Brigas e insultos entre condòmini e com o administrador

Em termos de rela√ß√Ķes entre condonmini, nem sempre √© f√°cil identificar a fronteira entre o direito de criticar e insultar e, portanto, a relev√Ęncia criminal das ofensas pronunciadas.

Brigas e insultos entre condòmini e com o administrador

Lesão e difamação

les√Ķes

A questão da exatidão da previsão de uma categoria específica de crimes, disse crimes de opinião está frequentemente no centro do debate jurídico que também envolve perfis de filosofia do direito.
O tema do liberdade de expressão é sempre muito debatido e muitas vezes os acontecimentos de cada dia levam a defendê-los ou a invocar uma regulação mais rígida segundo os seus pontos de vista.
A referência é aos chamados crimes deinsulto, difamaçãoetc.
Quem considera incorreto a aplica√ß√£o do san√ß√Ķes criminais como se afirma, n√£o faltam ocasi√Ķes para lembrar que com esses crimes o Estado protege apenas o interesse do indiv√≠duo.
o intenção realporque esse é o propósito do direito penal, é prevenir e depois sancionar um comportamento que é considerado incorreto. A lei criminal, você aprende nos manuais, é arelação extrema: recorrer a ela apenas se todas as outras formas de defender um interesse ou um direito forem ineficazes. Se dizer algo é penicamente punível, isso significa que, de alguma forma, as ofensas são tão sérias que não há outra maneira de sancioná-los. Não só isso: isso significa dirigir o pensamento de uma pessoa. Na prática, é uma entidade superior, precisamente o Estado, decidir o que é certo ou errado dizer e, consequentemente, ainda que indiretamente, o que se deve e não deve pensar. John Stuart Mill, em sua Ensaio sobre liberdadedefendendo vigorosamente a liberdade de expressão disse que Nunca podemos ter certeza de que a opinião que tentamos sufocar é falsa; e se tivéssemos certeza, sufocando ainda seria ruim. Certamente o filósofo inglês não se referiu ao vaffa... proferida por um condomínio para seu vizinho, mas a diferença é muito pequena; pensamento, de qualquer espécie que seja, deve ser sempre livre.
Quem, por outro lado, apoia o direito de san√ß√Ķes penais previsto para delitos de insulto (artigo 594 do C√≥digo Civil), difama√ß√£o (artigo 595 do C√≥digo Civil), etc. considera uma presen√ßa penal fundamental aos excessos verbais dos cidad√£os de um Estado. Muitas vezes ouvimos que as palavras s√£o armas. De acordo com os defensores da puni√ß√£o penal desses fatos, √© correto educar, atrav√©s da san√ß√£o, as pessoas para saber como us√°-las.
Além de como você pensa sobre isso, no entanto, é bom lembrar que a liberdade, seja ela qual for, deve corresponder a umresponsabilidade. Esperar a revogação dos crimes de opinião, portanto, não significa deixar impune o rude; isso só significa trazer o nível de proteção apenas no campo do direito civil. Basicamente, a possibilidade de pedir às pessoas que difamaram a compensação pelos danos que deixaram inalterados; o que seria eliminado seria apenas a censura do Estado por tê-lo dito.
Até hoje a realidade diz que insulto e difamação eles são puníveis.

Condomínio e insultos

Ofensas em condomínio

Acontece que se um condomino envia para aquele país um vizinho que pediu mais silêncio para o filho que não consegue dormir corre o risco de uma condenação por insulto.
De acordo com o Tribunal de Cassa√ß√£ode fato tratar de insultos (como vaffa... e / ou quebra...) √† m√£e preocupada constitui insulto e n√£o podem ser considerados a resposta correta √† conduta do primeiro, segundo o infrator il√≠cito, que consistiu em bater para pedir mais sil√™ncio. Pedir sil√™ncio, diz a Suprema Corte, √© normal, especialmente √† noite, enquanto, especifique ermellini, apesar de ter que tomar nota da degrada√ß√£o da linguagem e incivilidade que agora muitas vezes distingue a rela√ß√£o entre os cidad√£os, o repetido ep√≠teto vaffa... acompanhado por as express√Ķes n√£o quebram a conta... e eu n√£o quebro a ca..., n√£o √© apenas uma indica√ß√£o de m√° educa√ß√£o e um desabafo devido a uma suposta invas√£o do ofendido, mas tamb√©m o desprezo que se alimenta do interlocutor (Cass. 22 de dezembro de 2011 n. 48072).
Em suma, ser ou não concordar com ofensas de opinião, a lei é lei (Dura lex sed lex disse os latinos) e deve ser respeitado: veja como você fala! Mas então, o que segue este tipo de condenação? A condenação criminal é tão pequeno que, exceto por recorrências e afins, raramente é realizado (geralmente, trata-se da suspensão da sentença). Para a pessoa lesada, uma ferramenta extra para pedir (se não for reconhecida no processo penal, como quase sempre acontece) compensação em processos civis.

Insultos na assembléia

O discurso em rela√ß√£o aos outros √© um pouco diferente ofensas voam para a assembl√©ia. Aten√ß√£o: isto n√£o significa que nesta √°rea qualquer tipo de ep√≠teto seja permiss√≠vel, mas o contexto pode chegar √† extrimi√ß√£o de express√Ķes que poderiam ser consideradas ofensivas em outros contextos.
Assim, por exemplo, o Tribunal de Cassação (Enviados. n. 5633 de 5 de fevereiro de 2015) considerou que o condomínio que se referia ao administrador o havia denominado incompetente por ser considerado uma expressão legítima do direito de criticar em um contexto em que o trabalho do representante da estrutura estava sendo avaliado.
N√≥s lemos na senten√ßa que o termo incompetente n√£o transcende em si os limites do exerc√≠cio do direito de criticar n√£o investindo a pessoa do administrador como tal, mas limitando as cr√≠ticas aos atos realizados por ele no desempenho de suas fun√ß√Ķes.
A fronteira entre crítica e ofensacomo você pode ver, nem sempre é muito claro e é frequentemente referido ao julgamento do juiz.



Vídeo: Suspense: A Friend to Alexander / The Fountain Plays / Sorry, Wrong Number 2