O mau funcionamento do medidor de energia elétrica

Temos a d√ļvida ou a certeza de que nosso medidor de energia el√©trica n√£o funciona corretamente? Vamos ver o que fazer, a partir da verifica√ß√£o do contador

O mau funcionamento do medidor de energia elétrica

Mau funcionamento do medidor de eletricidade

Mau funcionamento do contador: tomada de electricidade

Quanto ao gás, também o contador dell 'electricidade pode fazer as birras, digamos assim, e, portanto, expor o pedido pelo vendedor de pagamentos desproporcionais ao consumo real, ou, ao contrário, nos dar a ilusão de notas muito baixas, até agora dramático do ajuste.
Ent√£o, vamos ver como se comportar quando tivermos a d√ļvida de que algo est√° errado com o nosso grupo de medi√ß√£o.
O assunto √© regulado principalmente por resolu√ß√Ķes n. 200/99 e 646/15 dell 'AeegsiAutoridade para a Electricidade, G√°s e o Sistema de √Āgua.
Como sempre, também aqui recomendamos a leitura integral dos textos normativos, aqui reportados apenas para extratos ou resumos, e o uso de especialistas para a solução de casos não simples.
A resolução da autoridade n. 200/99 diz respeito aos clientes dos chamados mercado ligado.
As regras desta resolução que nos interessam hoje estão dentro do Título IV (Artigos. 9, 10 e 11).
No entanto, estas regras s√£o, no entanto, referidas, tanto quanto estamos interessados, Del. Aeegsi n. 646/2015, que n√£o aborda especificamente os clientes no mercado restrito, mas, obviamente, para todos.

Defini√ß√Ķes b√°sicas

Ent√£o, vamos primeiro explicar o que chamamos de jarg√£o contador √© tecnicamente um grupo de medi√ß√£o, definido pelo resolu√ß√£o no. 200/99como o conjunto de equipamentos localizado na fronteira entre a planta de propriedade da operadora e a planta do cliente, ou ponto de entrega, projetado para medir a eletricidade fornecida e possivelmente dedicada a outras fun√ß√Ķes caracter√≠sticas (V. art. 1, co.1, Lett. ou).
o verifica√ß√£o do grupo de medi√ß√£o √© a verifica√ß√£o de que a opera√ß√£o do mesmo est√° em conformidade com as prescri√ß√Ķes t√©cnicas vigentes (v. art. 1, co.1, Lett. p).

Pedido de verificação

o pedido o desempenho do distribuidor deve ser encaminhado pelo cliente ao vendedor, com exceção de alguns casos em que o cliente pode entrar em contato com o distribuidor, ou seja, na presença de:
a) reclama√ß√Ķes por escrito ou solicita√ß√Ķes por escrito de informa√ß√Ķes relacionadas a servi√ßos de distribui√ß√£o e medi√ß√£o; referidoart. 96.
b) pedidos de estimativa para execução de obras na ausência de contrato de fornecimento;
c) pedidos de execução de obras sem a ativação do fornecimento;
d) solicita√ß√Ķes para mover linhas e sistemas el√©tricos que n√£o s√£o funcionais para o
deslocamento do grupo de medição do cliente final solicitante;
e) pedidos de movimentação de pontos de venda não activos, se forem realizados por um candidato diferente
pelo sucessor;
f) pedidos de movimento conjunto de pelo menos quatro grupos de medição realizados por
administradores do condomínio em nome dos clientes.
Excluindo o caso de reativa√ß√£o ap√≥s a suspens√£o por inadimpl√™ncia (v. co. 90,2), o vendedor, caso tenha que enviar o pedido de servi√ßo recebido do cliente final para um distribuidor, envia o pedido dentro de dois dias √ļteis a partir da data de recebimento. Da mesma forma, qualquer transmiss√£o ao cliente final da comunica√ß√£o do resultado do servi√ßo ou outra documenta√ß√£o deve ocorrer do vendedor para o cliente final dentro de dois dias √ļteis a partir da data de recebimento pelo distribuidor.
Especifique o padr√£o que para comerciantes que n√£o estejam sujeitos a obriga√ß√Ķes de separa√ß√£o de lei 3 de agosto de 2007, n. 125, os termos distribuidor e vendedor identificam o mesmo assunto; portanto, para esses sujeitos, as obriga√ß√Ķes tempestivas estabelecidas no par√°grafo anterior n√£o s√£o aplic√°veis, assumindo que a transfer√™ncia de documenta√ß√£o e informa√ß√£o √© instant√Ęnea.

Reconstrução de consumo

Mau funcionamento do contador: l√Ęmpada el√©trica

Uma vez apurado o mau funcionamento do medidor, ou seja, um erro em excesso ou inadimplente, comparado ao registro de consumo superior ao erro permitido pelas normas técnicas, o operador deve proceder à reconstrução do consumo e à posterior equalização, fornecendo interessado em comunicação adequada; no resultado da verificação do contador, o relatório de verificação (V. art. 9).
O período de tempo ao qual a reconstrução deve se referir, também chamado período de reconstrução de consumo è intervalo de tempo entre o momento em que ocorreu a falha ou a ruptura da unidade de medição, se determinável com certeza, e o momento em que o comerciante fornece a substituição ou reparo da própria unidade de medição.
10.2 Se o momento em que ocorreu a avaria ou quebra da unidade de medição não pode ser determinado com certeza, o período com referência ao qual o operador pode proceder à reconstrução do consumo não pode exceder os trezentos e sessenta e cinco dias anteriores à data em que a verificação do grupo de medição foi realizada e pode incluir qualquer período adicional entre a data de verificação e a de substituição ou reparo do mesmo grupo de medição (V. artigo 10).

Modos para a reconstrução do consumo

como o consumo é reconstruído?
A norma fornece as seguintes indica√ß√Ķes.
As hipóteses possíveis são duas, dependendo se é possível ou não durante a verificação identificarerro na medição.
Se o erro for identificado ent√£o a reconstru√ß√£o ocorre com base no erro de medi√ß√£o verificado durante a verifica√ß√£o do grupo de medi√ß√£o; erro possivelmente corrigido com base nas medi√ß√Ķes de um segundo grupo de medi√ß√£o de controle, instalado em paralelo ao grupo principal de medi√ß√£o por iniciativa do operador (V. co.11.1).
Se ao inv√©s disso n√£o √© poss√≠vel subir ao erro, exemplo t√≠pico √© o bloco total do contador, ent√£o a reconstru√ß√£o deve tomar como refer√™ncia o consumo do cliente referente aos dois √ļltimos per√≠odos correspondentes √†quele reconstru√≠do e antes da falha ou quebra.
Nesse caso, o cliente pode se comunicar e tentar (com elementos documentais) altera√ß√Ķes no perfil de consumo, no per√≠odo de reconstru√ß√£o, comparadas com as produzidas no per√≠odo tomado como refer√™ncia pelo operador (ver co. 11.1).

O valor cobrado

L 'quantidade devido de acordo com o operador ap√≥s os c√°lculos de reconstru√ß√£o deve ser dado a conhecer ao cliente no prazo de dois meses ap√≥s a verifica√ß√£o, a menos que raz√Ķes t√©cnicas provadas.
Além do valor também deve ser divulgado o documentação de apoio deste montante, incluindo os métodos para determinar o momento de falha ou avaria, as estimativas detalhadas da reconstrução e o método de estimativa utilizado (V. co. 11.2).
A comunicação deve atingir o cliente primeiro da possível substituição do grupo de medição.
A norma 11.2 especifica que, se a substituição imediata for necessária, ela só pode ocorrer com o consentimento por escrito do cliente que leu o consumo registrado pela unidade de medição no momento de sua substituição e as assina; esta regra foi substituída, como veremos mais adiante, co. 92,5, letra e) e 92.6 de Resolução 646/2015.
Como, no entanto, no texto disponibilizado aos usuários pela AEEGSI em seu site esta regra ainda está presente, questiona-se se não cabe aos usuários com mercado regulado, ao qual Resolução 200/99 refere-se, em particular, e se a substituição não se aplica a todos os outros, dada a referência à Resolução 200/99 operado pelo co. 92,5, a. 646/2015 ou se a falha em corrigir a resolução não é apenas o resultado de um erro material.
A partir do recebimento da comunica√ß√£o dos resultados da reconstru√ß√£o do consumo, o cliente tem trinta dias apresentar seus pr√≥prios observa√ß√Ķes devidamente documentada e desafiar a reconstru√ß√£o do consumo (V. co. 11.3).
√Č importante saber que, em caso de controv√©rsia sobre a reconstru√ß√£o do consumo, at√© que isso seja resolvido, o operador n√£o pode suspender o fornecimento de eletricidade para o cliente para o referido montante (v. co. 11.4).

Verificação, substituição e níveis de qualidade

Mau funcionamento do contador: empresa elétrica

o Resolu√ß√£o 646/2015, no parte II, dedicado a Ajuste de n√≠veis espec√≠ficos e gerais de qualidade comercial para Artigos 92 e 93 lida em particular com o Tempo de comunica√ß√£o do resultado da verifica√ß√£o do grupo de medi√ß√£o e do Hora de substituir o grupo de medi√ß√Ķes com falha.
Em outras palavras, os crit√©rios s√£o fornecidos para medir o tempo gasto pelo operador para executar determinadas opera√ß√Ķes.
Ao exceder estes termos, o direito a um ou mais √© acionado, salvo exce√ß√Ķes espec√≠ficas compensa√ß√£o autom√°tica.
Vamos ver os itens que nos interessam no caso específico.
L 'art. 100, para a qual √© feita refer√™ncia para fins de s√≠ntese, indica normas relativas a aspectos particulares para o c√°lculo do tempo de execu√ß√Ķes.

O tempo de comunicação da verificação

o tempo de comunica√ß√£o do resultado da verifica√ß√£o do grupo de medi√ß√£o √© medido em dias √ļteis entre a data de recep√ß√£o, pelo distribuidor, da confirma√ß√£o do pedido de verifica√ß√£o do grupo de medi√ß√£o enviado pelo requerente ea comunica√ß√£o ao requerente do resultado da verifica√ß√£o (ver co. 92,1).
O distribuidor deve registrar os resultados das verifica√ß√Ķes no medidor (ver co. 92,2).
L 'art. 107 da mesma resolu√ß√£o, √† qual √© feita refer√™ncia, dada a sua plenitude, indica as condi√ß√Ķes que o operador deve cumprir no inscri√ß√£o dos referidos dados.
Se o erro verificado estiver dentro dos limites erro admiss√≠vel de acordo com os regulamentos aplic√°veis ‚Äč‚Äče o funcionamento correto do rel√≥gio / calend√°rio √© estabelecido, juntamente com o resultado da verifica√ß√£o, o expositor deve comunicar o valor cobrado de acordo com Texto integrado das disposi√ß√Ķes da Autoridade relativas √† presta√ß√£o de servi√ßos de transporte, distribui√ß√£o e medi√ß√£o de eletricidade para o per√≠odo de regulamenta√ß√£o 2016-2023 e disposi√ß√Ķes sobre as condi√ß√Ķes econ√≥micas para a presta√ß√£o do servi√ßo de conex√£o.
Se, em vez disso, um erro for determinado acima dos limites admissível de acordo com o regulamento ou o funcionamento incorreto do relógio / calendário, as causas de mau funcionamento deve ser registrado de acordo com algumas classes, que são:
a) falha ou anomalia no contador que impe√ßa o registro correto do consumo devido a limites de toler√Ęncia al√©m dos limites de erro permitidos pela legisla√ß√£o vigente;
b) falha ou anomalia nas engrenagens de medi√ß√£o que impe√ßa o registro correto do consumo devido a limites de toler√Ęncia al√©m dos limites de erro permitidos pela legisla√ß√£o vigente;
c) falha ou anomalia ao relógio / calendário;
d) outra falha ou anomalia (V. co. 92,4).
Nestes casos, com a comunica√ß√£o do resultado da verifica√ß√£o ao requerente, o distribuidor deve informar o requerente de que √© necess√°rio substitui√ß√£o imediata do contador e nos casos acima referidos co. 92,4, letras a), b) ec) as disposi√ß√Ķes estabelecidas no T√≠tulo IV da resolu√ß√£o de 28 de dezembro de 1999, n. 200/99 para o reconstru√ß√£o de consumo.
Neste caso, a finalidade do distribuidor deve tamb√©m comunicar ao requerente determinadas informa√ß√Ķes, nomeadamente:
a) a data prevista de substituição da unidade de medição;
b) o nome e n√ļmero de telefone da pessoa respons√°vel pela conta do distribuidor;
c) que o cliente final tem cinco dias a contar da data de recebimento do resultado da verifica√ß√£o para acordar com a pessoa referida na al√≠nea b) uma data alternativa, no prazo de quinze dias √ļteis a contar da data referida na al√≠nea a), para a substitui√ß√£o do grupo de medi√ß√£o;
d) que o cliente final deve garantir a disponibilidade, própria ou pessoalmente por ele indicada, para receber o distribuidor para a substituição do grupo de medição;
e) que, ao final da substituição da unidade de medição, uma cópia do relatório de substituição será entregue ao cliente final, que o cliente indicará para anotar o consumo registrado pelo grupo de medição substituído;
f) que, em caso de incumprimento da data referida na alínea a), sem prejuízo do adiamento referido na alínea c), seja concedida compensação automática (V. co. 92,5).
Por favor, note que a regra acima referida Lett. e) substitui a norma referida no co.11.2 de a. n. 200/99, que prevê que No caso em que a falha requer a substituição imediata da unidade de medição, tal substituição só pode ocorrer com o consentimento por escrito do cliente que, tendo lido o consumo registrado pela unidade de medição no momento de sua substituição, os assina.
Dito isto, o tempo que deve ser respeitado para a comunica√ß√£o do resultado da verifica√ß√£o para clientes de baixa tens√£o √© de quinze dias √ļteis (v. Tab. 13).

Tempo de substituição do contador de falhas

Mau funcionamento do contador: tomada elétrica

Quanto ao substitui√ß√£o do contador, o tempo empregado √© isso, em dias √ļteis, entre a data de disponibiliza√ß√£o ao requerente do documento que cont√©m o resultado da verifica√ß√£o e a data de substitui√ß√£o do grupo de medi√ß√£o reprovado (V. co. 93,1).
Se a data for adiada a pedido do requerente, nos termos do co. 92,5, letra c), o tempo extra em comparação com a data proposta pelo distribuidor não deve ser computado com a finalidade de verificar a conformidade do nível de qualidade (ver co. 93,2).
Se a unidade de medida estiver inacessível, o distribuidor deve provar que realizou a tentativa referida no parágrafo 92.5 (V. co. 93,5).
o substitui√ß√£o do metro, para clientes de baixa tens√£o, deve ocorrer no prazo de quinze dias √ļteis (ver Tab. 13).

Verificação, substituição e compensação automática

L 'compensa√ß√£o b√°sica por exceder o tempo de comunica√ß√£o do resultado da verifica√ß√£o √© de ‚ā¨ 35,00 para clientes de baixa tens√£o.
A mesma quantia é para a indenização básica por exceder o tempo necessário para substituir o medidor (v. Tab.15).
A indeniza√ß√£o b√°sica aumenta √† medida que o atraso aumenta, de acordo com as indica√ß√Ķesart. 104.
As indemniza√ß√Ķes n√£o s√£o devidas se a n√£o conformidade for devida a for√ßa maior, ao cliente ou a terceiros (ver co. 105,1 e 103.1, Lett. aeb) ou se o cliente n√£o estiver em conformidade com os pagamentos devidos pelo servi√ßo solicitado.
Quanto ao nosso t√≥pico espec√≠fico, a distribuidora n√£o √© obrigada a pagar a indeniza√ß√£o autom√°tica... a) pelo descumprimento do prazo m√°ximo para a restaura√ß√£o do suprimento ap√≥s uma falha do grupo de medi√ß√£o para usu√°rios finais alimentados por baixa tens√£o se a interrup√ß√£o do fornecimento for causada pelo √ļnico afrouxamento dos grampos de cabo na unidade de medi√ß√£o, da interven√ß√£o do limitador para amostragem irregular ou de danos para a unidade de medida, se instalado dentro das √°reas de acesso exclusivo do cliente final;
b) por incumprimento do prazo máximo de substituição da unidade no caso de esta estar inacessível (V. co. 105,4).
Finalmente, lembre - se que no caso de uma reclamação para a reconstrução do consumo após um mau funcionamento da unidade de dosagem, não é possível suspender o fornecimento de eletricidade até que seja dada uma resposta fundamentada à reclamação (ver parágrafo. art. 4, Del. Aeegsi 258/2015).



Vídeo: Sobrecarga = Aumento na Conta de energia elétrica