Contratos de arrendamento a uma taxa acordada: benefícios fiscais somente se houver um atestado

No caso de um contrato de aluguel não pago, a certificação das organizações profissionais é necessária para benefícios fiscais.

Contratos de arrendamento a uma taxa acordada: benefícios fiscais somente se houver um atestado

Aluguer a uma taxa acordada e atestado

Com resolução n. 31 de 20 de abril aagência qualquer receita fornece esclarecimentos importantes sobre a benefícios fiscais relacionados com a estipulação de contratos de arrendamento para uso residencial um taxa acordada.
Os requisitos necessários para se qualificar para benefícios fiscais são especificados quando o contrato de arrendamento não tanto assistida.
Então, vamos começar dizendo que no contrato de aluguel acordado as partes contratantes podem ou não ser assistidas, durante a elaboração do acordo, pelas organizações de proprietários e inquilinos, signatários do acordo celebrado em uma base local.

Alugar a uma taxa acordada


Se as partes não forem assistidas na elaboração do contrato, terão que adquirir umaatestação de pelo menos um dos organizações de categoria que certifica a conformidade do contrato com o conteúdo normativo dos acordos territoriais, com particular referência à parte econômica.
Veja neste ponto o decreto do Ministério das Infraestruturas de 16 de janeiro de 2017.
O atestado supracitado é um elemento indispensável para poder usufruir dos benefícios fiscais previstos em lei.
Trata-se, em particular, da aplicação de uma taxa reduzida de 10% para o cupão seco e das facilidades referidas no artigo 8.º da Lei n.º 431/1998, relativa ao IRPEF e aos impostos de registo.
A certificação não é necessária, no entanto, com referência a concessões estipulado antes da entrada em vigor do Decreto Ministerial de 16 de janeiro de 2017.
O mesmo se aplica àqueles concluídos posteriormente, se não houver acordos territoriais entre sindicatos e associações comerciais.
Para o que diz respeito à necessidade ou não de anexar o atestado do contrato de arrendamento no momento do registro, a resolução especifica que o DM não impõe uma obrigação real por parte das partes contratantes; no entanto, esclarece que esta alegação parece adequada para documentar a existência dos requisitos para efeitos de isenção fiscal.
Com a resolução, além disso, o Escritório de Impostos afirma que o atestado é um ato que não precisa ser registrado.
Ao registrar a locação, a Receita Federal registrará, sem aplicação de imposto registrar.
Para a liberação do atestado não imposto é esperado selo.



Vídeo: