Como verbalizar a resolução do condomínio?

A ata da assembl√©ia do condom√≠nio √© o documento contendo as resolu√ß√Ķes e deve ser elaborada seguindo os requisitos m√≠nimos para consider√°-la v√°lida.

Como verbalizar a resolução do condomínio?

Resolução do condomínio

verbal

Seguindo o discussão dos pontos incluídos na agenda de uma assembléia de condomínio é necessário votar para tomar uma decisão sobre isto.
Qual é o forma de voto?
Existem formalidades particulares ser respeitado para n√£o invalidar a decis√£o?
Primeiro de tudo, deve ser dito que votar por escrut√≠nio secreto n√£o √© admiss√≠vel; adotando um m√©todo de vota√ß√£o deste tipo, de fato, n√£o seria poss√≠vel verificar a realiza√ß√£o do quorumou, por exemplo, para o caso de inova√ß√Ķes pesadas que podem ser usadas separadamente, os condom√≠nios que devem arcar com o gasto relativo.
Esclarecido isso é necessário para investigar se há algum requisitos mínimos em relação às formalidades a cumprir para registar o voto dos Accionistas.
Quando o Tribunal de Cassa√ß√£o (ver, por exemplo, 19 de novembro de 2009 No. 24456) tratou da quest√£o sempre disse que, a fim de verificar a conformidade com quorum deliberativo, √© necess√°rio que nas actas da assembleia sejam apresentados os nomes de todos os participantes √† assembleia e em rela√ß√£o aos votos √ļnicos, o nome e os mil√©simos pelo menos para os dissidentes, para que seja poss√≠vel voltar ao favor√°vel e verificar o cumprimento das maiorias exigidas por lei.
Na verdade, se você tiver em conta este modo de operação nós não podemos concordar que esta é a medida mínima necessária para permitir uma verificação de legalidade sobre a resolução dos acionistas.
Limite-se a escrever a f√≥rmula vazia nos minutos a maioria aprova sem indica√ß√£o m√≠nima dos componentes dessa maioria, significa impossibilitar, por exemplo, aos ausentes, verificar quem s√£o os cond√īminos que votaram favoravelmente para verificar a exatid√£o das opera√ß√Ķes de vota√ß√£o.
Pense nos casos em que sem o voto do condomino em conflito de interesses não seria possível atingir as maiorias exigidas por lei.
Como isso pode ser verificado se nos minutos nos limitamos a dizer o maioria aprova?

Modo de verbalização

Minutos da assembléia

Neste contexto, o Tribunal de Cassa√ß√£o, reafirmando sua orienta√ß√£o consolidada, com refer√™ncia ao conte√ļdo m√≠nimo da ata em rela√ß√£o √†s opera√ß√Ķes de voto, afirmou que a resolu√ß√£o deve ser considerada como regulada, mesmo que n√£o contenha a indica√ß√£o nominativa dos condom√≠nios em favor da decis√£o adotada, contendo pelo menos a lista de todos os condom√≠nios presentes, pessoalmente ou por procura√ß√£o (regido pelo artigo 67 do C√≥digo Civil) e os mil√©simos relativos, e pelo menos mencionar pelo nome os condom√≠nios que se abstiveram, aqueles que votaram contra a resolu√ß√£o e o valor total das mil√©simas a√ß√Ķes desses co-propriet√°rios.
Este modo de deliberação, diz a Cassação no sentença n. 24456/09) é considerado válido porque dá a oportunidade de identificar, por diferença e com absoluta certeza, os condomínios que votaram favoravelmente e consequentemente o respeito quorum deliberativoe a existência de conflitos de interesse.
um exemplo A pr√°tica esclarecer√° definitivamente o que foi dito pelo Juiz de legitimidade.
Pense em ummontagem de condomínio em que 10 pessoas participam, num total de 800 milésimos.
o presidenteUma vez verificada a convocação correta dos condomínios, as atas e nomes de todos os presentes deverão ser anotados na ata, passando então a discutir os itens da pauta.
Para o nomeação do diretorSabe-se que pelo menos 500 milésimos são necessários e a maioria dos presentes na reunião.
Em relação a este ponto lê o relatório: apenas os condomínios Tizio e Caio, detentores de 85 e 77 milésimos, votaram contra a indicação. A parte restante a favor; a assembléia nomeia o administrador na pessoa de Sempronio.
Neste caso, embora o nome n√£o esteja presente de todos os favor√°veis ‚Äč‚Äče seus mil√©simos, ser√° poss√≠vel tra√ßar a identidade deles / delas como est√° presente a lista de todos os participantes e para o √ļnico argumento que dos opostos.
Na pr√°tica com uma opera√ß√£o matem√°tica simples ser√° poss√≠vel ter o nome e os mil√©simos dos favor√°veis ‚Äč‚Äčpara todas as verifica√ß√Ķes √ļteis ao caso (respeito aos qu√≥runs, aus√™ncia de conflito de interesses, etc.).
No caso de resolu√ß√Ķes tomadas por unanimidade pelos presentespor outro lado, n√£o √© necess√°rio indicar a vota√ß√£o analiticamente em rela√ß√£o a essa decis√£o, uma vez que √© claramente dedut√≠vel da lista dos presentes inclu√≠dos na ata no in√≠cio da reuni√£o a exist√™ncia (ou n√£o) das resolu√ß√Ķes de qu√≥rum necess√°rias para essa resolu√ß√£o espec√≠fica (cf. Trib. Benevento 28 de mar√ßo de 2014).



Vídeo: Rumo à Marca