Venda imediata da casa para hipotecas n√£o pagas. Aqui est√£o as √ļltimas not√≠cias

O Governo está a examinar um decreto que implementa a directiva comunitária que prevê a venda imediata do imóvel pelo não pagamento de dezoito pagamentos de hipoteca

Venda imediata da casa para hipotecas n√£o pagas. Aqui est√£o as √ļltimas not√≠cias

Hipotecas não pagas e execução imediata

Será mais fácil para os bancos vender uma propriedade sujeita a um contrato de hipoteca se o mutuário não pagar dezoito parcelas do empréstimo e não passará mais diante do juiz, acelerando assim todo o procedimento!
Ainda n√£o est√° claro se as dezoito parcelas tiverem que ser linha ou fragmentado.
Isto √© essencialmente o que √© exigido pelo esbo√ßo de um decreto legislativo, o ato do governo n√£o. 256, que incorpora uma diretriz da comunidade de 2014, modifica algumas normas Texto √ļnico de finan√ßas.

Hipotecas não pagas: o decreto de aplicação da Diretiva 2014/17 / UE

Hipotecas imobili√°rias

O decreto legislativo que est√° atualmente sendo examinado pelo Governo realiza a implementa√ß√£o do Diretiva 2014/17 / UE No que diz respeito aos contratos de cr√©dito ao consumo relativos a bens im√≥veis de habita√ß√£o, bem como as altera√ß√Ķes e aditamentos ao t√≠tulo VI-bis do Decreto Legislativo de 1 de Setembro de 1993, n. 385, sobre a regula√ß√£o dos agentes nas actividades financeiras e dos intermedi√°rios de cr√©dito e Decreto Legislativo de 13 de agosto de 2010, n. 141.
A directiva comunit√°ria no artigo 28¬ļ regula tamb√©m as hip√≥teses de atraso do consumidor, estipulando que os Estados-Membros n√£o impe√ßam as partes de um contrato de cr√©dito de acordar expressamente que a devolu√ß√£o ou transfer√™ncia da garantia ou o produto da venda da cau√ß√£o √© suficiente para reembolsar o cr√©dito.
Uma novidade que é implementada no decreto legislativo para o escrutínio do Governo que modifica o artigo 120-quinquesdecies do Banking Consolidated Act, que regula os casos de inadimplência do consumidor, evitando procedimentos de execução.
No n.¬ļ 3, o artigo prev√™ que as partes no contrato de empr√©stimo para a compra de um edif√≠cio para uso residencial pode expressamente acordar, no momento da celebra√ß√£o do contrato de cr√©dito ou posteriormente, que em caso de inadimpl√™ncia do consumidor - isto √©, em caso de atraso no pagamento de dezoito parcelas tamb√©m n√£o consecutivas, conforme definido dall 'art. 40 da Lei Consolidada de Finan√ßas - a devolu√ß√£o ou transfer√™ncia do im√≥vel sujeito a garantia ou do produto da venda do mesmo bem implica a extin√ß√£o da d√≠vida, sem preju√≠zo do direito do consumidor ao excesso.
De fato, a lei agora prevê que, se o devedor pular o pagamento de dezoito parcelas do empréstimo, o banco e o assinante do empréstimo empréstimo o mesmo pode incluir no contrato de financiamento a provisão de que a propriedade hipotecada é devolvida ao banco que a coloca à venda caindo do empréstimo.
Qualquer excedente resultante da venda ser√° pago ao devedor inadimplente.

Se o decreto for aprovado, o que muda de subst√Ęncia?

ele pule a passagem da corte e então o amante é sacrificadoartigo 2744 do código civil, que proíbe o chamado acordo, ou seja, o acordo com o qual é acordado que, na ausência de pagamento do crédito dentro do prazo definido, a propriedade da coisa hipotecada ou prometida passa para o credor.
o bancos eles podem assim entrar diretamente em posse da propriedade, sem ter que ir ao tribunal e com pressa para vendê-lo e satisfazer-se nos lucros.
L 'artigo 120-quinquesdecies da Lei consolidada dos bancos, conforme alterada pela diretiva da UE, também estabelece que o valor dos bens sujeitos à garantia é estimado por um perito escolhido pelas partes de acordo com uma avaliação após a não conformidade.
O Banco da It√°lia ter√° ent√£o de emitir o diretrizes para a avalia√ß√£o imobili√°ria, tendo em conta as avalia√ß√Ķes do Observat√≥rio do mercado imobili√°rio Mef.
Se, então, uma soma suficiente não for deduzida da venda, o devedor devolverá o restante após seis meses da conclusão da venda.

Hipotecas não pagas: a reintrodução de penalidades

Entre as outras altera√ß√Ķes previstas pelo decreto legislativo que implementa a diretiva da UE de 2014, espera-se tamb√©m a devolu√ß√£o das penas, abolida pelo Decreto de Bersani.
Em particular, √© a arte. 120-quinquies, par√°grafo 2, que prev√™ que o custo total do cr√©dito, Taeg, s√£o exclu√≠dos os custos associados com a transcri√ß√£o da escritura de venda do im√≥vel e quaisquer san√ß√Ķes pagas pelo consumidor para o n√£o cumprimento das obriga√ß√Ķes estabelecidas no contrato de cr√©dito.

As rea√ß√Ķes

Empréstimos para habitação

Protesto imediato de associa√ß√Ķes de consumidores, como a Confedercontribuenti, que lan√ßou uma cole√ß√£o de assinaturas em toda a It√°lia, tamb√©m on-line, que ser√° entregue aos presidentes da C√Ęmara e do Senado antes do decreto legislativo ser discutido no Parlamento. Mas o protesto tamb√©m est√° dentro da C√Ęmara da C√Ęmara.
Para o choro de A casa n√£o √© tocadaO 5 Star Movement protestou perante a C√Ęmara antes do Comit√™ de Finan√ßas e v√°rios deputados foram suspensos.
O presidente da Associa√ß√£o Banc√°ria Italiana, a Associa√ß√£o dos Bancos Italianos, Antonio Patuelli, tamb√©m interveio na discuss√£o, segundo a qual n√£o h√° risco de que as propriedades sejam apreendidos imediatamente. O vice-ministro da Economia tamb√©m interveio recentemente para apaziguar os esp√≠ritos e reprimir o protesto. Enrico Zanetti quem declarou que o governo liderado pelo premier Matteo Renzi est√° muito dispon√≠vel para fazer correc√ß√Ķes ao decreto legislativo que implementa a directiva europeia relativa √†s hipotecas.
Segundo Zanetti, o decreto poderia ser corrigido mudando a referência para dezoito taxa com uma referência aos prazos. O vice-ministro especifica ainda que as novas regras não são retroativas e que os critérios de nomeação do perito sejam super partes.

Considera√ß√Ķes sobre o decreto

Na opini√£o do escritor, se fosse para passar, este decreto iria para a desvantagem daqueles que entraram no empr√©stimo. Isso porque a passagem do tribunal conferiu ao juiz a faculdade de definir o pre√ßo da casa leiloada, de cuja venda, uma vez pago o montante principal, os juros ao banco e todas as despesas, se houvesse uma diferen√ßa econ√īmica, isso iria para os bolsos daqueles que no passado tinham ativado a hipoteca.
Se o decreto deve passar, o banco se tornaria proprietário direto propriedade; pode-se entender facilmente como seu interesse seria recuperar o máximo possível de capital, juros e despesas, mesmo à custa de vender a casa em comparação com o seu valor real. Isto é o que deveria acontecer a menos que acordos entre as partes.
No entanto, pode-se compreender bem quem entre os bancos e os cidad√£os seria o elo fraco!



Vídeo: Os Mestres do Dinheiro