Permissão para construir até mesmo para aqueles que não estão atualizados com impostos

De acordo com uma sentença do TAR da Campania, seção de Salerno, a licença de construção também deve ser emitida para aqueles que não cumpram o pagamento de impostos

Permissão para construir até mesmo para aqueles que não estão atualizados com impostos

Licença para construir por defeito

Licença de construção

É proibido subordinar o permissão para construir para a demonstração de estar em boa situação no pagamento de impostos municipais.
As licenças de construção devem ser emitidas de acordo com as disposições dos instrumentos de planejamento urbano, enquanto a regularidade fiscal se refere a uma ordem de avaliações e interesses que não estão relacionados ao setor de construção urbana.
Este é o princípio estabelecido pelo Tribunal Administrativo Regional de Campania, secção de Salerno com o sentença n. 01611/2015.

Permissão para construir: o que é e quando deve ser solicitado

Primeiro de tudo, precisamos lembrar o que é a licença de construção.
Trata-se de uma medida administrativa solicitada ao município e emitida pelo município para realizar uma intervenção de construção de acordo com os instrumentos de planejamento urbano e os regulamentos de construção e sanitário-sanitários (Decreto Presidencial 6 de junho de 2001 380 Texto consolidado das disposições legislativas e regulamentares relativas à construção).
A licença de construção substituiu o anterior instituto de licença de construção.
o intervenções de construção para o qual você pode solicitar permissão são:
• novas obras de construção;
•intervenções de renovação urbana;
• renovações de edificações que levem a um organismo de edificações totalmente ou em parte diferente do anterior e que envolvam aumento de unidades imobiliárias, mudanças de volume, elevação ou superfície, ou que, limitadas aos edifícios incluídos nas zonas homogêneas A, envolvam mudanças de uso pretendido, bem como intervenções que envolvem mudanças na forma das propriedades sujeitas a restrições Decreto Legislativo 22 de janeiro de 2004, n. 42 e modificações subseqüentes.

Licença de construção: o caso perante o Tribunal Administrativo Regional da Campânia

Licença de construção: homenagens e atrasos

O Tribunal Administrativo Regional da Campania, secção de Salerno, interveio recentemente sobre a questão da licença de construção. sentença n. 01611/2015 especificou que este título administrativo não pode ser subordinado pelo município ao pagamento regular pelo contribuinte de impostos municipais como JOIO, o imposto sobre resíduos e serviços.
A sentença tem origem na apresentação de um pedido de permissão para construir encaminhado por uma construtora para poder construir um edifício residencial no município de Fisciano. O responsável da área técnica do município manifestou parecer favorável, mas a empresa não emitiu a licença no prazo previsto, ou seja, 20 dias.
Por essa razão, a construtora recorreu ao juiz administrativo para ser declarado em silêncio ou para exigir que o município respondesse ao pedido por meio de um ato expresso e motivado.
Na pendência do processo, o município contestou a falta de pagamento da ICI pelo período de três anos 2006-2008 à empresa requerente, convidando-a a regularizar a sua posição, caso contrário a licença de construção não teria sido emitida e mesmo o mesmo pedido não teria sido foi realmente levado em consideração.
A empresa, por sua vez, declarou que estava em dia com o pagamento do imposto, agora substituído pela IMU, e encaminhara ao município os recibos que comprovavam o pagamento.

Permissão para construir também para os inadimplentes e evasores

Adotado o TAR da Campânia, estes, sem sequer entrar no mérito da história, apontou o dedo contra a administração municipal Tendo em conta a recusa de examinar o pedido de autorização de construção, na presença de irregularidades fiscais, constitui uma verdadeira sanção acessória, não relacionada com os poderes e poderes da instituição.
O município de Fisciano, de acordo com o TAR, violou claramente os regulamentos relativos às licenças de construção, Decreto Presidencial n. 380/2011), flexionando o exercício do poder do quo para a busca de interesses heterogêneos em comparação com os típicos.

Intervenções permitidas para construir

O título de qualificação para alcançar intervenções de construção importantesde acordo com o Tribunal Administrativo Regional também deve ser emitido para contribuintes inadimplentes e evasores fiscais.
Vem assim criticada um amargamente resolução do conselho municipal Fisciano visava contrariar o fenómeno da evasão fiscal que tinha imposto aos requerentes de licenças para construir, para anexar junto com a aplicação, até mesmo a prova de estar em boa posição com os impostos municipais.
O município não pode resolver a obrigação de os candidatos para construir autorizações, para anexar, juntamente com o pedido de um pedido, também a prova de estar em conformidade com os impostos municipais, mesmo se esta resolução é destinada a combater o fenômeno da evasão de impostos.
Na decisão, o Tribunal Administrativo Regional da Campânia aproveitou a oportunidade para salientar que a licença de construção deve ser emitida em conformidade com as disposições dos instrumentos urbanísticos, regulamentos de construção e regulamentos de construção urbana em vigor (art. 12, parágrafo 1, d.P.R. n. 380/2001).
Se o município assinou um acordo com a Receita Federal para combater a evasão fiscal, o acordo não prevê qualquer referência à emissão de licenças de construção.



Vídeo: Cuidados na Compra e Venda de Imóveis (Certidões, Documentos e Escritura)