Sobre-endividamento, a lei que ajuda os devedores em dificuldade

A lei n. 3 de 2019 promete salvar os devedores no pavimento vendendo seus ativos sempre resgatando os direitos dos credores. Vamos ver como.

Sobre-endividamento, a lei que ajuda os devedores em dificuldade

Sovraindebitamento

Hoje, 29 de fevereiro, o lei n. 3 de 2012.
Esta disposi√ß√£o contendo Disposi√ß√Ķes sobre usura e extors√£o, bem como sobre a composi√ß√£o de crises excessivamente endividadas, visa, como diz o mesmo t√≠tulo da lei, regulamentar, entre outras coisas, aquelas situa√ß√Ķes dif√≠ceis de algumas categorias de devedores.
Os institutos lidam com este instituto artigos de 6 a 20 da lei citada em princípio.

O que é sobre-endividamento?

De acordo com o segundo par√°grafo do art. 6 da lei n. 3/2012:
[...] Sobre-endividamento significa uma situa√ß√£o de desequil√≠brio persistente entre as obriga√ß√Ķes assumidas e os ativos prontamente l√≠quidos para lidar com eles, bem como a incapacidade definitiva do devedor de cumprir regularmente suas obriga√ß√Ķes..
Um devedor deve honrar dívidas por milhares de euros mas para isso deve liquidar uma parte de seus ativos, consistindo principalmente de propriedade: essa é uma situação de superendividamento.
Ou de novo; uma pessoa √© indiferente, seja empregado ou aut√īnomo, contraiu muitas d√≠vidas, mas perde o emprego ou pelo menos de repente adquire muito pouco: em caso de dificuldade, pode recorrer √† lei do sobreendividamento.
Dito isto, portanto, vale a pena esclarecer definitivamente outro aspecto...

Quem pode tirar proveito da lei contra o superendividamento?

o primeiro par√°grafo do art. 6j√° mencionado, especifica que:
A fim de remediar situa√ß√Ķes de sobreendividamento que n√£o est√£o sujeitas ou sujeitas aos procedimentos em curso em mat√©ria de insolv√™ncia, o devedor pode celebrar um acordo com os credores no contexto do procedimento de resolu√ß√£o de crises regido pela presente decis√£o..
Em ess√™ncia a lei sobre-endividada aplica-se aos consumidores, micro-empresas e todas as situa√ß√Ķes que n√£o est√£o sujeitas a processos de fal√™ncia.

Como funciona a lei anti-suicídio?

Ler as regras contidas na lei n. 3 tudo deve ser muito simples.

Sovraindebitamento

Na prática, a referência é a arte. 7, o devedor em estado de superendividamento pode propor aos credores com a ajuda de entidades que criam uma crise - estas estruturas serão governadas por decretos sucessivos (que devem ser emitidos no prazo de 90 dias a partir de hoje) do Ministério da Justiça - um acordo reestruturação de dívida com base num plano de reembolso que, com base em garantias precisas também para aqueles que não aderem a esse acordo, asseguram o pagamento das dívidas incorridas.
√Č bom lembrar que O devedor n√£o deve apenas n√£o estar sujeito √† fal√™ncia, mas n√£o deve ter recorrido a este procedimento nos tr√™s anos anteriores (artigo 7.¬ļ da Lei n.¬ļ 3/2012).
claramente esta √ļltima afirma√ß√£o valer√° a pena para o futuro.
Artigo 8 da lei enfoca o conte√ļdo do acordo especificando o que pode conter e o que deve, no entanto, ser garantido ou n√£o afetado.
A proposta formulada com a ajuda de um organismo, deve então ser apresentado em juízo: a partir deste momento, uma série de actividades relativas ao juiz (por exemplo, a fixação da audiência) e ao devedor (por exemplo, notificação aos credores do decreto de fixação) seguem-se. visando o correto estabelecimento do contraditórioart. 10 l. 3/2012).
Na audiência acontece, na ausência de atividades produtivas do devedor, o que ele representa as notícias reais capaz de afetar significativamente a posição do devedor em dificuldade: a suspensão de qualquer ação executiva individual a ser iniciada ou em andamento.

√Č claro sobre o ponto do terceiro par√°grafo do art. 11 l. n. 3/2012 em mente de que:
Na audi√™ncia, o juiz, na aus√™ncia de iniciativas ou atos de fraude aos credores, prev√™ que, por n√£o mais de cento e vinte dias, n√£o podem ser iniciadas ou continuadas a√ß√Ķes executivas individuais nem provis√Ķes para direitos de preserva√ß√£o ou antecipa√ß√£o, sob pena de nulidade. sobre os ativos do devedor que apresentou o contrato proposto, por credores com t√≠tulo ou processo anterior. A suspens√£o n√£o opera contra os credores respons√°veis.
Os seguintes artigos eles organizam a formalização do acordo, a chamada homologação, e o papel das várias partes também em relação ao acordo a ser alcançado e ao cumprimento dos termos acordados.

Sovraindebitamento

Neste √ļltimo sentido, por exemplo, foi estabelecido que o acordo √© revogado por direito se o devedor n√£o executar integralmente, dentro de noventa dias das datas de vencimento, os pagamentos devidos aos √≥rg√£os fiscais e √≥rg√£os gestores de formas obrigat√≥rias de assist√™ncia e assist√™ncia (art. 11, quinto par√°grafo, l. n. 3/2012).
Quanto ao formas de implementação do acordofinalmente, a lei prevê a possibilidade de nomear um liquidatário que supervisiona sua implementação prática.

O que dizera lei, se bem aplicada, deve garantir ao devedor honesto e em dificuldade o risco de perder tudo e os credores insatisfeitos com a obten√ß√£o do pagamento em determinadas condi√ß√Ķes ou pelo menos evitar os atrasos e incertezas de um procedimento ordin√°rio de execu√ß√£o.
Em suma, em teoria, uma boa oportunidade para explorar em rela√ß√£o √†s d√≠vidas contra√≠das para rela√ß√Ķes de condom√≠nio, por raz√Ķes de consumo, impostos, etc.



Vídeo: Crise Financeira & Dívidas - Paulo Junior