Novas regras na Ligúria para o folheto do sistema e para o relatório de eficiência energética

A decisão do Conselho Regional n.1673, de 22 de dezembro de 2019, estabelece que a legislação nacional para usinas térmicas é aplicada na Liguria.

Novas regras na Ligúria para o folheto do sistema e para o relatório de eficiência energética

Liguria: Resolução do Conselho Regional sobre sistemas de aquecimento

usinas térmicas Liguria

Com a Resolução nº 1673, de 22 de dezembro de 2014, o Conselho Regional da Ligúria aprovou o Provisões e critérios para a operação, controle, manutenção e inspeção de sistemas de aquecimento.
As disposições entraram em vigor em 1º de janeiro de 2015 e introduzir homogeneidade em todo o território regional. A disposição substitui todos os regulamentos municipais e provinciais existentes relacionados à manutenção e inspeções de sistemas de aquecimento. No entanto, o papel das autoridades competentes para os municípios com mais de 40.000 habitantes e as províncias da parte restante do território permanece válido, mas eles funcionarão com base nos critérios estabelecidos a nível regional a partir deste ano. Os municípios de Gênova, Impéria, La Spezia, San Remo e Savona, bem como as províncias de Gênova, Impéria, La Spezia e Savona, parecem, portanto, autoridades competentes na região da Ligúria.

Liguria: as regulamentações nacionais aplicam-se a sistemas de aquecimento

A resolução do conselho n.1673, de 22 de dezembro de 2014, definiu em substância que, na Região da Ligúria, a legislação nacional será aplicada.
O principal padrão de referência nacional é o Decreto do Presidente da República 74/2013, que estabelece a obrigação de dotação de Manual de instalação e de Relatório de controle de eficiência energética para todos os sistemas de aquecimento para ar condicionado ou produção de água quente sanitária.
Além do Decreto Presidencial 74/2013, a nível nacional também é importante mencionar a Decreto do Ministério do Desenvolvimento Econômico 10 de fevereiro de 2014, que definiu os tempos e métodos para implementar as obrigações identificadas. E é importante lembrar também o decreto, também do Ministério do Desenvolvimento Econômico, 20 de junho de 2014, que prorrogou o prazo para a adaptação do livreto do sistema e dos modelos de relatório de eficiência energética para 15 de outubro de 2014.
Lembramos que a operação, gerenciamento, controle, manutenção do sistema de aquecimento e cumprimento das disposições da lei de eficiência energética são de responsabilidade do Cabeça da planta. O papel do gerente de fábrica pode ser coberto por vários números: o proprietário, o ocupante da propriedade por qualquer motivo (por exemplo, locatário, usufrutuário, mutuário, etc.), o administrador no caso de sistemas de aquecimento centralizado administrados em condomínio ou mesmo uma terceira pessoa delegada pelos números acima mencionados.

Ligúria: novas obrigações relacionadas ao livreto do sistema

Em todo o território regional, o modelo de livreto de implantação aprovado com Decreto Ministerial de 10 de fevereiro de 2014 e identificado no Anexo I do Decreto. O novo folheto da planta deve ser preenchido durante a primeira operação de inspeção e manutenção programada. O novo livreto substituirá completamente o anterior, mesmo que este último ainda deva ser mantido, para ter vestígios e informações sobre as verificações feitas anteriormente.

Ligúria: novas obrigações relacionadas ao índice de eficiência energética

o controle de eficiência energética é obrigatório para sistemas de climatização de aquecimento no inverno com uma potência térmica útil nominal não inferior a 10 kW e para sistemas de ar condicionado de verão com uma potência térmica útil nominal não inferior a 12 kW.
A verificação da eficiência energética deve ocorrer cadência indicado no quadro A do Anexo A à Resolução n.º 1673, de 22 de dezembro de 2014, do Conselho Regional da Liguria.
Os modelos do Relatório de Eficiência Energética a adoptar são os constantes dos Anexos II e V do Decreto Ministerial de 10 de fevereiro de 2014, conforme especificado no ponto 2 do Anexo A da Resolução Regional.

usinas térmicas Liguria

Por ocasião da verificação da eficiência energética, o operador elabora e assina um relacionamento, que deve ser transmitido pelo técnico de manutenção ao Registo Predial Regional das Centrais Térmicas dos Edifícios por via electrónica. Uma cópia desse relatório também deve ser fornecida ao gerente da fábrica, que deve mantê-lo e anexá-lo ao livreto de instalação.
Ao submeter o documento ao banco de dados do Cadastro Regional das Instalações Térmicas, o técnico de manutenção é obrigado a pagar uma taxa contribuição. Esta contribuição está prevista no artigo 10 do Decreto Presidencial 74/2013 e visa cobrir os custos de gestão do Cadastro de sistemas de aquecimento, serviços relacionados e inspeções nas usinas.
Em conformidade com o princípio da equidade, a contribuição é determinada de acordo com métodos uniformes em toda a região da Ligúria e é diversificada de acordo com a faixas de poder térmico útil planta. Para se ter uma idéia dos custos, relatamos alguns exemplos: para usinas com potência igual ou superior a 10 KW e menor que 35 KW, a contribuição é de € 24,00, enquanto para usinas com potência igual ou superior a 35 KW e menor que 100 KW a contribuição ascende a 46,00 euros.



Vídeo: