Trabalho extraordinário e compensação para o administrador do condomínio

No caso de intervenções de manutenção extraordinárias serem deliberadas, o administrador terá direito a uma compensação adicional somente se previamente acordado.

Trabalho extraordinário e compensação para o administrador do condomínio

Lavori straordinari

L 'administrador de um condomínio, mesmo após a entrada em vigor da chamada reforma, tem direito a uma taxa extra em comparação com a indicada no momento da aceitação da nomeação, apenas se for acordada com a assembleia e está claramente especificada desde o início.
Na ausência de acordo para este efeito qualquer atividade que não seja aquela especificamente relacionada deve ser considerada incluída no item de remuneração geral indicado na estimativa.
Este, em essência, é o coração de uma decisão tomada em março de 2012 por Tribunal de Foggia re-leitura à luz das mudanças introduzidas no código civil pelo lei n. 220/2012 (a reforma do condomínio).

Relação administração-condomínio

Por muitos anos, foi afirmado que o administrador do condomínio representa um escritório de direito privado semelhante ao mandato com representação: com a conseqüente aplicação, nas relações entre o administrador e cada um dos condomínios, das disposições sobre o mandato (assim, entre os muitos, Cass. SS.UU. n. 9148/08).
O novo art. 1129, décimo quinto parágrafo, c. especifica que, na medida em que não esteja previsto, as regras ditadas pelo mandato se aplicam à relação entre o administrador e o condomínio.
Portanto, o administrador deve ser considerado o agente dos condomínios, ou seja, a pessoa que, no seu interesse, realiza a gestão das partes comuns do edifício.
Como procurador, de acordo com o Artigos. 1135 e 1709 c.c., o administrador tem o direito de ser pago.
Neste sentido, expressamos repetidamente a Tribunal de Cassação, de acordo com o qual as relações entre o administrador e o condomínio são regidas pelas disposições sobre o mandato: em particular, no que diz respeito à remuneração, pelo art. 1709 bacalhau civ., segundo a qual - ao contrário do que estabelece o correspondente art. 1753 do código civil anteriormente em vigor e, no que se refere especificamente ao administrador do condomínio, pelo art. 16 do decreto legislativo 15 de janeiro de 1934, n. 56 - presume-se que o mandato é oneroso. Nesse contexto regulatório, o art. 1135, n. 1 bacalhau. civ., que considera possível a remuneração do administrador, deve ser entendido no sentido de que a assembléia pode ser determinada expressamente para livre (Cass. 16 de abril de 1987 n. 3774).

Determinação da remuneração do administrador

Compenso

Como decidir quanto ganhar oadministrador?
Na ausência de tarifas de referência, a remuneração do administrador é determinada com base nos costumes locais (cuja cobrança e atualização é realizada pelas Câmaras de Comércio) ou, na falta deste, pelo juiz.
o reforma do condomínio introduzido nos elementos de maior clareza nas relações entre as partes.
L 'art. 1129, décimo quarto parágrafo, c., de fato, especifica que o administrador, ao aceitar a nomeação e sua renovação, deve especificar analiticamente, sob pena de nulidade da nomeação, o montante devido como compensação pela atividade exercida.

Compensação extra entre presente e passado

em seguida a partir de 18 de junho de 2013 (data de entrada em vigor da reforma do condomínio), se a compensação não for claramente determinada desde o início a nomeação é nula; segue-se que, se o administrador não tiver especificado nada a respeito de qualquer remuneração adicional em relação a um trabalho de manutenção extraordinário, ele não poderá reivindicar um extra pela atividade desempenhada em relação a eles.
E no passado? O que estava acontecendo?
Lendo um sentença do Tribunal de Foggia, apresentada em março de 2012, podemos ver como a situação mudou pouco e se houve uma mudança, foi na direção da transparência dos acordos.
De acordo com o Tribunal Pugliese, de fato, o mandato conferido ao administrador não inclui apenas os feitos pelos quais foi conferida, mas também aqueles que são necessários para o seu cumprimento, conforme estabelecido pelo art. 1708 c.c.
Neste contextoportanto, o direito do administrador de receber uma taxa extra pelo trabalho realizado para cumprir as obrigações prescritas por lei, quando intervenções extraordinárias devem ser realizadas no prédio do condomínio, subsistir apenas quando tiver sido decidido pela assembléia.
Na ausência de tal resolução, não pode legitimamente ser reivindicada como a execução de obras extraordinárias se enquadra nos requisitos prescritos pela lei, nos termos do artigo 1130, n. 4 (Trib. Foggia 8 de março de 2012).



Vídeo: