Casa para alugar: é o proprietário ou o inquilino responsável por danos ao vizinho?

Em caso de alojamento alugado o danificado deve contactar o propriet√°rio ou o inquilino que ocupa a propriedade? Vamos ver o que a lei diz.

Casa para alugar: é o proprietário ou o inquilino responsável por danos ao vizinho?

Casa para alugar e responsabilidade pela coisa em custódia

Acontece cada vez mais que dentro dos condom√≠nios, como resultado de quedas, colapsos, canos quebrados, instala√ß√Ķes ou neglig√™ncia por parte dos que moram nos v√°rios apartamentos, s√£o causados dano para vizinhos ou para as partes comuns do condom√≠nio.
O primeiro passo é identificar o fonte do dano e deste de volta para o culpado que será obrigado a indenizar o danificado.

Danos aos vizinhos


Pense nos pontos de umidade de infiltração vindo do quarto no andar de cima ou um pedaço de parede que estraga e danifica um carro estacionado nas proximidades.
Quem é responsável por danos a terceiros quando um inquilino reside no edifício do qual o dano se originou?
Fazendo uma discuss√£o mais geral, descobrimos que o problema de identificar a pessoa respons√°vel por danos causados ‚Äč‚Äča terceiros √© resolvido reduzindo o problema na t√©cnica. 2051 do c√≥digo civil relativo aos danos causados ‚Äč‚Äčpelas coisas em cust√≥dia.
Com base nas interpreta√ß√Ķes dos ju√≠zes de m√©rito e legitimidade, o crit√©rio a ser adotado para a solu√ß√£o de controv√©rsias decorrentes de danos a terceiros na √°rea do condom√≠nio √© o de responsabilidade para o coisas em cust√≥dia.Segundo a regra do c√≥digo civil:

cada um √© respons√°vel pelos danos causados ‚Äč‚Äčpelas coisas que tem sob cust√≥dia, a menos que prove o evento fortuito Art. 2051 bacalhau. civ

o guardi√£oisto √©, aquele que entret√©m um determinado com o bem poder e relat√≥rio, √© obrigado a vigil√Ęncia, em virtude da controle que exercita a coisa.
Ele deve, portanto, agir para que a propriedade n√£o cause danos a terceiros.
No caso de um evento prejudicial ter ocorrido, uma vez que você tenha tentado ligação causal entre o dano e a coisa, o guardião ne responder a menos que você forneça o chamado teste de liberação.
Ele ter√° que provar que o evento prejudicial ocorreu caso fortuito ou pelo fato da terceiro.
Segue-se que se, por exemplo, o dano foi causado por uma planta do condomínio, a responsabilidade recairá sobre o condomínio, enquanto se a fonte do dano for de propriedade exclusiva, o desembolso para a reparação do mesmo é de responsabilidade do proprietário.

Localização e danos das coisas em custódia

A quest√£o torna-se complicada quando o dano vem de um propriedade concedida em arrendamento.
O que acontece com a assinatura de um contrato de locação?
√Č extremamente importante que a pessoa que √© considerada lesada conhe√ßa o prote√ß√Ķes oferecido pela lei. Se o dano foi causado por um apartamento alugado pode acontecer que o inquilino antes de ter fornecido o reparo (se devido a ele) vai embora e nada √© pago.
A obrigação de indenizar o dano é para o proprietário ou quem realmente ocupa a propriedade?
A fim de encontrar uma solução para o problema apresentado aqui as regras do código civil relativas à responsabilidade pela custódia sobre a coisa que eles devem coordenar com a legislação em assunto de arrendamento.

Contrato de arrendamento


Para responder √† quest√£o colocada aqui, √© necess√°rio, no in√≠cio, esclarecer quais s√£o as obriga√ß√Ķes o propriet√°rio e do condutor, em virtude do contrato de loca√ß√£o que foi estipulado.
o propriet√°rio do edif√≠cio, por algumas partes do mesmo, transfer√™ncias, bem como o disponibilidade tamb√©m a obriga√ß√£o de cust√≥dia e o poder de controle para o condutor. O locador manter√° a cust√≥dia em elementos estruturais como paredes, telhados, lajes e instala√ß√Ķes.

Obriga√ß√Ķes do propriet√°rio e do inquilino

Baseado no que é estabelecido pelo normas em assunto de arrendamento, como confirmado pela doutrina e pela jurisprudência, proprietário da propriedade alugada tearesobrigação manter o ativo alugado de forma a permitir que ele seja alugado'uso qual é pretendido.
O senhorio deverá, portanto, encarregar-se de todas as conserto que permitem que o apartamento seja mantido no estado em que se encontrava no momento da assinatura do contrato. Portanto, caberá ao proprietário providenciar a manutenção extraordinária Propriedade.
Sull 'inquilino a tarefa de dar é, em vez disso, incumbente execução para trabalho de comum administração. Considere, por exemplo, a reparação do sifão que perde sob a pia.
Veremos como essa distinção é fundamental, uma vez que atua como critério, juntamente com o previsto no artigo 2050 do Código Civil italiano, para identificar o sujeito responsável em caso de dano a terceiros.

Responsabilidade do propriet√°rio

O propriet√°rio da propriedade pode ser definido como custodiante das instala√ß√Ķes, das obras de alvenaria e do que nelas est√°, como os canos. Com base no que √© estabelecido por lei, quando o propriet√°rio do apartamento pode ser responsabilizado?
O proprietário, apesar da venda da propriedade em aluguel, mantém o disponibilidade legal do mesmo e da obrigação de custódia no estruturas de alvenaria e em sistemas internos (elétrica, água e térmica) para a estrutura do edifício.
A obriga√ß√£o de prever manuten√ß√£o extraordin√°ria segue a responsabilidade do propriet√°rio se o dano vier de partes do edif√≠cio que ele √© obrigado a manter em boas condi√ß√Ķes e manter.
O locador ser√°, portanto, obrigado a pagar uma indemniza√ß√£o por danos causados ‚Äč‚Äča terceiros, nos termos dos artigos 2051 e 2053 do C√≥digo Civil italiano.
Nestes casos, faltando um contato direto do condutor as partes das paredes ou das plantas, qualquer dano não atribuível a um possível conduta culposa, será de responsabilidade do proprietário realizar os reparos e providências necessárias.

Aluguel e danos ao domicílio: quando o inquilino é responsável?

Se o dano tiver origem em partes do edif√≠cio colocadas sob o controle direto do inquilino, ele ser√° obrigado a indenizar os danos causados ‚Äč‚Äčn√£o foram prontamente interveio no reparo devido a ele.

Danos de coisas sob custódia


L 'fonte o dano Portanto, torna-se essencial nesse processo que deve levar à identificação do sujeito responsável pelo evento prejudicial. Nestes casos, o juiz terá sempre que averiguar a eventualidade competição de responsabilidade do sujeito estragado, cujo comportamento nunca deve ser contrário ao princípio da boa fé. A indemnização deve, de facto, ser reduzida, tendo em conta os danos que a pessoa lesada poderia ter evitado recorrendo a diligências ordinárias.
Em conclus√£o, a responsabilidade pesar√° sobre o inquilino com refer√™ncia apenas ao sol pe√ßas acess√≥rias da propriedade alugada (por exemplo, aparelhos, coisas armazenadas, extens√Ķes el√©tricas fora da parede, plantas de um jardim, vasos de um terra√ßo) em rela√ß√£o aos quais, por efeito da assinatura do contrato, torna-se custodiante, adquirindo faculdade e obriga√ß√£o de intervir a fim de evitar preju√≠zo para os outros.

Responsabilidade solid√°ria do propriet√°rio e inquilino

O que fazer se durante o julgamento você não puder entender de onde vem o dano (por exemplo, determinado por uma infiltração). Quem pode ser atribuído a responsabilidade pelo evento?
Neste caso, o terceiro parágrafo do artigo afirma 2055 do código civil:

Se o fato danoso √© atribu√≠vel a mais de uma pessoa, todos s√£o conjunta e solidariamente respons√°veis ‚Äč‚Äčpelos danos. Aquele que reembolsou o dano recorre contra cada um dos outros, na medida determinada pela gravidade da respectiva culpa e pela entidade das conseq√ľ√™ncias que dela derivam. Em d√ļvida, as falhas individuais s√£o assumidas como iguais. Art. 2055 bacalhau civ.

Ent√£o, se houver d√ļvida em rela√ß√£o √†s faltas de cada uma, estas s√£o presumidas iguais. De acordo com a orienta√ß√£o mais recente, o padr√£o acima mencionado se aplica no caso defogo.
Ligue para decidir sobre a responsabilidade por danos causados ‚Äč‚Äčpor inc√™ndios de um apartamento alugado, o Tribunal de Cassa√ß√£o teve a oportunidade de afirmar que:

no caso de danos causados ‚Äč‚Äča terceiros pelo inc√™ndio que se desenvolveu em uma propriedade alugada, a responsabilidade por danos causados ‚Äč‚Äčpor coisas sob cust√≥dia ocorre a expensas do propriet√°rio e do inquilino, quando nenhum deles foi capaz de provar que a causa aut√īnomo do dano sofrido pelo terceiro deve ser reconhecido na viola√ß√£o, por parte do outro, do dever espec√≠fico de supervis√£o que lhe incumbem. Cassa√ß√£o 27 de novembro de 2014 n. 25503



V√≠deo: Aluguel - Os direitos e as obriga√ß√Ķes do locador e do inquilino.wmv