Protegendo-se legalmente do barulho de vizinhos que assediam

O que fazer se os vizinhos forem barulhentos? Vamos ver quais s√£o as prote√ß√Ķes legais oferecidas pela lei. Poss√≠vel reivindicar indeniza√ß√£o por danos ocorridos

Protegendo-se legalmente do barulho de vizinhos que assediam

Vizinhos barulhentos: o que fazer?

Quem nunca aconteceu de ter deuses vizinhos barulhentos que mantém o estéreo no volume máximo, fala alto, opera aparelhos barulhentos?
O que você pode fazer para poder interromper estes comportamento de assédio?
Em primeiro lugar, √© bom saber que, quando ocorrem as situa√ß√Ķes mencionadas acima, pode-se ter uma prote√ß√£o no campo civil e, quando certas condi√ß√Ķes forem atendidas, tamb√©m na √°rea criminal.

Ruídos irritantes no condomínio


A base da prote√ß√£o oferecida pelo nosso sistema jur√≠dico reside na defesa do direito de propriedade e do direito um sa√ļde. Todos t√™m o direito de desfrutar das coisas de que ele √© o propriet√°rio de maneira completa e exclusiva. A plenitude do propriedade isso implica que o gozo da propriedade (no nosso caso, a sua casa) n√£o deve ser limitado pelo ass√©dio de outros, como os ru√≠dos dos vizinhos. A lei tamb√©m protege o direito de sa√ļde, sancionada pela pr√≥pria Constitui√ß√£o como um direito inviol√°vel do indiv√≠duo.
O que fazer Ent√£o, quando paz e descanso s√£o comprometidos e nossos direitos s√£o prejudicados pelo comportamento irritante dos vizinhos? Descrevemos em detalhes as prote√ß√Ķes oferecidas pela lei.

Ruídos condominiais: proteção na área civil

Vamos ver quais s√£o os padr√Ķes √°rea civil que pode ser invocado para lidar com ru√≠dos irritantes vindo do apartamento do vizinho e quais s√£o as a√ß√Ķes legais que pode ser realizado.
O problema de ruídos barulhentos no condomínio ele é muito ouvido; a maioria deles brigas entre condomínios é de fato devido a esses comportamentos que podem perturbar a tranquilidade doméstica. Paredes finas e maus hábitos, como falar em voz alta, podem colocar em risco a quietude e o descanso, especialmente se tais oleodutos forem colocados em ação durante a noite.

Brigas entre condòmini por ruídos problemáticos


Se você está dentro de um condomínio a primeira coisa a verificar é a presença de um regulação condomínio em que há uma regra que mostra os tempos em que há uma proibição de fazer ruídos altos. A presença de um cláusula que, por exemplo, indicar os horários a serem respeitados em condomínio para a execução do trabalho doméstico, poderia ser de grande ajuda.
Em caso de comportamento de assédio e violação dos regulamentos do condomínio pelos vizinhos, será necessário interviradministrador o condomínio quem não consegue evitar administrar a situação pedindo a cessação de conduta irritante.
Muitas vezes, infelizmente, o apelo por uma maior atenção ao silêncio dos vizinhos não produz nenhum resultado. Se a intervenção do administrador do edifício não produzir qualquer efeito, será necessário solicitar o apoio de um legal de confiança.
Antes de entrar com uma ação judicial perante uma autoridade judicial, é melhor tentar chegar a um solução bem humorada de controvérsia. Um pode ser enviado para este propósito carta registrada pedir a interrupção do comportamento de assédio, propondo também a possibilidade de atuar judicialmente. Somente se isso não resultar em nenhum efeito positivo, uma ação judicial pode ser levada ao tribunal civil competente.

Proteção para ruídos perturbadores em um condomínio


Na lei não encontramos uma regra que permita univocamente resolver disputas no condomínio devido ao barulho que incomoda os condomínios.
No entanto, eles foram delineados pela legislatura do critérios usado por um juiz para resolver as disputas quando as partes não conseguiram resolver o assunto por conta própria.
Voc√™ pode agir de acordo com as provis√Ķes do artigo 844 o c√≥digo civil que, em geral, pro√≠be a introdu√ß√£o de fumo, calor, fumos e ru√≠dos em detrimento do propriet√°rio vizinho, se estes excederem a toler√Ęncia normal.
Por conseguinte, será possível tomar medidas para obter o cessação de ruídos altos, dando provas dos próprios ruídos e dos superação de tolerabilidade normal.
o teste dos fatos podem ser fornecidos por testemunhas (outros vizinhos, por exemplo) e um perícia de fonometria emitido por um técnico competente.
O juiz, ao avaliar o caso, ter√° que verificar superar a tolerabilidade normal dos ru√≠dos (geralmente em torno de 3 decib√©is), com o apoio de um consultor especialmente designado. Ter√° que levar em conta os testes produzidos e levar em considera√ß√£o os seguintes par√Ęmetros:
- o condição de lugares;
- le h√°bitos dos habitantes;
- o tempo em que os ruídos são feitos;
- o noisiness fundo da √°rea onde a casa est√° localizada.
De fato, ele detecta, além do tempo de ruído e sua intensidade, se a casa está localizada em uma área residencial ou não, se existem fábricas próximas ou mesmo estradas movimentadas.
A situa√ß√£o ser√° diferente entre uma √°rea de pa√≠s e uma cidade onde passam √īnibus e carros. Se o vizinho incomodar √† noite, o problema certamente ser√° mais sentido.
Se o juiz, com base nos elementos dispon√≠veis, avaliar que, no caso espec√≠fico, foi desatualizado limiar da tolerabilidade normal dos ru√≠dos, ordenar√° a cessa√ß√£o o prejudicial. Na aus√™ncia de tal exced√™ncia, as imiss√Ķes de ru√≠do devem ser toleradas.

Reivindicar por danos

O condómino que é perturbado pela máquina de lavar do vizinho, o aspirador operado no início da manhã ou o volume muito alto da televisão, além de pedir a interrupção do comportamento de assédio pode pedir ao compensação o dano imediatamente de acordo com as regras contidas no artigo 2043 do código civil.
Esta regra prev√™ o direito √† indemniza√ß√£o no caso de danos injustos causados ‚Äč‚Äčpelo comportamento intencional ou negligente de terceiros. Existem v√°rios itens de dano que podem ser compensados.
O condomínio danificado será, em primeiro lugar, compensado pela eventualidade dano pecuniário.
Pense na perda de valor de sua propriedade em caso de venda futura ou perda de oportunidade de alug√°-la.

Vizinhos barulhentos


Em segundo lugar, você pode reivindicar uma indemnização pelo dano não patrimonial suportou.
Esta é a violação do direito de progresso normal de vida familiar em casa e o direito à divulgação completa dos seus próprios atividades diárias que direitos garantidos pela Constituição.
o tribunal de Supremo Tribunal a este respeito, com a senten√ßa n.¬ļ 13208 de 27/06/2016, argumentou que as emiss√Ķes de ru√≠do que excedem o limiar da toler√Ęncia normal s√£o, por si s√≥, adequadas para provocar preju√≠zo equil√≠brio psicof√≠sica do sujeito exposto a eles repetidamente. Como posteriormente confirmado pela decis√£o 1606/2017, indeniza√ß√£o por danos n√£o patrimonial n√£o deve ser demonstrado porque autom√°tico em caso de supera√ß√£o do limite de tolerabilidade de ru√≠do.
O dano será determinado em equitativo pelo juiz, de acordo com sua prudente apreciação, se sua quantificação é impossível ou pelo menos difícil.
Discurso diferente em caso de dano biol√≥gico causada por les√£o ao direito √† sa√ļde e √† integridade psicof√≠sica que deve ser documentada, por exemplo, por um atestado m√©dico.
De fato, a sa√ļde pode ser comprometida pela falta de descanso e pela exposi√ß√£o prolongada ao ru√≠do.

Compensação dá ruídos irritantes


O pedido de indeniza√ß√£o deve ser apresentado ao Tribunal competente, caso os ru√≠dos sejam causados ‚Äč‚Äčpela realiza√ß√£o de uma atividade de produ√ß√£o (tamb√©m na √°rea do condom√≠nio).
Se a disputa envolver os habitantes de uma imóvel para uso residencial a causa será, em vez disso, a responsabilidade do juiz de paz, independentemente do seu valor. O mesmo se aplica quando o caso diz respeito à violação das regras contidas nos regulamentos do condomínio.

Proteção em matéria penal

Confrontado com condomínios de assédio, a fim de obter proteção de caráter criminal é necessário que o desordem de calma, sono e atividades diárias normais afetam um pluralidade de pessoas.
S√≥ neste caso o caso acima descrito √© de relev√Ęncia penal e complementa o crime de perturba√ß√£o do descanso e do ocupa√ß√Ķes das pessoas referidas no artigo 659 o c√≥digo penal.
O processo criminal, uma vez estabelecido, envolve a prisão até 3 meses ou a multa até 309 euros.



Vídeo: (THRIVE Português) PROSPERAR: O Que Será Necessário?