Instalações: Comportamento de Propriedade

Todos os sistemas em edifícios e suas áreas de relevância devem ser acompanhados de uma declaração de conformidade certificando sua segurança e funcionalidade.

Instalações: Comportamento de Propriedade

Plants, D.M. 37/08 e Lei 46/90

o D.M. 37/08 é uma das principais referências para as instalações que servem os edifícios, para aqueles que nelas se encontram ou para os seus bens e independentemente do uso a que se destinam. Além disso, o mesmo decreto também se aplica a quaisquer atividades de processos ou processos de produção, ambos terciários. aquele comercial, realizado dentro dos prédios.

lojas de plantas

O D.M. 37/08 que levou à revogação da lei mais conhecida não. 46 de 1990, além da classificação e definição das plantas, as exigências técnicas e profissionais dos projetistas profissionais e os executores das obras, também definem suas responsabilidade e os dos proprietários de plantas.
De acordo com o D.M. 37/08, qualquer instalação existente, em qualquer edifício deve ser acompanhada por uma declaração de conformidade elaborada pela última empresa que fez alterações ou expansões da mesma planta, esta declaração muitas vezes identificado como 37/08 deve consagrar o observância planta para os padrões, garantindo assim a segurança dos usuários da planta.
Naturalmente, referindo-se a todos os possíveis sistemas tecnológicos presentes nos edifícios ou seus equipamentos, o decreto refere-se a padrões de referência específicos dependendo do tipo de planta, CEI e UNI são as principais referências que devem ser lembradas nas declarações de conformidade.

Plantas e Código Civil

O estado das instalações de um edifício também é relevante no caso da compra e aluguer de edifícios, cujas instalações devem cumprir a lei, bem como o documentação a documentação administrativa e técnica e o livreto de uso e manutenção das plantas, presentes nos edifícios, devem ser válidos e entregues a novos usuários, a ausência da declaração de conformidade pode ser substituída por uma declaração de conformidade elaborada por um técnico qualificado para avaliar a segurança e conformidade com as regras, exceto para acordos diferentes entre vendedor e comprador ou inquilino.
No entanto, o decreto teoricamente aboliu essa obrigação, apoiada pelo código civil que protege os compradores e possíveis inquilinos, em particular vários artigos dissecam a questão da seguinte maneira.
O Artigo 1375 estabelece que o contrato deve ser feita de boa fé, o artigo 1490 descreve que o vendedor deve garantir que a coisa vendida é livre de defeitos, enquanto, o artigo 1491 exclui a garantia se os defeitos eram facilmente conhecidos pelo comprador.
Uma atenção especial merece o facto de, no caso de venda do edifício ou de comércio, artigos 1375 e 1490, referem-se amplamente, mas genericamente, à boa fé e aos vícios.
Artigo 1491, sobre o conhecimento do defeito, abriga o proprietário por meio de uma declaração consensual entre as partes, basta pensar dos proprietários de propriedades com instalações não conformes, que devem vender seu título, e usar este artigo com declaração sobre escritura pública.
Ressaltamos que este procedimento não é possível para os proprietários que pretendem alugar a propriedade, na verdade, nestes casos, devido a um incidente dentro da parede, não depende de inexperiência ou malícia do inquilino, mas pelas plantas não até padrão, além de responsabilidade civil também é criminoso.

Declaração de Conformidade das Plantas

Concluímos com algumas observações sobre o declaração de conformidade, para o qual o Anexo I - Art.7 D.M. n.37 de 22 de janeiro de 2008 define um modelo de referência, com o qual, sob a sua própria responsabilidade, o gerente técnico, o proprietário da empresa ou seu representante legal declara que a planta de referência foi construída em conformidade com o regra de arte, tendo em conta as condições de funcionamento e as utilizações a que o edifício se destina.

elétrico para condicionamento

Além disso, o declarante, de acordo com os casos, definido pelo decreto, deve declarar que respeitou um projeto com as referências relativas, seguiu os padrões de referência específicos, componentes instalados e materiais construídos com perfeição, controlou a planta com a finalidade de segurança e de funcionalidade, estas declarações devem ser suportadas por uma série de anexos, alguns obrigatórios e outros opcionais.
Entre os anexos obrigatórios estão: o projeto, quando previsto, a relação com o tipo de materiais utilizados, o layout da planta, quaisquer referências a declarações existentes, uma cópia do certificado atestando a requisitos solicitações técnicas e profissionais.



Vídeo: GRUPO 07 INSTALAÇÕES PARA EQUINOS, GNE161 - CONSTRUÇÕES RURAIS