É a transformação de parte do jardim em um lugar de estacionamento do condomínio legítimo?

A assembléia, com maioria simples, pode deliberar a transformação de uma pequena parte do jardim do condomínio em um estacionamento

É a transformação de parte do jardim em um lugar de estacionamento do condomínio legítimo?

Jardim comum

Em um condomínio a assembléia com maioria simples, e não por unanimidade, decide a transformação de parte do jardim comum em estacionamento para os carros dos condomínios.
Um dos co-proprietários não há recurso para o Tribunal; isso, ele diz, foi uma inovação e como tal teve que ser deliberado. Em primeiro lugar, o condomínio vê rejeitou seu próprio pedido.
Daqui a recurso em recurso. o juiz de segundo grau Entendeu que a modificação deliberada, que consistia em acrescentar aos lugares de estacionamento já existentes de dois outros lugares de estacionamento mais pequenos e um pequeno terço, não constituía uma inovação proibida na acepção doart. 1120 bacalhau civ.
Motivo?
A intervenção deliberada foi essencialmente irrelevante em relação à área afetada em relação à área do condomínio.
A história teve seu epílogo em um julgamento de Cassação (enviado. n. 11177, de 4 de julho, s..).
Antes que possamos ver como os arminhos se pronunciaram, vale a pena lembrar o que deve ser entendido pela inovação.
No ponto, na ausência de definições codic o olhar deve ser voltado para os pronunciamentos jurisprudenciais.
Sempre de acordo com o Tribunal de Cassação, no que pode ser considerado sua orientação consolidada, afirmou que para inovações de coisas comuns entende-se, portanto, nem todas as modificações (qualquer opus novum), embora as modificações, que implicam a alteração da entidade substancial ou a mudança do destino original, para que as partes comuns, posteriormente as atividades ou trabalhos inovadores realizados, apresentam uma consistência material diferente, ou passam a ser utilizadas para outros fins que não os anteriores (entre outros: Cass., 23 de outubro de 1999, nº 11936, House., 29 de outubro de 1998, n. 1389, Cass., 5 de novembro de 1990, nº 10602) (Bem Cass. 26 de maio de 2006 n. 12654).
Bem, seria para exclamar, neste contexto, o transformação do jardim em estacionamento deve ser considerado um trabalho inovador: no final muda o destino da parte comum e, certamente, também sua consistência material.

Estacionamento compartilhado


Não!Esta é a resposta seca da Cassação na pronúncia em consideração.
Nós lemos na sentença que bem fez o juiz de mérito avaliou a intervenção de transformação desta maneira desde a fim de qualificar o trabalho como inovação, deve também ter em conta a real relevância e apreciação da modificação que produz, o que o levou a excluir, neste caso, a brevidade da intervenção, os pressupostos da própria inovação (Cass. 4 de julho de 2004 n. 11177).
Basicamente para inovação, também em relação ao que foi dito pela sentença nº. 12654, é necessário que toda a parte comum seja afetada pelaintervenção inovadora e não apenas uma pequena parte: neste caso, o trabalho pode ser decidido por maioria simples.



Vídeo: Silvio Santos ataca filha adotiva, Silvia Abravanel e detona: Não tem carisma | Veja o vídeo!