Publicou o regulamento de implementação do Código de Aquisições sobre o diretor de obras e execução

Aprovação do decreto que implementa o código de licitação que rege as funções de diretor de obras e diretor de execução. Vamos ver o que ele fornece

Publicou o regulamento de implementação do Código de Aquisições sobre o diretor de obras e execução

Diretor de obras e execução: os novos regulamentos no Diário Oficial

O regulamentos implementação do Código de Procurement no campo de direção de trabalho e direção deexecução que entrará em vigor no próximo dia 30 de maio. Este é o Decreto do Ministério das Infraestruturas e Transportes n. 49 de 7 de março de 2018, emitida sob proposta da ANAC, em aplicação do artigo 111, parágrafo 1º do Decreto Legislativo 5072016 (Código de Licitações).

Diretor de obras


São aprovados diretrizes sobre os métodos de execução do funções do Diretor de Obras e do Diretor de Execução.
A disposição estabelece os tipos de atos através dos quais o gerente de projeto terá que executar sua atividade, ou seja, o verificação técnica, contador e administrativo, para garantir que o trabalho seja realizado de maneira artesanal. O objetivo é garantir transparência, simplificação e eficiência de TI também para garantir o controle contábil.
Quem é o diretor dos trabalhos? É sobre figura profissional escolhido pelo cliente, responsável por auxiliar e relógio a execução das obras, garantindo a execução regular, o cumprimento das regras e o cumprimento do projeto.
Voltando ao decreto de aplicação, é necessário, em primeiro lugar, especificar que a disposição é subdividida em quatro títulos:

  1. Título I - Disposições Gerais (Artigo 1);
  2. Título II - O diretor dos trabalhos (artigos 2-15);
  3. Título III - O Diretor da execução de contratos de prestação de serviços ou insumos (artigos 16 a 26);
  4. Título IV - Disposições finais (artigos 27 a 28).

Em relação ao Diretor de Obras, o Título II identifica os perfis gerais dessa figura profissional, as relações com a OR e o coordenador para a execução das obras, bem como os instrumentos para a realização de suas atividades (gerência, controle)., tanto na fase preliminar como no momento da entrega das obras. As atividades de controle administrativo e contábil também são reguladas.
O Título III diz respeito às atividades do diretor executivo, tanto no que se refere às relações com outras figuras profissionais, como às funções e tarefas durante a fase de execução e no final dos trabalhos. Como regra, a figura do diretor executor coincide com o RUP, o único responsável pelo processo.
Nos casos em que a figura do diretor executivo não coincide com o OR, ele recebe do segundo as disposições do serviço, em relação às quais ele pode operar de forma independente.



Vídeo: