Fotovoltaicos de baixo custo usando telureto de c√°dmio

O uso de telorídio de cádmio em vez de silício permite a produção de módulos fotovoltaicos a menor custo.

Fotovoltaicos de baixo custo usando telureto de c√°dmio

Finalmente, também a Itália, o país do sol, demonstra estar na vanguarda da produção de painéis fotovoltaicos altamente inovadores.
De fato, por um lado, eles t√™m sido planejados incentivos para a produ√ß√£o de eletricidade a partir de fontes renov√°veisPor outro lado, falta-lhe uma produ√ß√£o industrial adequada para cobrir os requisitos da planta com solu√ß√Ķes avan√ßadas, fazendo com que o nosso pa√≠s corra o risco de se tornar um terreno de conquista para as empresas estrangeiras.

Fotovoltaica de baixo custo


A novidade é representada por um projeto do Ministério do Meio Ambiente da Região da Lombardia e prevê a produção automatizada de módulos de película fina de telureto de cádmio (CdTe).
Para alcançá-los será o Arendi, uma empresa que pertence Marcegaglia Energy Group.
O objetivo é uma redução significativa nos custos, dos atuais 5 euros por watt, para até 0,5 euros por watt, trazendo os custos de produção para mais perto dos tradicionais.
Normalmente, as c√©lulas solares que comp√Ķem os pain√©is fotovoltaicos s√£o feitas de sil√≠cio, um material amplamente utilizado na ind√ļstria eletr√īnica e dispon√≠vel apenas a custos muito altos.
A pesquisa científica italiana concentrou-se em novos materiais, como o telureto de cádmio ou o diselenide de índio e cobre, que reduzem custos e exigem processos de produção mais rápidos.
O mesmo Arendi explica que, usando o telloride de cádmio para fazer os módulos, a quantidade de material necessário é menos de 100 vezes menor, em comparação com a quantidade de silício mono ou policristalino geralmente usado, resultando em seu custo insignificante sobre o total do módulo, enquanto o processo de produção pode ser totalmente automatizado, levando à realização de um módulo por minuto.

Fotovoltaicos de baixo custo: painéis fotovoltaicos

Painéis fotovoltaicos com filme fino consistem em filmes transparentes como aqueles para comida, colocados entre duas folhas de vidro.
Eles, portanto, têm uma certa versatilidade de uso porque, além dos telhados, podem ser posicionados, por exemplo, em janelas ou fachadas.
Painéis deste tipo já são difundidos na Alemanha e na Califórnia, mas os produzidos pela Arendi são uma patente exclusiva resultante de uma pesquisa daUniversidade de Parma.
No que diz respeito ao processo de eliminação, as células de telureto de cádmio, uma vez utilizadas, recuperado e completamente reciclado e o custo deste procedimento já está incluído no inicial do módulo, que é no entanto menor que os módulos tradicionais.
Existem, no entanto, preocupa√ß√Ķes devido ao facto de o c√°dmio ser reconhecido como material cancer√≠geno.
No entanto, o uso deste material, prejudicial se inalado, n√£o √© proibido, pois √© uma subst√Ęncia substancialmente est√°vel, que n√£o evapora √† temperatura ambiente e que n√£o √© sol√ļvel em qualquer produto com o qual possa entrar em contato em uma c√©lula solar.
O perigo poderia vir em caso de incêndiomas neste caso o vidro derreteria e encapsularia o cádmio antes de poder ser dispersado na atmosfera.
Algumas pequenas quantidades poderiam escapar das bordas do vidro, mas, de qualquer forma, certamente seriam menores que as do vidro. dioxina que emana do pl√°stico contido em um edif√≠cio, ap√≥s um inc√™ndio, um evento que, felizmente, n√£o ocorre com freq√ľ√™ncia.



Vídeo: TCC em Energia Solar Fotovoltaica - Julio Boing (UFSC-2018)