Banco de dados de condomínios e dados relacionados a condições de segurança

A reforma do condomínio, em vigor desde 18 de junho de 2019, introduziu a obrigação de manter o cadastro do condomínio e os dados sobre as condições de segurança.

Banco de dados de condomínios e dados relacionados a condições de segurança

Documenti

As inovações legislativas introduzidas por reforma do condomínio despertar interesse e, como é normal, também é do perplexidade.
Entre as dúvidas dos comentaristas, dos insiders e dos usuários, um deles parece ser mais recorrente: quais são as dados relativos às condições de segurança e consequentemente o que o administrador pode fazer se o condomínio não os comunica?
Antes de entrar no mérito da questão, respondendo a pergunta, vale a pena entender mais de perto o que deve ser entendido pelo registro do condomínio.

Registro de condomínio e obrigações de comunicação

o lei n. 220/2012, entre outras coisas, modificou a arte. 1130 c.c.
Isso ai novo n. 6 especifica que oadministrador, a partir de 18 de junho de 2013 (data de entrada em vigor da reforma), terá de zelar pela manutenção do cadastro de registros condicionais contendo a generalidade dos titulares e detentores dos direitos e direitos de usufruto pessoal, incluindo o código tributário e a residência ou domicílio, os dados cadastrais de cada unidade habitacional, bem como quaisquer dados relativos a condições de segurança. Qualquer variação dos dados deve ser comunicada ao administrador por escrito dentro de 60 dias. O administrador, em caso de inação, falta ou incompletude das comunicações, exige por carta registrada as informações necessárias para manter o registro de registros. Após trinta dias, em caso de resposta omitida ou incompleta, o administrador adquire as informações necessárias, debitando o custo aos gestores (art. 1130 n. 6 cc nova formulação).

Documenti condominiali

A norma pode ser lida facilmente.
L 'administrador terá que manter um registro com todos os dados relativos à propriedade e às pessoas que a ocupam, por exemplo: proprietário, usufrutuário, arrendatário, etc. Quanto ao último, que muitas vezes permanece desconhecido para o condomínio, a reforma é certamente uma dor de cabeça para aqueles que alugaram uma unidade imobiliária.
O registro deve ser mantido com o colaboração constante do condomínio; a relutância desta última implicará apenas a cobrança dos custos para a busca das informações indicadas na norma.
Trazendo estes declarações teóricas na prática diária, como já é o caso hoje, é muito provável que os diretores preparem um chamado cartão imobiliário que os condomínios terão que retornar preenchidos com todas as informações solicitadas.

Dados relativos às condições de segurança

Vamos chegar ao cerne da questão, começando a esclarecer as dúvidas de que estávamos falando no começo.
Quais são as dados relativos à segurança da unidade imobiliária.
Segundo o escritor, isso é tudo certificações relativas a a funcionalidade perfeita dos sistemas e, mais geralmente, a habitabilidade do edifício.
Pense nas declarações de conformidade antigo D.M. n. 37/08 ou tudopraticabilidade antigo Decreto presidencial n. 380/01.
Entre outras coisas, é bom lembrar que a usabilidade só pode ser emitida na presença de todas as certificações de conformidade das plantas e da experiência de testar o edifício.
Apenas a viabilidade, portanto, poderia representar o documento útil (exclusivo) atestar a segurança e, portanto, a viabilidade das unidades imobiliárias.
De acordo comart. 24, primeiro pargrafo, do d.p.r. n. 380de fato o certificado de praticabilidade certifica a existência das condições de segurança, higiene, salubridade, economia de energia dos edifícios e dos sistemas instalados nos mesmos, avaliados de acordo com o que estiver em vigor.
Na fase, por assim dizer, de colaboração leal entre administrador e condominoportanto, é suficiente que o condomínio informe o administrador da existência, indicando os detalhes de identificação da escritura.

Dados sobre segurança, silêncio do condomínio e poderes do administrador

Accesso ai documenti

Foi dito quee o condomínio não cooperará, o administrador pode adquirir esta informação ex officio com a carga dos custos contra ele.
O que ele fará no caso de atos administrativos como, de fato, o certificado de praticabilidade?
Lendo o regra contida no novo art. 1130 n. 6 c.c. e os relativos ao acesso aos actos administrativos (art. 22 l n. 241/90), a resposta mais lógica parece ser a seguinte: o administrador, como representante legal do condomínio e, portanto, o portador de um interesse reconhecido pela lei (precisamente o novo artigo 1130 nº 6 c.c.), pode avançar um pedido de acesso e cópia para documentos relativos a dados de segurança que o condomínio não pretendia comunicar.



Vídeo: Celso Russomanno tira dúvidas sobre conta em banco e cartão de crédito