Taxas de condomínio: as tabelas millesimais

As mesas milésimas são uma ferramenta indispensável para o correto gerenciamento do edifício e sua aprovação pode ser alcançada de três maneiras diferentes.

Taxas de condomínio: as tabelas millesimais

Repartição das despesas

Ao contr√°rio do comunh√£o, cujas normas sugerem uma igualdade das a√ß√Ķes de propriedade de todos os comunistas no bem indiviso e, consequentemente, uma contribui√ß√£o igual nas despesas a serem incorridas, no condom√≠nio a reparti√ß√£o das despesas √© feita proporcionalmente ao valor das unidades imobili√°rias (art. 1123 c.c.).

Tabelle

Basicamente participação em pesos (ou seja, despesas) não é o mesmo para todos, mas é parametrizado para o valor do plano ou parte do plano de propriedade exclusivo (ou seja, o apartamento).
Como isso é expresso relação proporcional?
L 'art. 68, primeiro parágrafo, att. código comercial. (novellato de reforma do condomínio) especifica que se não especificado pelo título de acordo com o artigo 1118, para os efeitos indicados pelos artigos 1123, 1124, 1126 e 1136 do código, o valor proporcional de cada unidade de construção é expresso em milésimos em uma tabela especial anexada ao regulamento do condomínio. .
Na prática, a distribuição das despesas terá lugar com base em CHAMADO tabelas milésimas.

Noção de tabelas milésimas

O que são eles? e quais são as tabelas milésimas para?
quantos tipos existem tabelas?
Quais são as quorum necessário para sua aprovação?
Para o que foi dito até agora, pode-se dizer que as tabelas milésimas são uma ferramenta prevista por lei com o objetivo de possibilitar a alocação de gastos entre todos os participantes ao condomínio e o correto funcionamento da assembléia do condomínio.

Tabelle millesimali

para exemplificar: se você tem que enfrentar um custo de 1000 euros para ser dividido entre dez condomínios e um apartamento do condomínio são referidos a 100 milésimos, ele vai pagar uma parte desse gasto de 100 euros.
Um n√ļmero m√≠nimo de condom√≠nios n√£o √© necess√°rio para a ado√ß√£o das tabelas, mesmo que apenas dois participantes sejam suficientes Trib. De Trapani 28 de fevereiro de 2008).
Antes de analisar à medida que alcançamos a aprovação das tabelas millesimais, um conceito precisa ser esclarecido; que o apartamento, para ser absurdo, represente 1 ou 999 milésimos não significa ter o direito de usar coisas comuns de maneira mais ou menos intensa.
um exemplo esclarecerá este conceito: caso seja decidido o uso do estacionamento, o condomínio com 1 milésimo terá o direito de utilizar a área comum da mesma forma que a de 999 milésimos. Artigo. 1102 c.c. esclarece, de fato, que cada participante do condomínio tem o direito de usar as coisas comuns de forma igual em relação aos demais e sem o seu uso pode comprimir os direitos de seus vizinhos.

Natureza e tipo de tabelas milésimas

o código civil, para além de tabelas de origem judicial, não especifica claramente quantos outros tipos de tabelas milésimas existem.
A doutrina classificou as tabelas milésimas com base em sua aprovação. Se as tabelas estiverem incluídas no regulamento do condomínio de origem contratual aceito por todos os participantes do condomínio, falaremos sobre as tabelas c.d. contrato; se as tabelas forem aprovadas na reunião, falaremos sobre as tabelas de montagem de origem.
Basicamente, portanto, eles existem três tipos de tabelas: os contratuais, aqueles assemblados e os judiciais.
Estes √ļltimos s√£o formados porAutoridades Judiciais se solicitado tamb√©m por um √ļnico condom√≠nio (ver Trib. Trapani 28 de fevereiro de 2008) porque est√£o faltando ou se uma revis√£o do mesmo √© necess√°ria para a altera√ß√£o dos valores de refer√™ncia iniciais.
O caso da revis√£o √© regulado porart. 69 avail. att. c√≥digo comercial. que, emendado pela lei n. 220/2012, cont√©m uma identifica√ß√£o bem marcada das causas que podem levar ao pedido de revis√£o, bem como o estabelecimento de um julgamento com o diretor √ļnico e n√£o com todos os condom√≠nios; isso √© basicamente o hip√≥tese de tabelas incorretas ou n√£o mais atuais.
o tabelas contratuais, sendo subscrito por todos os condomínios na escritura de venda, tem o valor de um contrato real e pode derrogar a alocação proporcional das despesas, por exemplo, prevendo a divisão clássica em partes iguais.
A situação em relação à aprovação das empresas foi mais complexa tabelas c.d. acionistas. Durante muito tempo, era duvidoso que essas tabelas pudessem ser aprovadas por maioria ou se precisassem do consentimento de todos os condomínios.
O Supremo Tribunal de Cassa√ß√£o, em agosto de 2010, especificou que se tivermos em mente que essas tabelas, baseadas no art. 68 Dispon√≠vel att. c.c., est√£o anexados ao regulamento do condom√≠nio, que, de acordo com o art. 1138 do C√≥digo Civil, √© aprovado pela assembl√©ia por maioria, e que n√£o determinam o direito dos condom√≠nios individuais nas unidades de propriedade exclusiva, mas somente o valor dessas unidades com rela√ß√£o a todo o pr√©dio, para o √ļnico prop√≥sito de gest√£o do condom√≠nio, deve √Č l√≥gico concluir que estas tabelas devem ser aprovadas com a mesma maioria exigida pelo regulamento do condom√≠nio. (Cass. SS.UU. 8 de agosto de 2010 n. 18477).
Não há razão acreditar que este princípio de direito não deve ser considerado válido mesmo após a entrada em vigor da lei no. 220.



Vídeo: