da pr√≥pria norma que, inevitavelmente, ter√° que encontrar uma defini√ß√£o pr√°tica nos pronunciamentos jurisprudenciais.


administração

reforma

As fun√ß√Ķes do administrador s√£o especificadas fornecendo a extens√£o da tarefa para dois anos, salvo acordo em contr√°rio da assembleia, ea obriga√ß√£o deregistro em um registro mantido pela C√Ęmara de Com√©rcio bem como uma s√©rie de obriga√ß√Ķes destinadas a assegurar uma gest√£o correta e transparente.

Entre os vários três em todos:

a) obrigação de apresentar o relatório anual dentro de 180 dias a partir do final do ano de gestão;

b) obrigação de ter todos os montantes inerentes ao condomínio transmitidos uma conta corrente, bancário ou postal, registrado no mesmo grupo;

c) estabelecimento decadastro de condom√≠nios com a obriga√ß√£o de o mesmo fornecer todos os dados √ļteis para sua identifica√ß√£o, sob pena de cobrar pela mesma pesquisa que pode ser necess√°ria nos √≥rg√£os p√ļblicos competentes.

Tabelas milésimas

Na verdade, repetimos o que foi dito pelo Se√ß√Ķes unidas da corte suprema com a pronuncia√ß√£o n. 18477/10: aprova√ß√£o majorit√°ria, modifica√ß√£o devido a erros ou mudan√ßas nas condi√ß√Ķes do edif√≠cio facilitadas (o qu√≥rum ser√° suficiente, entre outras coisas, tamb√©m novo, agendado para segunda convoca√ß√£o) e mudan√ßas na derroga√ß√£o dos crit√©rios legais com o voto de todos os condom√≠nios (Artigos. 68-69 avail. att. c√≥digo comercial.)

montagem

Com uma diminui√ß√£o not√°vel do limiar, um novo quorum para a validade das resolu√ß√Ķes em segunda chamada.

reforma

Não será mais necessário o voto favorável de um terço dos participantes no condomínio representando pelo menos um terço do valor do edifício, sendo, em vez disso, voto suficiente da maioria dos participantes representando um terço do valor do edifício.

Novas regras para participa√ß√£o por procura√ß√£o (com a introdu√ß√£o da proibi√ß√£o de acumula√ß√£o do mesmo) e novas disposi√ß√Ķes para a participa√ß√£o na reuni√£o do supercondom√≠nio com a nomea√ß√£o obrigat√≥ria, mediante a ultrapassagem de determinados limites num√©ricos, de um representante do condom√≠nio pertencente ao maior grupo (art. 67 Dispon√≠vel att. c√≥digo comercial.)

Taxas de condomínio

Reintrodução de um tipo de solidariedade se formou na obrigatoriedade de fiscalização preventiva de condomínios inadimplentes e a paralização do inquilino, que pode, portanto, estar sujeita a monitoramento, ao usufrutuário e ao proprietário quanto à participação na assembléia para assuntos ordinários e despesas de referência (artigos 1118 do Código Civil e artigo 67 do Código Civil).

Aqui o texto integral da reforma aprovado pelo Senado da Rep√ļblica.



Vídeo: Senado aprova projeto que institui a Cédula Imobiliária Rural e deve facilitar crédito