Modificação dos critérios para alocação de custos

No prédio da Alfa há muitos anos, devido às disposições contidas no regulamento contratual, os custos de aquecimento foram divididos

Modificação dos critérios para alocação de custos

Ripartizione spese

No condomínio Alfa por longos anos, de acordo com as disposições contidas no regulamento contratual, custos de aquecimento eles foram distribuídos com base em uma tabela específica. Seguindo algumas variações na composição da equipe, a assembléia se encontra para decidir alguns eventos relativos à gestão e despesas de bens comuns. Resultado: entre as várias coisas a maioria da reunião decidiu mudar os critérios para alocação das despesas para o funcionamento do sistema de aquecimento. Uma história inventada, que acabou de descrever, mas tem uma base comum àquela que liderou a Tribunal de Cassação para emitir sentença não. 27016. Objeto da disputa: o mudança de critérios de distribuição despesas do condomínio. Juízes supremos confirmaram seu pronunciamento constante sobre o assunto, que encontra, então, os vínculos normativos no primeiro parágrafo do art. 1123 c.c. Em essência, a mudança para os critérios de subdivisão atuais (sejam convencionais ou legais) deve ser aprovado com o consentimento de todos os condomínios.

Ripartizione spese

Ao contrário, eles afirmam os arminhos, é afetado por nulidade (que pode ser invocada pelo mesmo condomínio que participou da reunião e mesmo se ele votou a favor, e é retirado do termo de recurso nos termos do artigo 1137 do Código Civil) a resolução da reunião do condomínio com o que, sem o consentimento de todos os condomínios, alterar os critérios legais (artigo 1123 do Código Civil) ou da regulação contratual de repartição das despesas necessárias para a prestação de serviços no interesse comum, uma vez que quaisquer derrogações, vindo a afectar o direitos individuais do condomínio individual através de uma alteração no valor da parte do edifício da sua propriedade exclusiva, só pode ser alcançado por uma convenção a que ele adere (Cass. 15 de dezembro de 2011 n. 27016). Além disso, reiterando um conceito já expresso, a Tribunal Regulatório ele especificado lembrou que eles não são nulos, mas anulável e, como tal, impugnável dentro do prazo a que se refere o art. 1137 c.c., u.c., as deliberações pelas quais a assembléia geral de acionistas, no exercício dos poderes previstos no art. 1135 do Código Civil, n. 2 e 3, na prática determina a alocação das mesmas despesas em contraste com os critérios estabelecidos no art. 1123 c.c. (Cass. 15 de dezembro de 2011 n. 27016). A distinção, portanto, deve ser encontrada na ata: se os critérios de distribuição forem alterados a decisão é nula, enquanto se você compartilhar, em concreto, uma despesa diferente, a decisão será considerada anulável.



Vídeo: IRPJ E CSLL Como tributar o ganho de capital na venda de bens da empresa