Uma casa em Luanda

Uma corajosa competição internacional de arquitetura sugere uma das maneiras possíveis de resolver o problema da emergência habitacional nas áreas economicamente mais deprimidas do mundo.

Uma casa em Luanda

L 'emerg√™ncia de habita√ß√£o √© um fen√īmeno cada vez mais evidente e em crescimento exponencial e ser√°, quase certamente, uma das emerg√™ncias sociais dos pr√≥ximos anos, em todo o mundo e abra√ßando grandes por√ß√Ķes do popula√ß√£o mundial em todos os n√≠veis e em quase todos os estratos sociais, com a √ļnica exce√ß√£o daqueles cujas possibilidades econ√īmicas garantem amplas possibilidades de escolha e resolu√ß√£o de uma necessidade deste tipo.

Visualiza√ß√£o dos pain√©is de projetos dos participantes (foto tirada do arquivo pdf do relat√≥rio do J√ļri)

O problema j√° √© dram√°tico e tender√° a piorar em diferentes √°reas do mundo em que um condi√ß√Ķes de vida dif√≠ceis e economias fr√°geis e em desenvolvimento eles s√£o estados de extrema press√£o demogr√°fica devido a forte unidades migrat√≥rias e de urbaniza√ß√£o; h√° anos, esse tipo de din√Ęmica demogr√°fica √© observada e estudada, com preocupa√ß√£o preocupante da comunidade internacional, em diferentes estados do√Āfrica Subsaariana, onde a pobreza e a instabilidade pol√≠tica se sobrep√Ķem ciclicamente.
Uma maneira interessante de comparar, recentemente, com o problema da emergência da habitação em países em desenvolvimento era lançar um competição internacional de arquitetura para a concepção de um modelo de casa unifamiliar muito económico a ser construído em Luanda, capital do estado deAngola, competição concebida e lançada no contexto de Trienal da Arquitetura de Lisboa.
o recursos b√°sicos do modelo de habita√ß√£o a ser projetado tinha que incluir a possibilidade de adapta√ß√Ķes e futuras extens√Ķes, um baixo custo e vi√°vel na autoconstru√ß√£o, para lidar com os r√°pidos desenvolvimentos de transforma√ß√£o social e familiar t√≠picos da din√Ęmica urbana desta √°rea geogr√°fica. O modelo tipol√≥gico sugerido aos concorrentes pelo an√ļncio da competi√ß√£o previa e sugeria um tipo de casa do p√°tio tamanho para fam√≠lias em m√©dia 7-9 indiv√≠duos (dois pais, tr√™s filhos e dois av√≥s ou dois pais, cinco filhos e dois av√≥s), que devem estar localizados em uma √°rea plana localizada no per√≠metro da cidade. Luanda.

Mestre √Ālvaro Siza durante os procedimentos de avalia√ß√£o (foto tirada do arquivo do relat√≥rio do j√ļri em pdf)

O processo de fal√™ncia, ap√≥s meses de avalia√ß√£o por um j√ļri de 5 arquitectos, liderado pelo conhecido designer portugu√™s Alvaro Siza, que ele avaliou bem 588 projetos de todo o mundo, at√© agora geraram um lista curta de 30 projetos, cujos autores foram convidados a produzir um modelo da casa que vai ajudar o j√ļri para fazer a sele√ß√£o final de 5 projetos, que ter√° lugar no per√≠odo entre 28 de outubro de 2010 e 16 de janeiro de 2011, depois disso, eles ser√£o exibidos no Museu de Electricidade.
Seguindo o proclama√ß√£o dos vencedores da competi√ß√£o, os organizadores avaliar√£o, com o Autoridades angolanas e com assuntos de neg√≥cios locais envolvidos, o pcapacidade de construir uma ou mais unidades residenciais com base no projeto vencedor, para ser "testado" como o primeiro n√ļcleo constru√≠do. A fim de enfrentar constantemente as necessidades sociais de grandes setores da popula√ß√£o mundial, s√≥ podemos esperar que essa experi√™ncia tenha resultado positivo e pergunte como modelo para enfrentar o problema da emerg√™ncia da habita√ß√£o, com solu√ß√Ķes que combinam inexpensiveness, adapta√ß√£o de sistemas construtivos e sentido do contexto social e cultural onde voc√™ vai fazer as casas.
trienaldelisboa.com/en



Vídeo: CASA LUANDA - GLAMOUR - Minha Casa Digital