Sacolas pl√°sticas: aposentado desde 31 de dezembro de 2019

Esperando por uma lei que proíba o uso de sacolas plásticas, contamos com iniciativas individuais.

Sacolas pl√°sticas: aposentado desde 31 de dezembro de 2019

Os sacos tradicionais em polietileno utilizado para arcar com a despesa deve se aposentar em 31 de dezembro de 2009, com base em um directiva da Uni√£o Europeia.

Sacos de pl√°stico

No entanto, ningu√©m ainda foi emitido na It√°lia implementa√ß√£o de provis√£o desta regra, para a qual n√£o h√° obriga√ß√Ķes, isso dificilmente acontecer√° nos pr√≥ximos meses.
O abandono da sacola pl√°stica, portanto, representa um comportamento ainda deixado ao iniciativa individual √ļnica ou para consci√™ncia ecol√≥gica de alguma cadeia de grandes varejistas.
Torna-se fundamental sensibilizar o cidadão se conscientizar de como o meio ambiente é prejudicial agora.
Na verdade, o uso de sacolas plásticas de compras é difícil de erradicar, especialmente na Itália, onde consomem 400 per capita por ano, cerca de um quarto das utilizadas em toda a Europa.
Além de toneladas de petróleo que você precisa usar para fabricá-los, os sacos de plástico quase nunca são reciclados e se transformam em lixo extremamente perigoso, porque eles exigem centenas de anos para a sua eliminação, em seguida, decompor em partículas altamente tóxicas que é comprovado que já se tornou parte do cadeia alimentar humana.
A cadeia francesa Auchan ela foi a primeira a abandonar definitivamente as sacolas plásticas, seguida pela italiana gaiola que deve fazê-lo até o final do ano. Unicoop proibirá o uso de plástico em suas 98 lojas florentinas a partir de 29 de maio.
Outras empresas s√£o mais cautelosas. Crai, Esselunga e Despar oferecer aos seus clientes alternativas feitas de materiais recicl√°veis ‚Äč‚Äčou reutiliz√°veis. Carrefour e Conadem vez disso, eles deixar√£o a iniciativa livre de seus clientes at√© que haja obriga√ß√Ķes legais.

Sacos de pl√°stico

Em alguns países europeus, porém, alguns foram adotados taxas mínimas em sacos de plástico.
em China, um país que normalmente não brilha pelo compromisso ecológico, a proibição já foi tomada há mais de um ano, fazendo uma marca notável redução no consumo de óleo.
De fato, apesar do decreto que proíbe a distribuição gratuita de sacolas plásticas e a venda, ainda que onerosa, das sacolas produzidas com filmes plásticos ultrafinos, não é respeitada por todos os comerciantes, o impacto no meio ambiente foi muito positivo, como reconhecido também pela associação ambiental greenpeace.
O futuro deve ser caracterizado pela distribuição gratuita aos cidadãos de comprador em papel ou pano, resistente e ecológico, mesmo que haja quem diga que este não é higiênico demais para o transporte de alimentos.
A teoria √© o resultado, no entanto, de uma pesquisa partid√°ria, como foi encomendada pela Associa√ß√£o Canadense da Ind√ļstria de Pl√°sticos, o lobby das ind√ļstrias canadenses de fabrica√ß√£o de pl√°stico e, portanto, deixa o tempo que encontra.
Será o suficiente para usar os municípios regras de higiene Caseiro e lavar os alimentos que entram em contato direto com a sportina, para se proteger da propagação de bactérias.
Na pendência de uma disposição legislativa que nos obrigue a fazê-lo, seria aconselhável comprometer-se individualmente com abandono progressivo de sacolas plásticas ou pelo menos de sua reutilização e reciclagem, lembrando-nos de jogá-los, quando necessário, no local apropriado. recipientes para coleta seletiva.



Vídeo: LABORCAMP