B√īnus em casa 2019: entre as not√≠cias, Ecoprestito e cess√£o de cr√©dito

Home Bonus 2019: entre os novos recursos, o Fundo de Garantia do Eclipse e a possibilidade de vender o crédito fiscal Ecobonus também para unidades imobiliárias individuais

B√īnus em casa 2019: entre as not√≠cias, Ecoprestito e cess√£o de cr√©dito

B√īnus em casa 2018: as not√≠cias

em Lei Or√ßamental de 2018 encontramos muitas confirma√ß√Ķes e algumas not√≠cias importantes sobre o pacote da casa, como o Fundo de garantia para oEco-empr√©stimo e a possibilidade de entregar o cr√©dito fiscal do ecobonus tamb√©m para as interven√ß√Ķes nas unidades imobili√°rias individuais.
Vamos ver um breve resumo do que foi confirmado em relação ao Ecobonus.

Confirma√ß√Ķes para 2018


Ecobonus para unidades imobili√°rias individuais

A dedu√ß√£o √© confirmada na Lei Or√ßament√°ria Ecobonus, para as interven√ß√Ķes de redesenvolvimento de energia das unidades de propriedade individual, que foi prorrogado por um ano, at√© 31 de dezembro de 2018.
O b√īnus ser√° sempre dividido em 10 a√ß√Ķes anuais do mesmo montante at√© um limite m√°ximo de despesas de:
- 30 mil euros para as interven√ß√Ķes destinadas a substituir os sistemas de climatiza√ß√£o de inverno;
- ‚ā¨ 40 mil para a reabilita√ß√£o do edif√≠cio dos edif√≠cios existentes e a instala√ß√£o de pain√©is solares para a produ√ß√£o de √°gua quente (solar t√©rmica);
- 100 mil euros para redesenvolvimento energético global.

Sistemas de eco-contratação e eficiência energética


Eles caem no 65% a seguinte eficiência energética funciona:
- revestimento térmico nas portas de entrada e painéis isolantes;
- bombas de calor e usinas geotérmicas;
- piso radiante;
- sistema solar térmico.
A partir de janeiro de 2018, a dedução fiscal cairá de 65% para 50% para despesas relacionadas à compra e instalação de janelas, incluindo esquadrias, proteção solar e substituição de sistemas de climatização de inverno por usinas equipadas com caldeiras de condensação e biomassa.

Ecobonus para interven√ß√Ķes em partes do condom√≠nio

Confirme as dedu√ß√Ķes incorridas pelo 1¬ļ de janeiro de 2017 a 31 de dezembro de 2021 para interven√ß√Ķes de redesenvolvimento partes do condom√≠nio.

Ecolestito para partes do condomínio


Em particular, as percentagens de dedução são:
- 70% para interven√ß√Ķes na envolvente do edif√≠cio com uma incid√™ncia superior a 25% da superf√≠cie de dispers√£o bruta do pr√≥prio edif√≠cio;
- 75% para interven√ß√Ķes destinadas a melhorar o desempenho energ√©tico do inverno ou do ver√£o.
As dedu√ß√Ķes s√£o calculadas sobre um montante total de despesa n√£o superior a 40 mil euros, multiplicado pelo n√ļmero de unidades imobili√°rias que comp√Ķem o edif√≠cio.

Novo para 2018

Entre as inova√ß√Ķes relevantes, previstas no projeto de lei 2018, relacionadas ao ecobonus, encontramos a institui√ß√£o do Fundo de garantia para o Ecolestito e o atribui√ß√£o do cr√©dito fiscal em apoio aos consumidores.

Fundo de Garantia para o Ecolvestment

A Lei do Orçamento de 2018 contém as primeiras medidas de execução do Estratégia Nacional de Energia - SEN: a linha de ação é criar mais incentivos para medidas de eficiência energética para edifícios, com maiores expectativas sobre a poupança.
O objetivo do Sen √© o descarboniza√ß√£o da economia at√© 2025, atrav√©s do di√°logo com as administra√ß√Ķes locais e iniciativas regulamentares, como pol√≠ticas para incentivar a efici√™ncia energ√©tica.
O Fundo para a Efici√™ncia Energ√©tica, que √© o instrumento nacional que financia este tipo de interven√ß√£o, em conson√Ęncia com os princ√≠pios da NEE, pretende alinhar-se com as √ļltimas disposi√ß√Ķes em mat√©ria de combatepolui√ß√£o atmosf√©rica, incentivando a transi√ß√£o para sistemas mais eficientes e menos poluentes.
Segundo algumas estimativas, esta ferramenta poderia contribuir para a 30% os objetivos da estratégia nacional de energia SEN 2030.
Entre os incentivos para melhorar a efici√™ncia energ√©tica, no contexto de Fundo Nacional Efici√™ncia Energ√©tica, referido no artigo 15.¬ļ do Decreto Legislativo n.¬ļ 102/2014, foram atribu√≠das 150 milh√Ķes de 2018 um 2020 destinado a dar garantias sobre empr√©stimos concedidos por institui√ß√Ķes de cr√©dito para o redesenvolvimento de energia de edif√≠cios e edif√≠cios.
A novidade consiste na prática na prestação de empréstimos a taxas reduzidas e no reconhecimento de garantias no financiamento de projetos de eficiência energética até 80% dos empréstimos concedidos pelos bancos.
O objetivo √©, obviamente, atrair os cidad√£os que pretendem reconstruir suas propriedades, mas, para isso, precisam solicitar um empr√©stimo; implementando uma s√©rie de condi√ß√Ķes para encorajar o recurso ao Ecobonus, √© assim encontrar aqueles que, embora desejem reciclar, n√£o t√™m a liquidez econ√īmica necess√°ria.

Interven√ß√Ķes padronizadas para acessar o Fundo


O governo, segundo estimativas, acredita que os 150 milh√Ķes disponibilizados ir√£o gerar investimentos para mais de 600 milh√Ķes de euros.
O Fundo favorecer√° os tipos de interven√ß√£o padronizada com determinadas poupan√ßas de energia, respeitando a lista previamente elaborada com base em par√Ęmetros pr√©-estabelecidos, como a classe energ√©tica do edif√≠cio, zona clim√°tica e tipo de interven√ß√£o, de forma a simplificar os m√©todos de acesso ao pr√≥prio Fundo.
O governo reserva-se o direito de esclarecer sucessivamente atrav√©s de um ou mais decretos, as prioridades, crit√©rios, condi√ß√Ķes e m√©todos de opera√ß√£o, gest√£o e interven√ß√£o da se√ß√£o do Fundo, e as primeiras dota√ß√Ķes relacionadas da se√ß√£o em si.

Atribuição de crédito

Entre as inova√ß√Ķes significativas introduzidas para 2018, com o objetivo de dar um novo impulso ao mecanismo de requalifica√ß√£o de energia, h√° a extens√£o do transfer√™ncia de cr√©dito de imposto.
A possibilidade de atribuir cr√©dito para usar a dedu√ß√£o fiscal para Ecobonus deixar√° de se preocupar apenas com i condom√≠nios, mas tamb√©m as interven√ß√Ķes realizadas no unidades imobili√°rias √ļnicas.
O mecanismo da cess√£o de cr√©dito, j√° em vigor no que diz respeito √†s partes comuns dos condom√≠nios, a partir de 1 de janeiro de 2018 ser√° tamb√©m utilizado por aqueles que realizam o trabalho para melhorar a efici√™ncia da unidade de constru√ß√£o √ļnica, nos edif√≠cios de propriedade de IACP ou outros √≥rg√£os similares com rela√ß√£o aos edif√≠cios usados ‚Äč‚Äčpara edif√≠cios residenciais p√ļblicos pertencentes aos Munic√≠pios, mas gerenciados por essas entidades.
A atribui√ß√£o do cr√©dito correspondente pode, portanto, ser feita a todos os sujeitos que realizaram as interven√ß√Ķes, ou a outros assuntos particularese, portanto, aquele que vai adquirir o cr√©dito, a empresa ou o fornecedor, por sua vez, pode transferi-lo para outros assuntos; enquanto apenas no caso de indiv√≠duos que est√£o no sem imposto, o chamado incapienti, o cr√©dito s√≥ pode ser transferido para bancos.
O crédito fiscal atribuído ao cessionário, que não é objeto de venda posterior, será dividido em dez parcelas anuais de igual valor, utilizável em compensação apresentando o modelo F24 exclusivamente através dos serviços telemáticos da Revenue Agency.
A parte do crédito que não é usada no ano pode ser usada em anos seguintes, mas não pode ser solicitado um reembolso.
Graças à venda, a empresa pratica uma desconto imediato e em troca ele aproveita a dedução fiscal em vez do condomínio que arcou com a despesa.
Lembre-se tamb√©m que a administra√ß√£o financeira tem o direito de verificar o uso correto do cr√©dito; no caso em que, ap√≥s as verifica√ß√Ķes, voc√™ deve verificar o falta de integra√ß√£o, mesmo parcial, do requisitos objetivos dando direito √† dedu√ß√£o fiscal ou frui√ß√£o indevida mesmo parcial do cr√©dito pelo cession√°rio, fornecer√° ao recupera√ß√£o do respectivo montante, al√©m de juros e multas.

Ferramentas para atribuição de crédito

Com o objetivo de facilitar o acesso do cidad√£o √†s dedu√ß√Ķes do ecobonus e do Sismabonus, Ance e Deloitte assinaram um acordo para a realiza√ß√£o de um plataforma, que visa solucionar o problema de liquidez dos condom√≠nios e empresas, facilitando a interven√ß√£o do sistema banc√°rio e garantindo seguran√ßa aos investidores interessados ‚Äč‚Äčem comprar cr√©ditos tribut√°rios.

Plataforma de acesso ao crédito


Giuliano Campana, presidente da ANCE, explicou que a ideia nasceu com a inten√ß√£o de oferecer solu√ß√Ķes concretas para condom√≠nios que nem sempre t√™m o liquidez necess√°rio pagar pelas interven√ß√Ķes e √†s empresas que n√£o t√™m capacidade financeira suficiente para aceitar cr√©ditos fiscais.
Com o suporte da plataforma, será possível criar um mercado desses créditos, minimizando as despesas suportadas pelos condomínios e garantindo às empresas a provisão financeira necessária.



Vídeo: