A inércia da montagem e o administrador do condomínio

O que acontece se a assembléia do condomínio não tomar as medidas necessárias para administrar o prédio ou se o administrador não fizer o que é decidido?

A inércia da montagem e o administrador do condomínio

Administrador de montagem e inerte

Não é raro em tudo a assembleia do condomínio não pode decidir ou que as resoluções não são realizadas.

montagem

Considere, para dar exemplos, aos casos em que é necessário adaptar as instalações do condomínio à legislação vigente ou que, uma vez que as obras de renovação do edifício tenham sido deliberadas, elas não são realizadas.
O que pode ser feito nesses casos?
Se oinércia na deliberação é sempre atribuível à indiferença dos condomínios com relação à gestão das coisas comuns, a não implementação do deliberado nem sempre é imputável ao administrador. Em qualquer caso, a lei permite, em cada caso, para superar essa situação de impasse; vamos ver como.
o código civil fornece, dependendo das circunstâncias, remédios ad hoc.

Remédios contra a imobilidade do administrador

Se os problemas de gerenciamento dependerem do administrador, a lei permite que você atue por tribunal para obtê-lo revogação: o art. 1129, décima segunda vírgula, cc, de fato, especifica que é uma grave irregularidade na gestão da falha na execução da assembléia deliberada dos acionistas.
Em essência este é o raciocínio: nós mandamos o administrador inadimplente para substituí-lo por alguém que implementa a resolução.
Esse resultadoé claro, também pode ser alcançado pela assembleia de acionistas, desde que a revogação seja deliberada pela maioria dos presentes na assembleia que representem pelo menos 500 milésimos.
Em essência ação judicial é útil nos casos em que não apenas o administrador está inadimplente, mas também os condôminos não são confiáveis.
Em qualquer caso, permanece, exceto para o direito a indemnização por danos causado pela falha na execução da resolução.

Remédios contra a imobilidade da assembléia

E se é omontagem não cumpra o seu dever?

Montagem Condominial

Se a inércia da montagem, anúncio exemplo, impede a nomeação do administrador, você pode entrar em contato com o Tribunal para que o mesmo forneça, no lugar do processo, para nomeá-lo.
O que acontece se a inércia da assembléia não está relacionada à nomeação do condomínio?
o regras ditadas sobre o assunto do condomínio eles não lidam com a regulação dessa ocorrência. Neste contexto, no entanto, é possível obter da Autoridade Judicial uma medida equivalente àquela que deveria ter tomado a assembléia?
A resposta é positiva e sua referência normativa deve ser traçada no quarto parágrafo do art. 1105 c.c.
Trata-se de uma disposição ditada em relação à comunhão em geral, mas que, em virtude da referência contida no art. 1139 do Código Civil, também é aplicável a condomínios em edifícios (ver entre outros Cass. 30 de maio de 2003 n. 8803).
O que o quarto parágrafo do art. 1105 c.c.?
Se as medidas necessárias para a administração da coisa comum não forem tomadas ou a maioria não for formada, ou se a decisão adotada não for executada, cada participante poderá recorrer à autoridade judicial. Isso fornece conselhos na sala e também pode indicar um administrador.
A norma encontra aplicação tanto em condomínios que têm a obrigação de nomear um administrador, ambos naqueles c.d. pequenos condomínios onde isso não é necessário.
um exemplo esclarecerá quando a regra pode ser aplicada. Pense nas hipóteses em que surgiu a necessidade de realizar trabalhos de manutenção extraordinários, o administrador (ou um dos condomínios em caso de falta do administrador) convoca repetidamente a assembléia, mas isso pela indiscrição de muitos condomínios nunca conseguem deliberar conforme necessário.
Os interessados, isto é, os co-proprietários e o administrador, mas só se ele também é um condomino, eles podem apelar para a Autoridade Judicial para que seja o mesmo para encomendar as obras indispensáveis.
o que antigo art. 1105, quarto parágrafo, c.c. é qualificada pela jurisprudência como um recurso no escritório de jurisdição voluntária (Caixa 5762/80).
Mente: não é suficiente que os condomínios, sabendo por experiência o hábito das assembléias, decidem, para evitar perder tempo, entrar em contato com o juiz de antemão. Uma condição indispensável para o experimento útil do recurso baseado no art. 1105, quarto parágrafo, cc, é que existem precedentes em termos do fracasso em formar a maioria, ou a falha em executar uma decisão tomada (Modena Court 24 de fevereiro de 2009). Em essência, as circunstâncias (por exemplo, atas de reuniões, etc.) que demonstram a tomada de decisão ou o impasse executivo do condomínio serão anexadas ao requerimento.



Vídeo: