Gratuito para uso: desconto IMU e TASI

Introduzido pela Lei de Estabilidade 2019 a facilitação para IMU e TASI em edifícios concedidos em empréstimo para uso livre para parentes em uma linha direta de primeiro grau

Gratuito para uso: desconto IMU e TASI

Imóvel IMU e TASI emprestado para uso livre

A lei de estabilidade de 2016 (Lei de 28 de dezembro de 2015, n¬ļ 208) introduziu inova√ß√Ķes importantes em rela√ß√£o √†s propriedades concedidas em empr√©stimo para uso livre, uma situa√ß√£o muito frequente, especialmente entre pais e filhos com os primeiros que d√£o um lar a estes √ļltimos.
Notícias sobre o regime fiscal aplicável, ou seja, IMU e TASI. Vamos ver o que é o contrato de empréstimo, a legislação tributária vigente e a vigente à luz do orçamento anterior.

Qual é o empréstimo para uso livre de uma propriedade

IMU emprestado

O empréstimo, de acordo com a definição dada pelo artigo 1809 do Código Civil, é o contrato com o qual uma parte chamada reconfortante, entrega ao outro, chamada devedor, um bem móvel ou imóvel, porque ele o usa por um certo tempo e usa, com a obrigação de devolvê-lo.
A principal característica do contrato de empréstimo para uso de um edifício é a gratuidade que o diferencia do contrato de arrendamento onde, para a concessão de um bem imóvel, é paga uma taxa, o aluguel pelo inquilino ao locador.
Apesar de ser livre, uma s√©rie de obriga√ß√Ķes para as partes derivam do contrato de empr√©stimo. Para o devedor em particular, isto √©, aquele que recebe o bem, h√° o √īnus de guardar a coisa com a dilig√™ncia do bom pai da fam√≠lia. Se falhar nesta obriga√ß√£o, o mutu√°rio pode solicitar o retorno imediato do ativo.
Por outro lado, o mutuário responde se a coisa falha por um caso fortuito para o qual ele, com diligência normal, poderia tirá-lo dele. Por outro lado, não responde, no caso de deterioração normal, que a propriedade sofre como resultado do uso a que se destina.
O empréstimo é um contrato de forma livre e, como tal, não precisa ser estipulado por escrito, mesmo que um acordo por escrito certamente forneça mais garantias a ambas as partes.

Imóvel IMU e TASI emprestado para uso: a legislação anterior

IMU 2016

Quanto √†s taxas a serem pagas, o Lei de Estabilidade 2016 introduziu uma novidade. Quando se trata de impostos, a refer√™ncia √© para a IMU, o imposto municipal sobre im√≥veis e TASI, o imposto municipal sobre servi√ßos indivis√≠veis, como manuten√ß√£o da superf√≠cie da estrada, ilumina√ß√£o p√ļblica, etc... ambos, IMU e TASI, s√£o dois impostos entraram em conjunto com TARI, o imposto sobre os res√≠duos no chamado IUC, Municipal Unica Tax.
A IMU e a TASI não são devidas emcasa principal que não se enquadra nas categorias cadastrais de luxo e / ou prestígio, nomeadamente A1 (Edifícios residenciais de tipo elegante), A8 (Casas em moradias) e A9 (Castelos, palácios de eminentes méritos artísticos ou históricos).
E para as propriedades concedidas em empréstimo para uso livre? Até o ano passado cabia aos Municípios com um regulamento especial assimilar à residência principal que data em empréstimo a parentes em linha reta de primeiro grau (pai / filho).
Muitos municípios, no entanto, em vez de terem a assimilação, reconheceram uma taxa reduzida para ambos'IMU que para o TASI. Portanto, não havia uma isenção generalizada, mas era necessário examinar caso a caso o que o município de residência decidira na resolução que foi publicada no portal on-line da Secretaria da Fazenda.

Propriedades IMU e TASI emprestadas para uso: as mudanças na Lei de Estabilidade

A partir de 1 de janeiro de 2016, data de entrada em vigor da Lei de Estabilidade, está prevista uma alteração do regulamento, introduzindo uma vantagem que consiste na redução da base tributável tanto para a IMU TASI para propriedades concedidas em empréstimo para uso livre igual a 50%.
Note-se que a TASI reduzida é pagável apenas pelo proprietário, na medida entre 70 e 90% estabelecida pelo Município, pois, mesmo para o titular, desde 2016, a casa principal foi isenta.
Para que a facilita√ß√£o seja aplicada, condi√ß√Ķes espec√≠ficas devem ser atendidas, que s√£o as seguintes:
‚ÄĘ o contribuinte deve possuir como propriedade, usufruto, superf√≠cie, uso ou moradia no m√°ximo duas moradias n√£o de luxo, uma das quais √© usada como sua resid√™ncia principal e uma data em empr√©stimo ao parente em linha reta dentro do primeiro grau. A legisla√ß√£o, ao mesmo tempo que prev√™ o limite de duas casas, n√£o limita a percentagem de propriedade. Isso significa que se voc√™ tem duas casas em 50% e uma terceira casa em 0,1%, a instala√ß√£o n√£o √© sua
- o banqueiro e o mutuário devem ter sua residência pessoal e residência habitual no mesmo município. Portanto, se um contribuinte possui duas casas, uma em Turim e outra em Nápoles, por exemplo, a instalação não é devida
- o contrato de empréstimo deve ser registrado.

Registro de contrato de empréstimo

Registro registrado

Precisamente em rela√ß√£o ao registro do contrato de empr√©stimo de uma propriedade para uso livre voc√™ precisa fazer mais esclarecimentos. √Č feita uma distin√ß√£o entre a habita√ß√£o concedida em empr√©stimo com um contrato escrito ou apenas um contrato verbal. No primeiro caso, a obriga√ß√£o de registro √© acionada em 20 dias.
Para contratos de empr√©stimo verbal, no entanto, geralmente n√£o h√° exig√™ncia de registro, mas se voc√™ quiser acessar a facilita√ß√£o IMU, voc√™ precisa completar a formalidade. O Minist√©rio da Economia e Finan√ßas interveio neste ponto, afirmando que o registro do contrato de empr√©stimo estipulado em forma verbal deve ocorrer at√© 1¬ļ de mar√ßo.
O registro dos contratos de empréstimo pode ser feito mediante a apresentação, a qualquer escritório local doAgência de receita, apenas o modelo de pedido de registro (modelo 69) em duplicado, em que, como tipologia da escritura, deve ser indicado um contrato para um empréstimo livre.
Neste caso, √© necess√°rio pagar o imposto de registo, que √© igual a ‚ā¨ 200 eo pagamento deve ser feito com o Modelo F23 indicando o c√≥digo fiscal 109T. Para selos em forma escrita, o imposto de selo tamb√©m √© pag√°vel, o qual √© pago por meio de marca√ß√Ķes eletr√īnicas (ex selo) com uma data de emiss√£o n√£o posterior √† data da estipula√ß√£o. A quantidade de selos deve ser de 16 euros para cada 4 p√°ginas escritas e, em qualquer caso, para cada 100 linhas.

Inscrição tardia do empréstimo: as penalidades

E para aqueles que registram o contrato de empr√©stimo tarde? Neste caso, √© poss√≠vel usar a institui√ß√£o do arrependimento ativo, o que torna poss√≠vel regular uma omiss√£o, arrependendo-se dentro de certos prazos, pagando penalidades reduzidas de acordo com os dias de atraso. Assim, com o arrependimento do laborioso pode ser regularizada a falta de registro do contrato de empr√©stimo, pagando juntamente com as san√ß√Ķes, o imposto de registo de 200 euros, selos e interesses legais.
Aqui estão as penalidades aplicadas para aqueles que registram o empréstimo para uso livre de uma propriedade, uma condição necessária para ter Facilitação IMU e TASI:
‚ÄĘ registo de contrato adiada at√© 30 dias: multa de 1/10 de 200 euros - 20 euros
‚ÄĘ registo de contrato com atraso de 31 a 90 dias: 12% de penalidade (1/10 de 120%) - 24 euros
‚ÄĘ Registro de contrato com atraso de 91 dias a um ano: multa de 15% (1/8 de 120%) - 30 euros
‚ÄĘ registo do contrato atrasado para al√©m do ano mas dentro de 2 anos: multa de 17,14% (1/7 de 120%) - 34,29 ‚ā¨
‚ÄĘ registo de contrato com atraso superior a 2 anos: 20% de penaliza√ß√£o (1/6 de 120%) - 40 euros.



Vídeo: The Greatest Showman